4 comentários

  1. Esta greve, como não poderia deixar de ser, principalmente dado o grupo de liderança, a FUP, nem de longe parou a produção, não congregou outras categorias, mais explícito só os caminhoneiros, classe sabidamente apoiadora do desgoverno Bolsonaro, sem impacto na população, basta ver as tímidas manifestações em frente ao famoso EDISE e seu entorno. Houve até esperança em muitos, de que a liderança da greve procurasse se apoiar também na oposição, mas nada. Não passou de um protesto, grande protesto. Uma greve que não parou a produção, que pouco ou nada impactou, que está sendo encerrada, tão somente por ter recebido um aceno, aceno, nada garantido de que a reivindicação de reversão das demissões no Paraná, será atendida. A principal reivindicação, o abandono da injusta e socialmente desastrosa política de preços, que já permitiu um lucro de R$ 40.000.000.000, isso mesmo quarenta bilhões de lucros à Petrobras, parece ter ficado de fora, já que Paulo Guedes quer muito mais. Mesmo que revertam as demissões, até aqui, essa greve, que nem barulho fez, por que a mídia, controlada pelos golpistas de 2016, nada repercutiu, mesmo assim será um fiasco. Muito esforço (dizem mais de de 20.000 petroleiros envolvidos) para muito pouco, embora importante, ganho.

  2. Gandra tentou cantar de galo, mas teve que piar feito pinto diante da infinitas inferioridade contra a força maior, que é uma greve de trabalhadores. E é essa força que se torna a arma imbatível contra os fascistas, contra os ditadores, contra os rentista, contra os gananciosos do mundo dos negócios, contra autoridades vendidas e sem moral, contra o desgoverno contra a incompetência e principalmente, contra qualquer projeto ou ação que tente entregar o poder e o comando da nação, nas mãos de paramilitares milicianos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome