Paulo Vannuchi é eleito membro da OEA

Paulo Vannuchi, ex-ministro da secretaria de Direitos Humanos, agora é membro da comissão interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Interamericanos (OEA). Além dele, também foram eleitos os candidatos dos Estados Unidos James Cavallaro, e do México José de Jesús Orozco Henríquez.

A CIDH é formada por sete membros e é uma das entidades do Sistema Interamericano de Proteção e Promoção dos Direitos Humanos nas Américas. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, a eleição de Vannuchi fortalece o compromisso do Brasil com o Sistema Interamericano de Direitos Humanos.

Formado em jornalismo e com mestrado em ciência política, Paulo Vanunchi, sempre atuou na defesa e preservação dos Direitos Humanos. Em 2010, Vannuchi defendeu que a Lei da Anistia não se aplica aos torturadores. Foi o principal responsável pelo Programa Nacional de Direitos Humanos. Atualmente, é diretor do Instituto Lula e responsável pelo projeto do Memorial da Democracia.

O ex-ministro foi um dos responsáveis, em 1975, pelo dossiê entregue à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sobre a tortura praticada pela ditadura militar e os assassinatos cometidos, mencionando 233 nomes de torturadores e o modo que elas eram praticadas. Ele foi preso político durante a ditadura militar. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome