Movimentos denunciam ação da Prefeitura e Estado de SP contra população de rua

A primeira ação policial aconteceu por volta de 16h30. Ouvidor da PM garante que não haverá nenhuma ação na madrugada.

Edição às 21h – O Ouvidor da Polícia Militar, em contato com integrante dos movimentos sociais em defesa da população em situação de rua, garante que não haverá nenhuma ação às 3h, na madrugada.

Jornal GGN – Movimentos sociais estão em alerta para a ameaça da Prefeitura de São Paulo e do governo do Estado de São Paulo para remoção de moradores de rua da região da Praça Princesa Isabel. Os moradores de rua ali alocados estão em barracas e a ação está prevista para acontecer de madrugada, aliás, a madrugada mais fria dos últimos anos.

A primeira ação policial aconteceu por volta de 16h30. Os policiais chegaram desmontando barracas e avisando que estariam fora dali de madrugada. Os movimentos foram avisados e estão recorrendo a parlamentares, Ministério Público, Conselho Municipal de Direitos Humanos, para que intercedam junto às autoridades para impedir a ação ‘agendada’ para a madrugada.

Os moradores de rua atingidos dizem que nenhum documento foi apresentado, nada, somente ameaças feitas pelos policiais. O que disseram, ali, era que seria uma ação ordenada pela Prefeitura de Bruno Covas e pelo governador João Doria. A justificativa ficou em necessidade de remoção para que a prefeitura pudesse cercar a praça.

Os movimentos de apoio à população em situação de rua estão em contato com a Comissão de Direitos Humanos da OAB e irão encaminhar pedidos de ajuda para parlamentares como Suplicy, Soninha, Juliana Cardoso, bem como para a Defensoria Pública. Ainda hoje deve acontecer uma audiência na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo sobre a população de rua e sua situação.

Veja relatos a seguir:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora