O orgulho de ser gay do CEO da Apple

Jornal GGN – Em um artigo publicado na revista americana Bloomberg Businessweek, o CEO da Apple, Tim Cook, resolveu sair definitivamente do armário. Embora sua homossexualidade já fosse sabida no Vale do Silício, Cook resolveu falar sobre isso para ajudar outras pessoas a lidar com a sexualidade. “Se saber que o CEO da Apple é gay puder ajudar alguém na luta pela aceitação de quem ele ou ela é, ou ajudar a trazer conforto a alguém que se sinta sozinho ou inspirar as pessoas que insistem pela igualdade, então vale a pena abrir mão dessa privacidade”.

do Estadão

Tim Cook, CEO da Apple, diz ter ‘orgulho de ser gay’

Executivo-chefe da Apple revela homossexualidade em artigo publicado nesta quinta-feira,30, na revista Bloomberg Businessweek

Tim Cook: “orgulho de ser gay”

O executivo-chefe da Apple, Tim Cook, afirmou que tem ‘orgulho de ser gay’ em artigo publicado nesta quinta-feira,30, na revista Bloomberg Businessweek. No texto, o empresário decidiu revelar sua opção sexual pela primeira vez, embora o assunto já fosse bem conhecido no Vale do Silício.

Aos 53 anos, Cook diz valorizar sua privacidade, mas decidiu falar sobre sua sexualidade porque sentiu que isso lhe permitiria ajudar outras pessoas. “Eu não me considero um ativista, mas agora percebo o quanto me beneficiei do sacrifício de outros”, escreveu o empresário.

“Se saber que o CEO da Apple é gay puder ajudar alguém na luta pela aceitação de quem ele ou ela é, ou ajudar a trazer conforto a alguém que se sinta sozinho ou inspirar as pessoas que insistem pela igualdade, então vale a pena abrir mão dessa privacidade”, afirmou Cook.

A questão voltou à tona recentemente, quando um entrevistado da CNBC disse considerar que Cook era relativamente aberto sobre o fato de ser gay. Ao serem confrontados pela informação, no entanto, os demais participantes permaneceram em silêncio.

No passado, o executivo já havia defendido a igualdade entre pessoas com orientações sexuais diferentes, publicando inclusive um artigo no Wall Street Journal para apoiar uma lei federal que visava prevenir a discriminação no trabalho baseada na sexualidade.

Às 10h16, antes da abertura do mercado acionário em Nova York, as ações da Apple caíam 0,40%, negociadas a US$ 106,91. Fonte: Dow Jones Newswire

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 comentários

  1. Quero ver esse bando de homofóbicos abrir mão de seus iProdutos.

    Se vir um bolsonaro qualquer andando com um iPhone, cumprimente-o efusivamente por apoiar a causa LGBT. Era a tática que eu usava quando passava por aquelas manifestações da TFP… “Vocês não me enganam com essas bandeiras vermelhas! São um bando de comunistas disfarçados!!!”

  2. Está lá, the apple, nas Escrituras Gênesis: o céu é o limite…

    “Tim Cook, CEO da Aplle, diz ter ‘orgulho de ser gay'”

    … só uma correçãozinha caprichosa maníaca melhor é impossível:

    Tim Cook, CEO da Aplle, diz ter ‘orgulho de ser igay’

  3. depois dessa, na Rússia….

    http://www.tecmundo.com.br/apple/65280-politico-russo-quer-impedir-tim-cook-entrar-pais-gay.htm

    Político russo quer impedir Tim Cook de entrar no país por ser gay

     

    Um político russo, conhecido por ter idealizado uma polêmica lei sobre a “propaganda homossexual”, pediu para que o diretor-executivo da Apple, que acaba de revelar sua homossexualidade, seja impedido de entrar no país.

    O anúncio de Tim Cook, que lidera a empresa americana, “é uma ação política que visa popularizar a homossexualidade”, declarou à AFP Vitali Milonov, um deputado do parlamento local de São Petersburgo (noroeste) do partido no poder Rússia Unida.

    “Acredito que deveríamos proibir sua entrada em nosso país. É claro que ele não quer apenas introduzir novos dispositivos, mas também as suas ideias sobre a família” na Rússia, acrescentou. Estas declarações são feitas um dia depois de Cook revelar sua homossexualidade em um artigo publicado no site da revista Bloomberg Business, onde diz ter “orgulho” de ser gay.

    A Rússia, onde a homossexualidade era considerada um crime até 1993 e como uma doença mental até 1999, adotou no ano passado uma lei que pune qualquer ato de “propaganda” homossexual e pedofilia diante de menores com multas e prisão. O texto provocou muitas críticas tanto na Rússia como no Ocidente.

    Saint-Pétersbourg – Rússia

     

  4.  
    NÃO VEJO nenhum orgulho de

     

    NÃO VEJO nenhum orgulho de ser gay,E nem hétero.

         O que é normal, nem orgulho é,contorna com suas escolhas sexuais.

              Que deveria ser absolutamente normal e sem interesse algum.

                No meu entendr, a grande preconceituosa é imprensa. Que divulga os ”que sairam do armário”, mas não divulga quem comeu a mulher deles— sim , me refiro a jornalistas cornos tbm.

               Por que explorar um fato e ignorar o outro?

                   É corporativismo?

                  O que há de jornalista corno e gays enrustidos é uma grandeza.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome