Folha escolhe Macri e abandona Maldonado, por Maíra Vasconcelos

Foto: Reprodução
 
Por Maíra Vasconcelos
 
 

Sobre as posturas do governo, talvez, esse texto que escrevi criticando uma matéria da Folha, que saiu ontem á noite sobre o caso, conta um pouco sobre o governo Macri. 

 
De seu blog
 
A Folha de São Paulo decidiu ser absolutamente macrista e se esqueceu dos fatos do caso Santiago Maldonado, 28. Uma escolha eleitoreira, ás vésperas das legislativas na Argentina. Pois, não é jornalismo excluir a fala do irmão da vítima, Sergio Maldonado, que critica a inoperância do governo durante a busca por Santiago, e ressaltar a fala do ministro da Justiça, Gérman Garavano.
 
Não informar que o presidente Mauricio Macri nunca procurou os familiares, mal se pronunciou publicamente sobre o caso durante os 79 dias de desaparecimento do jovem artesão, e ligou para o celular da mãe de Santiago, de um número sem identificação, no dia que a família reconheceu o corpo, e que essa postura foi chamada pelo irmão de uso político dos fatos.
 
Escolher citar aspas do ministro de Macri, mas ocultar da matéria o fato de que Sergio Maldonado desmentiu o ministro da Justiça, dizendo que não recebeu qualquer ligação telefônica sua.
 
Sergio Maldonado sobre Mauricio Macri: “me parece que é um hipócrita, muito pequeno da sua parte, chamar a minha mae desde um número privado, dizendo que se solidariza”.
 
Mais tendencioso ainda quando se inclui críticas ao kirchnerismo, como se poderia fazer em artigos e editoriais, numa matéria informativa onde, aliás, não cabe induzir e estimular disputas macristas x kirchneristas, como se fosse um militante e falasse desde qualquer rua de Buenos Aires.
 
O partidarismo declarado da Folha ao governo de Mauricio Macri (Cambiemos-PRO), nesse caso, ficou miserável, um trabalho jornalístico inexistente, porque se esqueceu e abandonou as informações que concernem á vítima e seus familiares, que representam o fato em si. A declaração “disfarçada” de apoio ao governo escancara a fissura: estar ao lado do governo é então estar contra os fatos no caso Santiago Maldonado?
 
A dois dias das eleições legislativas, a Folha parece não ter pensado duas vezes diante da possibilidade de enterrar os fatos e abandonar os princípios básicos do jornalismo, que, necessariamente, trariam o respeito á vítima e seus familiares.
 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora