Greve dos caminhoneiros: Líder é libertado após algumas horas

Os caminhoneiros devem continuar com seu movimento pelo menos até quarta, 19, quando deverão ser julgadas no Supremo Tribunal Federal três ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs)

Foto Revista Fórum

Jornal GGN – Alexsandro Viviani, o Italiano, presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), foi preso na manhã desta segunda, 17, quando liderava a greve dos caminhoneiros no Porto de Santos, e liberado à tarde, após algumas horas.

Os caminhoneiros ligados ao Sindicam interromperam o acesso ao Porto de Santos, mesmo após de uma liminar da Justiça que impôs multa diária de R$ 200 mil para evitar bloqueio. Os paredistas declararam apoio à greve dos petroleiros.

Os caminhoneiros devem continuar com seu movimento pelo menos até quarta, 19, quando deverão ser julgadas no Supremo Tribunal Federal três ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) movidas por entidades do setor patronal que contestam a constitucionalidade da Lei 13.703, de 2018, que instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas.

As entidades patronais que promoveram as ADIs são a Associação do Transporte Rodoviário do Brasil (ATR Brasil), que representa empresas transportadoras, juntamente com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Segundo o ConJur, o ministro Luiz Fux adiou o julgamento das ações a pedido da Advocacia Geral da União, órgão do governo federal. Ainda não há nova data para o julgamento.

Com informações da Revista Fórum.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. O Blog está com problemas ou mudando alguma coisa.Que retorne imediatamente a labuta diaria,por que a situação começa a pegar fogo.Calça de veludo ou bunda de fora e nósoutros daqui não podemos ficar de fora.Porrete na mão rapaziada.

  2. Conheço bem a categoria. Existem diferenças entre eles: se for empregado ele é massacrado pelos patrões, que lhes condições absurdas de trabalho, como carga horária de, às vezes, 16 horas por dia, quando não mais e sob efeito de rebite… Se for autônomo a carga horária é idêntica, mas os custos de manter um caminhão lhe devora a maior parte do lucro.
    Todavia, empregado ou autônomo ambos são majoritariamente classe média. Ambos são incrivelmente desunidos, egoístas e fascistizantes…. Ambos são majoritariamente bolsonaristas.
    Não merecem apoio, nem solidariedade. Por mim que se f*****.
    Mas é certo que se fossem unidos derrubariam QUALQUER governo…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome