Técnico da CIA que revelou escutas do governo americano quer asilo político

Jornal GGN – Edward Snowden, de 29 anos, que trabalhava como analista de dados da Booz Allen Hamilton e responsável pela denúncia do programa de vigilância que incluía grampos telefônicos e vigilância na internet pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA), diz em entrevista publicada pelo jornal Washington Post que busca, agora, asilo político. Ele afirma que sua busca inclui todos os países que acreditem na liberdade de expressão e se oponham à vitimização da privacidade global. Neste momento ele está escondido em um hotel em Hong Kong.

Ex-analista de dados na Booz Allen Hamilton, empresa terceirizada contratada por um escritório da NSA no Havaí, Snowden foi antes disso, técnico da CIA. Na entrevista, ele diz ter consciência de que será punido. “Minha única motivação é informar os fatos ao público e dizer o que é feito em nome dele e o que é feito contra ele”, relata.

Ele afirma, ainda, que não tem intenção de se esconder, pois não fez nada errado e que lutou, também, por seus interesses. “Não quero viver em um mundo onde não há privacidade nem espaço para a exploração intelectual e a criatividade. O que eles (o governo) estão fazendo é contrário aos interesses públicos”, aponta.

Desde 2000, Snowden atuou como segurança em uma unidade da NSA na Universidade de Maryland. Depois, começou a trabalhar na CIA, que o enviou como agente para um posto diplomático em Genebra. Ali, começou a ter acesso a documentos secretos do governo. De volta ao NSA, como funcionário de empresas terceirizadas, trabalhou em uma base militar americana no Japão e, finalmente, no Havaí. “Percebi que o governo de Obama estava avançando nas mesmas políticas que achava que seriam refreadas”, disse. “Obama não conseguiu fazer jus às promessas de transparência que ele fez.”

Snowden, disse ainda que a NSA busca estar ciente “de toda conversa e toda forma de comportamento no mundo”. O programa secreto usado pela agência desde 2007 é capaz de processar dados colhidos dos servidores centrais das maiores companhias internet dos EUA – Microsoft, Apple, Google, Facebook, Yahoo, AOL, entre outras – e também de registros de telefonemas da operadora Verizon.

Assista à entrevista de Edward Snowden publicada pelo Washington Post:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora