Temas LGBTT serão abordados em aulas no Reino Unido

Foto: Guillaume Paumier

Jornal GGN – Enquanto no Brasil o ano de 2017 foi dominado por ideias como “Escola Sem Partido” e outros retrocessos do ponto de vista da inclusão e dos direitos humanos, a grade curricular de escolas do Reino Unido passarão a abordar temas LGBTT em 2019, nas aulas de educação sexual.

A disciplina, que há mais de uma década não sofre alterações de conteúdos, também irá tratar de assuntos como pornagrafia online e passará a ser obrigatória nas escolas. O programa de educação do Reino Unido, segundo reportagem da revista Galileu publicada em 20/12/2017, ainda pretende escutar pais e jovens para decidir outros temas à serem abordados durante as aulas. 

Do Galileu

Escolas do Reino Unido incluem temas LGBT+ nas aulas de educação sexual

Os estudantes do Reino Unido vão passar por uma mudança na grade escolar a partir de setembro de 2019. O currículo das escolas incluirá de forma orbrigatória a disciplina de educação sexual, dando um foco mais abrangente aos assuntos LGBT+.

 
Há 17 anos, a disciplina, que já era ministrada de forma facultativa, não tinha nenhuma atualização — ou seja, além de gênero, também não incluía temas crescentes como sexting e pornografia online.
 
O Departamento de Educação do Reino Unido está lançando um programa de oito semanas que deve ouvir alunos, pais e professores sobre que outros assuntos devem ser incluídos na pauta.
 
“Sabemos, através de pesquisas com jovens LGBT+, que a maioria não aprende nada sobre esses assuntos nas aulas de educaçao sexual, o que os deixa mal informados sobre como lidar com decisões sobre relacionamentos, saúde e bem estar”, afirmou ao The Telegraph um representante da organização Stonewall, que promove atividades educacionais para discutir temas relacionados à sexualidade.
 
Segundo o relatório Teacher’s Report, 50% dos professores de escolas primárias afirmam ter conhecimento sobre bullying homofóbico dentro da sala de aula. Além disso, sete a cada dez professores afirmam que os alunos usam linguagem homofóbica.
 
A ideia do governo é que dados como este sejam reduzidos através da educação. 
 
(Com informações de IFLScience!

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora