PUC-SP organiza abaixo-assinado contra homenagem a militar

Centro Acadêmico 22 de Agosto quer impedir honrarias a Erasmo Dias, que comandou invasão da PUC na ditadura militar há 44 anos

Erasmo Dias comandou invasão à PUC-SP em 1977. Foto: Reprodução/PUC-SP

Jornal GGN – O Centro Acadêmico 22 de Agosto, da Faculdade de Direito da PUC-SP, organiza um abaixo-assinado que propõe barrar o Projeto de Resolução nº 16, de 2020, feito para homenagear o coronel Erasmo Dias com a medalha de honra “Medalha do Mérito da Segurança Pública Deputado Erasmo Dias”.

O projeto que homenageia Dias está em tramitação na Assembleia Legislativa de São Paulo, destacando “sua notória participação no Movimento de Março de 1964, quando a sociedade reconhecia o Exército, na figura de Erasmo Dias, como a força que pôs fim a anarquia comunista”. O movimento de Março de 1964 é, na verdade, a instauração da ditadura militar no Brasil.

Em 22 de Setembro de 1977, Erasmo Dias foi responsável por comandar a invasão da PUC-SP enquanto secretário da Segurança Pública na época da Ditadura Militar. Na ocasião, a Pontifícia sediava o 3º Encontro Nacional dos Estudantes, proibido pelo governo militar.

Os acadêmicos lembram que, “em razão dessa invasão, estudantes  foram presos, fotografados, tiveram impressões digitais retiradas e foram fichados pelo DOPS, sendo que alguns foram processados por meio da Lei de Segurança Nacional. Há relatos, ainda, de pessoas que sofreram queimaduras graves, pois havia resíduos de plástico nas bombas soltadas pelos militares”.

O abaixo-assinado que barra a homenagem ao coronel Erasmo Dias pode ser acessado clicando aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome