Invasores cercam base de terra indígena no Pará e ameaçam agentes do Ibama

Clima na região é de tensão. Servidores estão impedidos de entrar e sair da base, e não podem mais receber mantimentos e combustíveis

Reprodução

Jornal GGN – Invasores da Terra Indígena Apyterewa, às margens do Rio Xingu, no Pará, cercaram nesta quinta-feira, 19, uma base de fiscalização de equipes do Ibama, Funai e Força Nacional, com cerca de 40 agentes que buscam impedir o desmatamento dentro da terra indígena, há uma semana.

Segundo informações de Rubens Valente, no Uol, o clima na região é de tensão. Vídeos mostram os invasores hostilizando a equipe de fiscalização e incendiando uma ponte de madeira que dá acesso à terra indígena. Servidores estão impedidos de entrar e sair da base, e não podem mais receber mantimentos e combustíveis.

Além disso, reportagem do Estadão informou que os invasores bloquearam uma estrada, impedindo a passagem dos servidores. Para não haver conflitos, um grupo de agentes do Ibama permanece na floresta e não voltou à base. 

O cerco acontece na frente da base São Francisco, que integra o plano de proteção territorial da empresa Norte Energia como parte das condicionantes para a obra da hidrelétrica de Belo Monte. Atualmente a base é cedida ao Ibama, responsável pela operação.

O Ministério da Justiça afirmou que já está acompanhando o caso e que nesta sexta-feira, 20,  deve enviar, ao menos, mais 40 agentes da Força Nacional ao local para reforçar o trabalho.

A terra indígena Apyterewa, no município de São Félix do Xingu (PA),tem 773 mil hectares e uma população de 729 indígenas, segundo informações do Instituto Socioambiental (ISA). A região é historicamente marcada pela presença de madeireiros e, hoje, é ocupada ilegalmente por mais de 1.500 não indígenas. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Os que cercam são camundongos, sempre irão infectar os locais e precisarão ser contidos. Mas precisam iniciar a profilaxia pelas ratazanas, os chefes traficantes madeireiros e mineiradores ilegais.
    Já bozo, um serrote desdentado que vai e vem sem cortar, mostra a cada dia que nem mais finge que governa, tamanha é sua constância de propósitos.
    https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/11/19/apos-dizer-que-divulgaria-em-live-bolsonaro-nao-cita-paises-que-compram-madeira-ilegal-do-brasil.ghtml

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome