Eleições livres e respeito aos Direitos Humanos, por Izaías Almada

Ilustração Universia

Eleições livres e respeito aos Direitos Humanos

por Izaías Almada

Não basta a injustiça. Ela tem que vir acompanhada de uma boa dose de maldade e ódio. A maldade dos recalcados e o ódio ideológico dos incompetentes.

A enésima prisão de José Dirceu mostra que o Brasil vai a largos passos perdendo a noção de democracia, se é que um dia a teve. Não há nada que justifique a prisão de um cidadão que não cometeu crimes. Pelo menos, como aconteceu até agora com o ex-presidente Lula, essas provas não foram apresentadas. E menos ainda a sua condenação a 30 anos de prisão.

Como o Brasil tornou-se uma espécie de prostíbulo nos últimos dois anos, alguns de seus cafetões, sobretudo em Brasília e Curitiba, vão se vingando de seus desafetos, arrastando-os covardemente para as prisões, sem cumprir o ritual dos julgamentos (quando existem provas e evidências para isso, pelo menos) dentro das regras democráticas, essas que só valem para uma parte pequena da população. Tudo para agradar ao capital improdutivo e seus patrões estrangeiros.

É triste ver um país não reagir à sua destruição, a aceitar candidamente que os poderes executivo, legislativo e judiciário debochem diariamente da justiça, do respeito à Constituição e da nossa soberania.

Constituição rasgada, soberania vilipendiada e justiça apenas para os economicamente poderosos fazem o Brasil voltar, em menos de quatro anos, a ser uma republiqueta de bananas.

A direita brasileira mais raivosa, aquela que se pode identificar minimamente em quilômetros de terras griladas do nosso interior, nas confortáveis salas de diretorias de instituições bancárias e suas congêneres em redações de veículos de informação, fascinada com o seu próprio poder econômico e político, fez o Brasil regredir 20 anos em 02.

Estabeleceu-se o caos institucional e os poderes da república digladiam-se no dia a dia das incertezas que vão corroendo os órgãos e as artérias vitais da vida democrática civilizada.

Nesse torvelinho, as operações da Lava Jato continuam; Temer continua, o governo golpista continua, os bandidos que assaltaram o poder político continuam; O STF não diz por qual razão existe. A Justiça, aliás, não se faz presente. A ignorância de fatias da população emerge em atitudes como a de rezar de mãos dadas num posto de gasolina e, em oração, pedir a “multiplicação dos combustíveis”.

O mais curioso dessa história ou trágico, dependendo do ponto de vista, é constatar que o homem que pode tirar o Brasil dessa balburdia está preso em Curitiba.

Torçamos para que o país não pague caro por esse erro.

Eleições livres e o ex-presidente Lula com seus direitos respeitados. Diz o artigo terceiro da Declaração Universal dos Direitos Humanos: Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Bravo!

    Bravo, Almada !   # Lula livre!  A covardia impera!  Triste ver Dirceu preso! Lula preso!  Justiça comprometida e conivente com o golpe sujo e criminoso! Vergonha desses brasileiros medíocres. Homens pequenos que jamais chegarão à serenidade e sabedoria de um Dirceu e ao carisma e e sagacidade de um Lula!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome