Em Brasília, dois ministérios são incendiados e manifestante fica gravemente ferido

manifestacao_24_de_maio_esplanada_jornalistas_livres.jpg

Foto: Jornalistas Livres

Jornal GGN – Os prédios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, foram evacuados após um incêndio no lado externo dos ministério da Agricultura e da Fazenda. Um ato contra o presidente Michel Temer e por eleições diretas foi reprimido com bombas de gás lacrimogêneo pela PM do Distrito Federal, e ao menos um manifestante ficou gravemente ferido. 
 
Segundo o portal UOL, a repressão teria começado quando manifestantes tentaram furar uma barreira que impedia que as pessoa chegassem perto do Congresso Nacional. Organizado por centrais sindicais e movimentos sociais, a mobilização se concentrou na parte da manhã nos arredores do estádio Mané Garrincha e depois foi para a Esplanada dos Ministérios. 

 
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé, nuvem, céu e atividades ao ar livre
 
Foto: Mídia Ninja
 
A estimativa da Secretaria da Segurança Pública do DF é que 25 mil pessoas participaram da marcha. A pasta também diz que os manifestantes não poderiam chegar até a praça dos Três Poderes. Já os organizadores falam em 150 mil pessoas. 
 
Segundo a Agência Brasil, um grupo de 50 pessoas com máscaras “promoveu um quebra-quebra” em meio ao ato, com depredação de vidraças de pelo menos cinco ministérios. 
 
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão, estádio e atividades ao ar livre
 
Foto: Mídia Ninja
 
“O pessoal da organização pediu para que as pessoas se afastassem da grade, aí a polícia começou a atirar bombas. Parece guerra de território. Isso não é polícia de segurança pública no sentido da palavra, policial que deveria primar pela racionalidade e pela serenidade para garantir o ato. Eles estão com a disposição de dispersar o ato”, afirmou o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ)
 
A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e atividades ao ar livre
 
Foto: Jornalistas Livres
 
Ele diz que um grupo de cerca de  20 manifestantes jogou atirou pedras em direção à polícia, que disparou dezenas de bombas de efeito moral.
 
Na Câmara dos Deputados, a sessão deliberativa foi encerrada depois de protesto dos partido da oposição, que criticam a ação da PM durante a manifestação. José Guimarães (PT-CE) disse que a polícia agrediu até mesmo parlamentares que participavam do protesto “A força bruta não pode substituir a democracia (….) Por isso, eu peço o encerramento da sessão”, afirmou. 
 
manifestacao_24_de_maio_esplanada_marcelo_camargo_abr.jpg
 
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora