Xadrez do golpe derradeiro contra o estado de direito, por Luis Nassif

Peça 1 – sobre o conceito de democracia

Um dos pressupostos básicos de uma democracia é o espaço que se confere à oposição. A compreensão de que o partido de oposição tem o direito de existir, lançar candidatos, defender propostas e se revezar no poder é o pressuposto básico de qualquer democracia que se pretenda séria.

Quando se trata a oposição como inimigo, quando é submetida ao chamado direito penal do inimigo, criminalizada e impedida de competir politicamente, tem-se, objetivamente, uma ditadura.

Vamos tentar, primeiro, entender como o jogo político brasileiro cedeu à mais completa e ampla selvageria. E, depois, avaliar se o regime atual é de democracia ou de ditadura.

Peça 2 – o efeito Orloff no Brasil

No já clássico “Como as democracias morrem” (Steven Levistky), há um histórico sobre o processo político, nos Estados Unidos, que resultou na disputa política selvagem levando ao fator Donald Trump. É, em tudo, similar ao que está ocorrendo no Brasil. É um efeito Orloff.

A emancipação do eleitor de baixa renda

Durante quase todo o período da história política norte-americana, houve uma convivência civilizada entre os Partidos Democrata e Republicano. Esse pacto se dava à custa da supressão dos direitos políticos dos negros e latinos do sul, garantindo uma ala conservadora do Partido Democrata no sul convivendo com a ala conservadora do Partido Republicano.

Essa paz de brancos começou a ruir com a emancipação negra e a imigração. Os novos eleitores passaram a apoiar desproporcionalmente o Partido Democrata. Os democratas não-brancos representavam 7% do partido em 1950. Em 2012 já eram 44%, enquanto os eleitores brancos representavam quase 90% do Partido Republicano.

Foi um dos motivos da quebra de regras de civilidade na política, com a radicalização cada vez maior da maioria branca.

Os evangélicos e a questão moral

Enquanto os democratas se tornavam cada vez mais um partido das minorias étnicas, o Partido Republicano ia radicalizando, como o partido do americano branco. A radicalização aumentou com a crescente participação das igrejas evangélicas na política a partir dos anos 70, em reação à decisão da Suprema Corte no caso Roe contra Wade, legalizando o aborto.

A partir da eleição de Ronald Reagan, em 1980, o Partido Republicano adotou posições crescentemente pró-evangélicas, com oposição do aborto, apoio ao direito de oração nas escolas públicas, oposição ao casamento gay.

Em 2016, 76% dos evangélicos brancos se identificavam com os republicanos, enquanto os eleitores democratas se tornavam mais seculares. A porcentagem de democratas brancos que frequentavam igrejas caiu de 59% nos anos 1960 para menos de 30% nos anos 2.000.

A questão social e a perda de status

Um dos pontos que abordei bastante, para tentar explicar a radicalização da mídia brasileira pós-2005 – e que incluí em O Caso de Veja – era a perda de status social da classe média, com a ascensão das classes de menor renda.

O livro descreve o mesmo fenômeno nos Estados Unidos, citando o ensaio do historiador Richard Hofstadter em 1964, em “The Paranoid Style in American Politics”. Ele denominava de “ansiedade de status”:  quando o status, a identidade e o sentido de pertencimento de grupos sociais são percebidos como estando sob ameaça, induz a um estilo de política que é “excitável demais, desconfiado demais, agressivo, pretensioso e apocalíptico demais”. A luta contra o status declinante da maioria foi o combustível que passou a abastecer a animosidade da direita americana até resultar no Tea. Party e na direita branca. Nada diferente do que ocorreria depois no Brasil.

Diz o livro: “Políticos republicanos de Newt Gingrich a Donald Trump aprenderam que, numa sociedade polarizada, tratar rivais como inimigos pode ser útil –e que promover a política como guerra pode apelar àqueles que receiam ter muito a perder”.

Nos Estados Unidos e no Brasil, a consequência foi a erosão da confiança e das grades de proteção que garantiam a democracia contra lutas sectárias mortais.

A ascensão da mídia de direita

No Brasil, de 2005 até no pós-impeachment, a mídia brasileira foi majoritariamente de direita, explorando o novo mercado que se abria e atacando todos que não concordassem com suas teses, repetindo o padrão Rupert Murdoch e sua Fox News.

Segundo o livro, “a ascensão da mídia de direita (nos Estados Unidos) também afetou os mandatários republicanos. Durante a administração Obama, os comentaristas da Fox News e personalidades radiofônicas de direita adotaram quase todos uma posição “sem concessões”, atacando maliciosamente qualquer político republicano que rompesse com a linha do partido. E, com isso, jogando o partido cada vez mais para a direita, em um fenômeno que, no Brasil, produziu os mesmos efeitos sobre o PSDB.

Todos esses fatores explicam a radicalização política brasileira que resultou no bolsonarismo – um fenômeno muito mais duradouro e independente de líderes do que a figura pública de Bolsonaro.

Mas o que explicaria a arrancada final, de aniquilamento de um partido político relevante, conduzido por pessoas com histórico democrata e de respeito aos direitos humanos?

Peça 3 – os atores no golpe final na democracia

Há sinais cada vez mais nítidos de que está a caminho uma tentativa de inviabilização do PT como partido político. Esses sinais já chegaram a Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Seria o golpe final na etapa de democracia mitigada no país.

As instituições brasileiras padecem, hoje em dia, da síndrome da ordem unida.

Percebendo como inevitável o advento do poder militar, tratam de se antecipar ao que julgam que os militares pensam. Pagam o óbolo para a travessia do Egeu rumo ao novo inferno que se avizinha.

Hoje em dia, todas as instituições – do STF (Supremo Tribunal Federal) à PGR (Procuradoria Geral da República) – praticam as arbitrariedades que julgam ser do gosto do poder militar. Não precisa nem ordenar.

No caso do STF, houve a decisão estapafúrdia do presidente Dias Toffolli, de colocar um militar como assessor, para orientá-lo sobre as suscetibilidades do poder militar.

No caso da PGR, a atuação recente da Procuradora Raquel Dodge transforma seu antecessor, Rodrigo Janot, em um mero aprendiz no desmonte das garantias jurídicas. As demagogias punitivistas de Luis Roberto Barroso e Luiz Edson Fachin seguem essa receita do seguro pessoal.

As três peças centrais atuais desse golpe final contra a democracia são a Procuradora Geral da República Raquel Dodge, o vice procurador e subprocurador eleitoral Humberto Jacques de Medeiros, e, como representante da Lava Jato, o juiz brasiliense Vallisney de Souza Oliveira.

Dodge, Humberto e o TSE

Raquel Dodge tem avançado em duas frentes: as ações espetaculosas contra políticos e as investidas no âmbito do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) – essa última frente sob a responsabilidade de Humberto Medeiros.

Medeiros considerou normal a movimentação no WhastApp – dois dias antes da própria empresa admitir as manipulações. Depois, revelou tardiamente as medidas sugeridas pelo próprio WhatsApp para combater as fakenews. Recentemente, instruiu a PGR a dar parecer favorável às contas de Bolsonaro.

Ao mesmo tempo, ambos – Dodge e Medeiros – denunciaram Lula pela campanha eleitoral, exigindo a restituição de R$ 14,5 milhões gastos no período em que Lula era candidato.

O MPF (Ministério Público Federal) é o maior defensor da cooperação internacional. Tem sido o órgão de fato na gestão das parcerias, atropelando o próprio Ministério da Justiça. Tem se manifestado em inúmeras ocasiões em defesa dos tribunais internacionais.

Dodge preferiu atropelar todo esse histórico, inclusive sua própria história, de egressa da área dos direitos dos cidadão, minimizar o parecer da missão especial da ONU – considerando o direito de Lula se candidatar -, a expectativa que cercou, até o último momento, a autorização para Lula se candidatar ou não, e tratar toda uma estratégia eminentemente política como burla, exigindo a devolução dos gastos de campanha, tudo com uma retórica típica de comentarista da Jovem Pan.

A Lava Jato e a organização criminosa

Na outra frente, há o fator Antonio Palocci. Os procuradores da Lava Jato não aceitaram a delação de Palocci – coincidentemente logo após ele sugerir que poderia incluir instituições financeiras e órgãos de mídia. Alegou-se que não apresentara provas.

De repente, a delação ressurge pelas mãos da Polícia Federal, focando exclusivamente os governos Lula e Dilma. E serve de base para o juiz Vallisney de Souza Oliveira aceitar a acusação de organização criminosa formulado pelo procurador, com base na delação não aceita pelo MPF.

O que está por trás desse jogo de sombras? Por que a Lava Jato não aceita uma delação que traz para a primeira cena novos personagens – mercado e mídia – e, logo depois, a delação ressurge pelas mãos da PF em cima exclusivamente da receita usual da Lava Jato?

Uma das narrativas possíveis é a seguinte.

  1. Provavelmente Palocci apresentou um documento inicial sobre os termos da delação oferecida, incluindo mercado financeiro e mídia.
  2. Por razões políticas, questões táticas ou motivações obscuras, a Lava Jato não quis mexer com mercado e mídia. Ao mesmo tempo, não poderia ignorar os termos iniciais propostos por Palocci. Ou seja, qualquer delação de Palocci para o MPF teria que necessariamente incluir as propostas iniciais apresentadas.
  3. A saída dos procuradores, então, foi recusar a delação proposta por Palocci, zerar os seus termos e refazê-la via Polícia Federal, em cima do mesmo conteúdo de todos os demais delatores.

Quando se sair desse período de ilegalidades e lusco-fuscos, será possível saber as razões objetivas desse jogo Palocci-MPF-PF.

Peça 4 – o estado policial

Hoje, o filho mais extravagante de Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, afirmou no Twitter que as políticas de atenção aos viciados em crack – da gestão Fernando Haddad – apenas ajudaram a aumentar os preços do crack no mercado paulista. A afirmação estapafúrdia foi “curtida” pelo general Alberto Heleno.

Episódios desse tipo vão consolidando o que se espera do governo Bolsonaro no plano moral e ideológico. Será o tema exclusivo da prole Bolsonaro, o game para ele se divertir e fingir que governa.

Por outro lado, a indicação do almirante-de-esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior para Ministro das Minas e Energia mostra a consolidação dos militares como eixo racional do governo Bolsonaro. Albuquerque Junior é diretor geral de desenvolvimento nuclear e tecnológico da Marinha, faz parte do conselho de administração da Nuclebrás, e participou de um dos maiores feitos tecnológicos brasileiros: o desenvolvimento nuclear, especialmente o enriquecimento do urânio.

Como se viu no artigo “Xadrez da nova corte e as fragilidades de Bolsonaro”, o núcleo dos financiadores de campanha – o advogado Gustavo Bebiano, o dono do PSL, Luciano Bivar, e o lobista carioca Paulo Marinho – planejavam controlar os principais contratos do governo. Um dos campos mais visados era justamente nas Minas e Energia, onde pretendiam emplacar Paulo Pedrosa, executivo controvertido, ex-Secretário Executivo do Ministério de Minas e Energia.

Além da intenção de privatizar a Eletrobras por uma ninharia, o nome de Pedrosa despertou desconfianças em vários setores empresariais, dos distribuidores de gás aos de combustíveis.

A indicação de Albuquerque Júnior mostra que o grupo militar está conseguindo estender redes de proteção para impedir as grandes tacadas contra ativos públicos.

Por outro lado, o vazamento de uma operação da Polícia Federal contra o futuro superministro Paulo Guedes, demonstra claramente que o estamento jurídico-militar – representado pelo futuro Ministro da Justiça Sérgio Moro – tentará manter todo o Ministério Bolsonaro sob rédea curta.

Fica-se assim, então:

  1. O núcleo militar se consolidando nas áreas críticas e ligadas à infraestrutura, conferindo a racionalidade capaz de dar sobrevida ao governo, mesmo com o besteirol do núcleo presidencial, e criando blindagem contra os grandes negócios que estavam sendo planejados.
  2. Ao grupo bolsonariano – família, mais ministros medievais – será entregue o playground das disputas morais e ideológicas.
  3. O núcleo jurídico-militar se consolidará em torno de Sérgio Moro, instituindo de forma profissional a república policialesca e se tornando um poder autônomo, acima de Bolsonaro. Sob os holofotes, é capaz que a mística de Moro se esfumace rapidamente.
  4. STF, PGR, os Barroso, Dodge e assemelhados antecipando-se às ordens militares, radicalizando para se credenciarem sob as asas de Sérgio Moro e, com seus maus exemplos, escancarando as portas do arbítrio na ponta.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

64 comentários

  1. O que está ocorrendo no

    O que está ocorrendo no Brasil tem repercussão em todo o mundo. O país se transformou em um laboratório onde o fascismo testa suas novas táticas. Se essa experiência for bem sucedida ela tenderá a se espalhar não só para a América Latina como também para todas as regiões do mundo, inclusive para a Europa. Não é por acaso que importantes lideranças políticas europeias estão atentas e solidárias ao que ocorre com o Lula e o PT.

    O Brasil se transformou no palco de uma guerra mundial silenciosa. Por isso é fundamental que a resistência ao governo Bolsonaro e ao estado de exceção extrapole as fronteira do país. Infelizmente o PT e os movimentos sociais não tem força suficiente para se contraporem a toda a estrutura montada pelos golpistas. A solidariedade internacional é fundamental nesse contexto.

    Em março de 2019 o Comitê de Direitos Humanos da ONU condenará o estado brasileiro pela perseguição ao Lula. Essa condenação será muito importante para intensificar a denuncia internacional contra as arbitrariedades que estão ocorrendo no país. Assim como a campanha pela premiação do Lula Nobel da Paz será igualmente importante como forma de denúncia internacional sobre tudo o que está ocorrendo no Brasil atual.

    É preciso apelar para mais instâncias internacionais, como o Tribunal Penal Internacional em Haia, quanto a perseguição que o PT e os movimentos sociais brasileiros estão sofrendo no país. Há um dispositivo no Estatuto de Roma que rege o TPI que diz o seguinte:

    “Artigo 7º  Crimes contra a Humanidade

    1. Para os efeitos do presente Estatuto, entende-se por “crime contra a humanidade”, qualquer um dos atos seguintes, quando cometido no quadro de um ataque, generalizado ou sistemático, contra qualquer população civil, havendo conhecimento desse ataque: 

    (…)

    h) Perseguição de um grupo ou coletividade que possa ser identificado, por motivos políticos, raciais, nacionais, étnicos, culturais, religiosos ou de gênero, tal como definido no parágrafo 3o, ou em função de outros critérios universalmente reconhecidos como inaceitáveis no direito internacional, relacionados com qualquer ato referido neste parágrafo ou com qualquer crime da competência do Tribunal;”

    Apelar para as instâncias de direito internacional chamaria a atenção para outras polêmicas envolvendo a derrubada a presidenta Dilma, a prisão injusta e o impedimento da candidatura do presidente Lula, sobre os abusos e fraudes cometidos nas eleições de outubro por meio de redes sociais e expor a total conivência do sistema de justiça com tudo o que está ocorrendo, assim como denunciar as ameaças declaradas dos militares.

    A situação do Lula lembra muito a de Nelson Mandela. O líder sul-africano só conquistou a liberdade depois de muita mobilização nacional e principalmente internacional. Após conquistar a sua liberdade em 1990 e ficar claro para o mundo o envolvimento da CIA na sua prisão injusta, Nelson Mandela recebeu o prêmio Nobel da Paz em 1993 e no ano seguinte foi eleito presidente. Na presidência, o novo nobel da paz mobilizou o país inteiro para aprovar uma nova Constituição e modernizar as instituições democráticas da África do Sul, abolindo o apartheid das principais instituições pública do país.

    Algo muito semelhante com o que ocorreu com o Nelson Mandela poderá ocorrer com o Lula. Se o Lula for eleito Nobel da Paz seria uma derrota gigantesca para todos os setores que promoveram o golpe e estão promovendo o estado de exceção no Brasil. O Lula merecia receber o prêmio Nobel da Paz em outubro de 2019.

     

    • O que diria o Poeta?
      Há tragèdia em toda parte
      O Planeta tá morendo
      O desespero dos africanos
      A culpa dos americanos

      O Brasil vai ensinar o mundo
      A convivência entre as raças
      Preto, branco, judeu, palestino
      Porque aqui não tem rancor
      E há um jeitinho pra tudo
      E há um jeitinho pra tudo
      Há um jeitinho pra tudo Cazuza, O Brasil vai ensinar o mundo

    • Lula ser eleito Nobel da páz

      Lula ser eleito Nobel da páz é impossível. Em 2018 deram para dois NADAS para não dar para ele, afinal, Esse prêmio cairia como uma bomba entre os dois turnos e atraplharia o caminho do Mito !!!

      A Noruega é a dona do Nobel e dona do pré-sal. Lucra com o governo Bolsonaro !!!! 

      Noruega é um dos países do qual Lula é prisioneiro.

  2. E, depois, avaliar se o regime atual é de democracia ou de ditad

    Faltou essa avaliação mas é obvio e ululante que estamos numa ditadura desde pelo menos 2014 quando Gilmar tentou, via TSE, cassar os votos de Dilma e “mudou de ideia” quando o telhado era o de Temer.

  3. É isto: um governo de

    É isto: um governo de imbecis, por imbecis para imbecis.

    Mas tem lógica: deixam os imbecis governarem porque o objetivo sempre foi desmanchar o Estado Nacional Brasileiro.

    Só não viu quem não quis.

    • É isto: um governo de

      Estamos sem Presidente da República desde 17 de abril de 2016, aquele que entrou pela janela, é um usurpador, na sua saída, continuaremos sem Presidente, quem vai substituí-lo, não deve e nem pode ser chamado de Presidente da República Federativa dos Estados Unidos do Brasil, mas PREPOSTO dos interesses dos Estados Unidos da América.

  4. A diferença entre Temer e Bolsanaro
    Temer anulou todos os avancos obtidos no governo petista, botando a culpa nos proprios petistas; o bolsa naro vai recuar o Brasil para antes da era fhc-collor- $arney e vai culpar os petistas

  5. Ayer un Niño que bricava me habló en portuñol
    Que ditadores passam mais cedo ou mais tarde, portanto, nao tenha medo porque esse tempo vai passar mais cedo que podemos imaginar

  6. Sempre achei isso,,,,que com
    Sempre achei isso,,,,que com Bolsonaro iria começar uma perseguição implacável visando destruir não só o PT, mas qualquer resistencia “a nova ordem”,,,,

    E o indulto de Natal de Temer e decisão do STF,,,o que será que os militares acham disso?

    • Afinal quem é que manda nesse galinheiro
      Vc tem qur perguntar o que a raposa Trump acha do indulto do temer, que irá pra Embaixada de Roma inpunemente. Afinal quem manda nao sao os galinaceos, mas a raposa
      Base de Alcantara nao acham nada, exceto ianques

  7. Como o Ulisses disse, a

    Como o Ulisses disse, a política é como um céu cheio de nuvens, que muda rapidamente a cada instante. Nada é tão comparativo ao governo Frankenstein d o bolsonaro que isso.A verdade da manhã  pode parecer ter séculos de história já no periodo da tarde. Tudo é muito mutável neste nosso obscuro momento que passamos. Mas se considerarmos os precedentes, tem coisas que são inevitáveis de acontecer. Por exemplo:

    Pt perseguido execrado em seus expoentes toda vez que bolsonaro e moro se verem em apuros em termos de popularidade;

    Perda de todos os direitos possíveis dos trabalhadores, pois este congresso que foi eleito consegue ser bem pior do que o que está hoje em Brasília;

    Apesar de uma possível restrição dos militares a entrega total do patrimônio nacional, na hora do vamo vê econômico, são as jóias vendidas da vovó que salvará o orçamento da casa. Isso porque, não consigo ver nacionalista verdadeiro neste grupo de milicos que o bolsonaro quer pôr lá.

    A m´dia babando o saco do bolsonaro pra conseguir uns caraminguás pra fechar a conta no final do mês. Alias, temos que dar a mão à almatória. O capitão est´la tratando a mídia porca como ela merece.Usar as redes sociais pra anunciar ministro, é um deboche, um escánrio bem, bem merecido por estes bocós moralistas de microfones e câmeras nas mãos

    Reação? 

    Primeiro a esquerda tem se organizar nas redes, sem esperar movimentos das lideranças. Ou alguém sabe de onde e de quem partiu a movimentaçaõ que gerou esta coisa louca de direita enraizada das mídias sociais. Não espere movementos de lideranças, porque não virão, porque não vieram até agora. 

    Tirem a roupa vermelha e vistam-se de povão de camiseta e calção. Aí os indiferentes vão ver gente comum nas ruas e não só movimentos de esquerda. Infelizmente o povo ainda se assusta com a idéia de fazer política. Ao se ver povo mesmo, ele se sente em casa. Falo isto, pois acho que o brasil profundo, este sem camisa da seleçaõ e sem bonlé vermelho não particpou de nada destes fatos que ocorreram no brasi l ultimamente. E o brasil só toma jeito quando esta parcela da população acordar.

  8. Não será possível purificar a

    Não será possível purificar a sociedade e exterminar a oposição sem fazer expurgos dentro das Forças Armadas. Mas o nível de tensão dentro delas é ignorado. Salvo algumas e honrosas exceções, a Guerra Fria unificou os militares em torno do golpe de 1964. Até que ponto eles estão unificados em torno da implosão neoliberal do Brasil?

    • fato – forças ditas

      fato – forças ditas progressitas exageraram na critica, negando àqueles brasileiros qq direito a qq acerto (isso pra não dizer das sucessivas tentativas de revanchismos) ..verdade é que nenhum dos lados poderia ter querido puxar pra si a razão prum momento histórico pra lá de atribulado e que nunca foi superado  ..faltou tato, maturidade, humildade e mea culpa de ambos os lados

      Outra coisa que ninguém fala foi o ERRO DE LULA em ter colocado uma “ex terrorista” pra comandar as tropas  ..aquilo, fora os desafios da politica de alinhamento  SUL SUL e BRICs (que ainda divide os comandos) foi a gota

      Tenho comigo que essa foi a VERDADEIRA RAZÂO do golpe partido das FFAA  ..o resto foi alibi e momento

      Fora que, visto de hoje, dar o GOLPE, pelo lado da JUSTIÇA, foi coisa das mais fáceis  ..pegaram UM JUÌZ de piso  ..aliaram ele a outros 3 no TRF  ..colocaram UM no STJ, e o revolver na cabeça de 6 ou 7 do STF  ..pronto  ..uma duzia de MALgistrados trataram de jogar a democracia do BRASIL no lixo  ..e isso com aval e COVARDIA da OAB e MP, que sabem muito bem a força e o estrago que um fusil faz, e o bem que causa navegar a favor do vento

        • eu falo sim
          BOZO não deveria

          eu falo sim

          BOZO não deveria estar livre  ..até hoje comete crimes  ..atentou contra a democracia  ..praticou apologia ao racismo, estupro, erradicação de adversários  ..insufla preconceitos contra mulheres, negros, indios, gays e minorias  ..é um ANIMAL

          agora, daí a eu negar que não há exagero do lado de cá vai um caminhão

          por exemplo com a tentativa de se rever, só prum lado, a lei da anistia (iniciativa precaria que pacificou o país)  ..ou a retirada de nomes de personalidades (de ambos os lados) de logradouros publicos

          pra que  ..infantilidade ..PROVOCAÇÂO, revanchismo  ..radicalismo estupido

          • Bolsonaro é o presidente

            Bolsonaro é o presidente covarde e incompetente que a CIA adora colocar em repúblicas bananeiras. Ele serve para fazer macaquices e distrair a população enquanto os verdadeiros mandantes fazem o que querem.

  9. tem muita farinha nesse angu 

    tem muita farinha nesse angu  ..melhor separar os temas pra não dar confusão

    Penso que o missivista se esqueceu de falar tb do pecado de alguns ditos progressistas (como com a lei que criou a delação premiada, mas que não pesou devidamente as possibilidades e consequências quando estas são feitas encima de mentiras)

    ..alguns progressistas, notamente INOCENTES, e alguns parvos, agiram como se o mundo fosse feito de fadas, duendes, de pessoas de bem, fraternas, que moravam em casas de chocolate ou palácios de quindim, e que todos preservariam a democracia mais que suas próprias vidas, valores ou interesses  ..e claro que a realidade nunca foi assim.

    O MISSIVISTA se esqueceu, por exemplo, de CRITICAR a mudança nas regras que TIROU PODER econômico dos partidos ditos de esquerda ..que delegou ao Estado o papel de financiar as campanhas, ela que tolheu a força dos sindicatos, e em nome dum teatro moral abriu um corredor pra IGREJAS, bilionários, entidades patronais, e todo tipo de facção criminosa pra financiar seus agentes (normalmente de direita)

    Hoje, fato, inclusive contando com o FIM das contruibuições sindicais, ficou mais do que claro que os ditos “democratas” de direita FINALMENTE resolveram atacar o bolso das forças “proletárias” ..medida esta que tem o potencial de ANIQUILAR por completo qq resistência

    ..some a isso a lei da bengala e a interpretação dada pra indulto presidencial, e veja o cipoal de ferramentas que estes GOLPISTAS adquiriram  ..ferramentas que ATÈ PODERÃO ser vendidas por canal de TV PUBLICA FEDERAL que, em tese, os poetinhas da esquerda pensavam que poderia desempenhar uma função social, tipo BBC, dentro dessa aldeia de informações brasileiras (embora eu mesmo duvidasse das intenções daquela inciativa, que de idealista quase ou nada trazia)

    nota – sobre Heleno e a política de HADDAD  ..convenhamos, esse assunto foi JOGADO no texto e nem tinha o porque  ..até podemos falar dele especificamente um dia  ..VERDADE é que pela lógica a política do Haddad fez isso mesmo, deu dinheiro pra viciado  ..fora que, pra efeitos praticos, isso NÂO MUDOU EM NADA a realidade daqueles coitados ..foi, pra mim, SEM DUVIDA, um experimentalismo IRRESPONSÀVEL, a começar que foi tocado por um Município, e não pelo Estado ou Federação que teriam mais recursos pra este tipo de intervenção.

     

  10. Uma premissa questionável

    Muito acurada e elucidativa a a análise de Nassif, como de hábito.

    Mas podemos questionar uma premissa, adotada sem um amparado argumentativo mínimo: a de que as forças armadas  (FFAA) teriam uma racionalidade mais aprimorada e favorável à sociedade nacional, o que as levariam, portanto, atuarem em prol dos “interesses nacionais” e em defesa de um mínimo de soberania do Estado nacional.

    Será que esta premissa é sustentável à luz da experiência histórica?

    Ou seja: seriam as nossas FFAA uma agrupamento institucional nacionalista, em contraposição a uma elite cosmopolita como a brasileira ou, ao contrário, a despeito de alguns elementos e eventos de cunho nacionalista,as FFAA seriam igualmente cosmopolita e, estrategicamente, conformam um papel subordinado e alinhado ao core do sistema interestatal capitalista – Vale dizer, os EUA/OTAN?

    Se levarmos em conta o passado recente, a segunda alternativa parece ser a mais plausível. Afinal, as FFAA abraçaram a agenda neoliberal dos anos 1990 de FHC e voltaram a dar sustentação à agenda ultraliberal de Temer, cujo ato simbólico é a entrega da EMBRAER  à Boeing, sem falar na criminalização do vantajoso acordo Brasil/SAAB (antagônico aos interesses americanos) e o desmantelamento em curso da engenharia nacional, com comprometimento de diversos projetos estratégicos nacionais, como o do submarino nuclear.

    Ao que parece, considerando estes elementos recentes, parte dos vetores que incidiram e configuraram a política externa do governo Geisel, antinômica e antipática a muitos dos interesses americanos, não passou de um ponto fora da curva de uma longa trajetória de submissão imitativa e de adesão entreguista das FFAA ao imperialismo de ocasião.

    Nesses termos, considerando uma FFAA convergentes com a reinscrição do Brasil na órbita da política da Casa Branca, em completa submissão o aos interesses dos EUA, temos um cenário prospectivo muito mais desanimador, de uma sociedade nacional inconclusa e em rápida degeneração.

  11. Uma premissa questionável

    Muito acurada e elucidativa a a análise de Nassif, como de hábito.

    Mas podemos questionar uma premissa, adotada sem um amparado argumentativo mínimo: a de que as forças armadas  (FFAA) teriam uma racionalidade mais aprimorada e favorável à sociedade nacional, o que as levariam, portanto, atuarem em prol dos “interesses nacionais” e em defesa de um mínimo de soberania do Estado nacional.

    Será que esta premissa é sustentável à luz da experiência histórica?

    Ou seja: seriam as nossas FFAA um agrupamento institucional nacionalista, em contraposição a uma elite cosmopolita como a brasileira ou, ao contrário, a despeito de alguns elementos e eventos de cunho nacionalista, as FFAA seriam igualmente cosmopolita e, estrategicamente, conformam um papel subordinado e alinhado ao core do sistema interestatal capitalista – Vale dizer, os EUA/OTAN?

    Se levarmos em conta o passado recente, a segunda alternativa parece ser a mais plausível. Afinal, as FFAA abraçaram a agenda neoliberal dos anos 1990 de FHC e voltaram a dar sustentação à agenda ultraliberal de Temer, cujo ato simbólico é a entrega da EMBRAER  à Boeing, sem falar na criminalização do vantajoso acordo Brasil/SAAB (antagônico aos interesses americanos) e o desmantelamento em curso da engenharia nacional, com comprometimento de diversos projetos estratégicos nacionais, como o do submarino nuclear.

    Ao que parece, considerando estes elementos recentes, parte dos vetores que incidiram e configuraram a política externa do governo Geisel, antinômica e antipática a muitos dos interesses americanos, não passou de um ponto fora da curva de uma longa trajetória de submissão imitativa e de adesão entreguista das FFAA ao imperialismo de ocasião.

    Nesses termos, considerando as FFAA convergentes com a reinscrição do Brasil na órbita da política da Casa Branca, em completa submissão aos interesses dos EUA, temos um cenário prospectivo muito mais desanimador, de uma sociedade nacional inconclusa e em rápida degeneração.

  12. Xadrez do golpe derradeiro contra o estado de direito

    -> A indicação de Albuquerque Júnior mostra que o grupo militar está conseguindo estender redes de proteção para impedir as grandes tacadas contra ativos públicos.

    após serem capitaneados triunfalmente de volta ao governo montados num cavalo chucro, os Generais deveriam manter tanto o seu próprio besteirol anacrônico (como “perigo vermelho” e o “Movimento de 1964”), quanto as grotescas pautas BolsoNazis (como “Escola sem Partido” e embaixada em Jerusalém), devidamente confinados às bolhas do FaceBook e dos grupos de WhatsApp.

    até mesmo porque lhes cabe acompanhar 24×7 a evolução do gráfico postado acima.

    e quanto a isto de nada valerá a consultoria de Paulo Guedes. o qual, quando muito, emitirá os costumeiros chavões sobre uma economia dos EUA “bombando”. e ao ser indagado especificamente sobre o pico dos juros do FED em 2018, poderá, quem sabe, tagarelar alguma pseudo análise técnica do tipo: “a atual tendência de alta encontrará forte resistência em superar o pico de 2008”.

    com certeza os Generais sempre tão obcecados com o resgate do passado por parte das Comissões da Verdade, estarão diante de um inesperado acerto de contas com seu fracasso anterior, quando tudo parecia tão sólido durante o Milagre Econômico.

    antes que algum abutre neoliberal associe o impacto brutal do Choque do Petróleo, em 1974, com a resistência de Geisel de então privatizar a Petrobrás, a correlação a ser feita se dá entre o crash do encilhamento do mercado de ações, no cenário interno, e o fim do padrão monetário Dólar-Ouro, no âmbito global. ambos ocorridos em 1971.

    ressurge o fantasma da inadimplência das hipotecas nos EUA. a situação salarial dos deploráveis continua ainda mais deplorável. o trickle down de Trump gera não mais do que uma bolha de empregos altamente precarizados e de remuneração insuficiente.

    aproxima-se um novo repique da Crise de 2008.

    esta é a verdade com a qual os Generais vão se encarar. não haverá como mantê-la em algum porão ou numa casa da morte.

    .

    • A crise do início dos anos 70

      A crise do início dos anos 70 teve papel crucial no debacle do projeto dos militares  (petroleo e juros nas alturas, criação da OPEP)

      ..o BRASIL – Estado – quebrou, não tinha grana (dólar) pra importar nem o básico  …classe meída e bolsa foram pro saco ..as exportações, eram bem menos diversificadas, empacaram  ..caimos no cólo do FMI

      “inflação aleija, crise cambial mata” 

      ..e só nos livramos da crise cambial crônica (que nos internou INFLAÇÂO e Estado esqualido por décadas) pelas confluências PATROCINADAS e facilitadas pelos governos maravilhosos (pelas conquistas dadas em tão pouco tempo) de LUIZ INACIO LULA DA SILVA

      • Data venia
        Alhos nada têm ver com bugalhos. Defender as medidas de inclusão pelo consumo não implicam em rasgar os fundamentos da política econômica…

        Essas medidas não nos livraram de nada.

        400 ou 300 bi se reservas não aguentam trinta segundos de ataques de fundos de trilhões…

        A inflação foi transformada em dívida pública (juros) e boa parte de nós da esquerda ainda acredita no trololo do déficit zero e de responsabilidade fiscal pagando montanhas de dinheiro as bancas.

        Antes ao menos podíamos emitir, hoje nem isso.

        Keynes não salvava em 1950 muito menos agora.

        O capitalismo é irreformavel senhores.

      • Xadrez do golpe derradeiro contra o estado de direito

        -> e só nos livramos da crise cambial crônica (que nos internou INFLAÇÂO e Estado esqualido por décadas) pelas confluências PATROCINADAS e facilitadas pelos governos maravilhosos (pelas conquistas dadas em tão pouco tempo) de LUIZ INACIO LULA DA SILVA

        e agora estes baderneiros direitistas vandalizando o Arco do Triunfo, arregimentados pela CIA em mais uma primavera híbrida para derrubar o companheiro Macron. quem eles pensam que são para querer abolir o sistema?

        .

        • e o que dizer do

          e o que dizer do “proletariado”, da horda de miseráveis, que esta sendo MANIPULADA e instigada a tentar invadir os EUA pelo México ??!!

          Fala verdade, isso mais atrai VOTO pra reeleição de TRUMP do que consegue solidariedade por parte da sociedade americana e do mundo, né não ?!

          Inocentes ..aquilo é coisa da CIA tb  ..os afetados acabam sendo UTEIS a causas contrárias às suas e nem se dão conta

          • Xadrez do golpe derradeiro contra o estado de direito

            -> e o que dizer do “proletariado”, da horda de miseráveis, que esta sendo MANIPULADA e instigada a tentar invadir os EUA pelo México ??!!

            o Brasil continua batendo seus próprios recordes: já pioramos e passamos a ser o 9o. país mais desigual do mundo. e SP é o estado onde a desigualdade é maior.

            caso SP fizesse fronteira com os EUA, seria necessário a CIA manipular os deploráveis locais para eles tentarem imigrar ilegalmente?

            do mesmo modo, não há em curso qualquer “primavera híbrida” de coletes amarelos em Paris. as pessoas, lá como aqui, em toda parte, estão fartas “disto que está aí”.

            e isto que está aí tem nome: Capitalismo. mesmo que as pessoas ignorem. ou mesmo que não concordem.

            vídeo: ‘Humanity should be put first, not money’- Paris protests see Yellow Vests

            [video: https://www.youtube.com/watch?v=eQTw5us49is%5D

            .

        • Telegramas do fim do mundo
          Sugestão de leitura: vivendo no fim dos tempos de slavoj žižek…

          Nosso erro é tentar capturar a causa desses movimentos deixando de entender que o que importa de verdade é o estrago que esses movimentos podem causar no mundo que se derrete.

          Por isso, a CIA, Mossad e outros não hesitem em se apropriar do sentido dessas lutas.
          Quando vacilaram em 1917, os bolcheviques transformaram protestos de crianças velhos mulheres e veteeanos famintos na URSS.

          Não importa quem cria as primaveras mas sim quem controla sua narrativa.

          Não há movimento de ruptura de derive de amplas ondas de consciência de classe.

          Os donos do capital leram Marx bem antes de nós é pior… entenderam.

          • Xadrez do golpe derradeiro contra o estado de direito

            -> Não importa quem cria as primaveras mas sim quem controla sua narrativa. Não há movimento de ruptura de derive de amplas ondas de consciência de classe.

            as insurreições contemporâneas ainda não conseguiram parir as Revoluções. não será uma gestação fácil, rápida e bonita.

            em 1848 a Primavera dos Povos inspirou, e foi inspirada pelo Manifesto Comunista – o qual nos inspira até hoje. ainda assim, não resultou em nenhuma vitória da Revolução.

            mesmo a Revolução de 1917, há aqueles que a caracterizam como uma Contra-Revolução (assunto complexo e muito polêmico).

            caso haja (e vai haver) um forte repique da Crise de 2008, algum Grande Irmão chinês será outra vez capaz de salvar o mundo capitalista tal qual o conhecemos?

            provavelmente não.

            a insatisfação e o descontentamento, a raiva e o ódio, crescem por toda a parte. já não se trata de perfumar o Capitalismo, pois seus gestores globais desistiram de fazê-lo.

            há agora parcelas imensas da população simplesmente deixadas para morrer. o modelo é de um lado os condomínios privês, onde habitam os eleitos: smart people. do outro, zonas conflagradas, o dejeto humano, a Faixa de Gaza.

            pode dar certo? provavelmente não.

            e o Capitão cercados de Generais quanto a isto? pode dar certo?

            .

             

          • Telegramas do fim do mundo…
            Filmografia sugerida:

            Laranja mecânica de Kubrick…

            Matrix…o primeiro…

            No country for the old men…

            Black mirror….

    • Telegramas do fim do mundo
      Sugestão para leituras de fim de mundo:

      Economia das crises de nouriel roubini e a loucura da razão econômica de Harvey…

      O que você narra é representado por roubini como gráfico em “W”.

      não há mais caro amigo relação teleologia entre a produção de valor e sua realização em dinheiro com o mercado produtor de “dinheiros”.

      É o fim do mundo como conhecemos.

      • Xadrez do golpe derradeiro contra o estado de direito

        -> a loucura da razão econômica de Harvey…

        -> É o fim do mundo como conhecemos.

        atendendo a esta mesma sugestão feita por vc anteriormente (aqui), comprei então o livro “A Loucura da Razão Econômica”.

        não sou muito fã do texto do Harvey, prefiro ele falando. mas isto é idiossincrasia minha – talvez mesmo uma limitação – que em nada compromete a qualidade do livro.

        no último capítulo, há algo de importância total para compreender o “fim de mundo” no qual estamos metidos. Harvey apresenta uma interessante relação entre:

        – a reconstrução de Paris para torná-la a “Cidade Luz”, Haussmann a partir de  1853, viabilizando a pax de Luís Bonaparte até sua desembocadura no massacre da Comuna de Paris, em 1871;

        – a GI Bill nos EUA, para absorver os vets da II Guerra na economia, impedindo a desestabilização provocada pelo desemprego através de investimentos de guerra na infraestrutura, e viabilizada pela pax do machartismo. indo até a crise do mercado imobiliário na década de 1970 e a instabilidade criada pela Geração de 1968;

        – o PC Chinês “salvando” o Capitalismo na Crise de 2008, ao construir cidades inteiras até hoje desabitadas, consumindo para isto de 50% a 70% dos recursos minerais do mundo – sendo que entre 2011 e 2013 a China consumiu mais cimento do que os EUA ao longo de todo o séc. XX.

        é muito louco! completamente irracional. se um outro mundo já não é mais possível, ao menos precisamos de um outro fim de mundo, que não esse…

        .

        • Telegramas do fim do mundo
          O primeiro fim mundo como os de então conheciam se deu com o fim da escravidão… o desfecho demorou até o fim da 2a. Guerra. Não sem antes dezenas de conflitos sangrentos em esfera regionais, desde a secessão… 1848 e 1871… Franco prussiano… Nipo soviéticos… dos boers… ópio etc.

          Agora é o fim do mundo pelo fim do trabalho livre assalariado como agregado da produção de valor… ou seja o fim do próprio capitalismo produtivo.

  13. Quando militares dão ordens

    Quando militares dão ordens ao STF e os juízes aceitam e até se antecipam aos seus desejos, o significado disto é ditadura. A análise do Nassif em relação a Moro parece-me que corresponde à realidade. Quanto ao restante, os elementos levantados são, a meu ver, efeitos e não causas. Os motivos estão diretamente relacionados à crise do capitalismo e o Brasil, como afirmado pelo colega comentarista, tornou-se um laboratório do império norte americano. Se nada de diferente ocorrer a nível de sociedade civil, o país se transformará em um Estado policial, na tentativa, em última instância, de conter a rebelião social.

    • ahhh  ..vai ce fod?  !!!! 

      ahhh  ..vai ce fod?  !!!!  ..chegamos aonde chegamos por darmos vozes a pessoas com estes grau de conhecimento como vc

      Lembra do mensalão não ? dos arroubos dos Barbosa da vida ??!!

      O abuso vem de longe ..o judiciário aqui sempre foi do tipo “sabe com quem ta falando e eu engaveto mesmo”  ..vai estudar ao invés de propagar maledicências

       

       

      • vai ce fod vc

        Foi Lula quem supervalorizou os salários do funcionalismo, atraindo só concurseiros sem nenhum compromisso público.

        E que abriu mão de escolher o PGR?

        E as péssimas escolhas para o Supremo?

        Aliás você citou o Barbosa. Quem colocou o Barbosa lá?

        Estúpido.

         

        • Lula não deu golpe nem passa
          Lula não deu golpe nem passa moleque, muito menos reeleição

          Dentro do modelo e sistema herdados fez um governo memorável, inigualável

          Respeitou leis, instituições e ritos ..mesmo assim por dezenas de vezes foi humilhado e destratado ..hoje jaz esquecido

          Foi coerente e fiel a suas origens e eleitorado, a suas promessas e compromissos

          Do limão que recebeu nos deu limonada e suflair, um banquete de deuses

          Contra ele até hoje não apareceram provas críveis ..se houve, suas faltas são veniais ..mesmo assim sua memória ainda tem que carregar acusações levianas como as que vc nos traz

          Fosse o país mais esclarecido e tantos não estariam se atrevendo em expor suas ignorâncias e estupidez como vc fez

          Reitero o que disse, pois disse me sentindo ofendido por, impotente, ter que ler algo tão insano e injusto como vc se atreveu a escrever

          • Sim, Lula fez um governo

            Sim, Lula fez um governo memorável.

            Sim, Lula é vítima de lawfare.

            E sim, Lula é um preso político.

            Mas TAMBÉM alimentou o monstro que se voltaria contra ele depois.

          • O único banquete dos deuses

            O único banquete dos deuses que Lula deu foi os quase 10 trilhões que o governo do PT pagou pra turma do mercado financeiro em 14 nos de PT. e eles acharam pouco, tanto é que deram golpe na Dilma, prenderam Lula e elegeram Monstronazo, porque é assim que isso deveria ser chamado, bozo é quem vota nele.

            Mas issso que dá ter um governo de direita populista que se diz esquerda… 

            Esquerda de verdade faz reforma agrária, reforma tributária pra valer e não criação de simples, supersimples, REFIS e outros remendos que nada valem… Percisava era tributar dividendos e colocar alíquotas decentes de IR para o pesssoal que ganha +50 mil.

  14. Problema é que a classe
    Problema é que a classe política, único e verdadeiro crime organizado no país, abusou. Passou dos limites, dando azo a todo tipo de arbítrio que se insurja contra. Óbvio que há os bandidos de estimação do arbítrio, mas o que será menos venal ? Óbvio que há perseguição a Lula e ao PT, entretanto, como alguém que foi atiradeira deixou mostrar telhado de vidro?
    Triste sina deste país! Um pacto por refundação seria necessário.

    • bobagem  ..vc acreditou nisso

      bobagem  ..vc acreditou nisso tb ?

      A política foi criminalizada  ..a justiça e MP, com ajuda da mídia, fizeram a população perder noção de valor e de direito, dever  ..trilhão é igual a bilhão, milhão ou mil  ..cx 2 confudido com usura, ou cartel, crime econômico, com funcional, pior, com PROPINA (isso sem que se prove a contrapartida em diversos casos)

      hoje não se requer prova, só acusação, intuição  ..interessante que palestra de LULA é crime, a de dalanhol, Gilmar e Sergio Moro, não  ..uma MERDA duma cozinha prum presidente que administrou quase US$ 500 bi em investimento é punível com exilio …um ramalhete, jantar ou convites pra show e convescotes prum JUIZECO ordinário, não, é galanteio e reconhecimento

      O pior dos Poderes no BRASIL são os permanentes ..com eles nenhuma regra ou lei vinga ..estes que dão empregos pros filhos e parentes  ..a Judiciário e forças Militares, diga-se ..prova ? os carceres e a violência, a idade e solução dos processos, os engavetamentos e os PASSA MOELQUE como aposentadorias e ajuda de custo, pensões pras filhas solteiras, e por aí vai

      ..com estes poderes permanentes posando de redutos morais – eles que sempre estão envolvidos em TODOS os golpes – JAMAIS teremos uma democracia que preste

      aos poderes eleitos penso que devemos MUITO  ..a democracia, direitos trablhistas, civis, do consumidor e tantos outros  ..hospitais, escolas, estradas e benfeitorias  ..uma pena que a população parava não veja isso

      é a tal coisa, o LADRÂO gritou pega ladrão, e o idiota acreditou

       

  15. O PT não deve esquentar se
    O PT não deve esquentar se será “eliminado”, se virar um ex-partido q ele vire um movimento de rua então,será BEM MAIS ÚTIL À SOCIEDADE BRASILEIRA, aliás essa história de liderar a oposição a Bolsonaro em uma frente deve ser abandonada,o PT deve se preocupar com a sua própria sobrevivência como partido ou movimento de rua,os outros partidos não querem ser os bonzões? Então deixem eles se virarem só pra verem como “o barato é doido” o PT deve refluir nas lutas dentro do congresso (td q fizer lá nunca vai estar bom)e sim se organizar nas ruas pra ser o q dará pra ser futuramente !(partido ou movimento de rua!)

  16. Parabéns, Nassif, por um

    Parabéns, Nassif, por um panorama tão bem traçado. Gostaria, ainda assim, de comentar alguns “lances”:

    Efeito Orloff – Para quem achava que os EUA eram o paraíso na Terra, pronto: não é que conseguimos imitar aquele país no que tem de pior? Mas não há dúvida: a imitação nunca será o original. Nossa formação cultural é bem diversa da daquele país em tudo, desde as canções que aprendemos na infância, o idioma que usamos e os costumes há séculos sendo estabelecidos. O burguês estadunidense não esnoba mandar sua filha Luiza estudar no Canadá, esnoba ser “cliente” – e não cidadão – do melhor, quando não do único, país do mundo. Isso faz uma bruta diferença.

    Agora, quanto às “motivações obscuras” para a Lava Jato rejeitar a delação de Palocci quando estas incluiram as firmas de mídia e as financeiras, “de mercado” (Peça 3), ora… são tão obscuras quanto é invisível a mão do mercado. Ou seja, nada têm de segredo ou de “obscuridade”, e seus operadores têm nomes e endereços conhecidos tanto quanto os nomes e endereços de suas firmas. A motivação chama-se, portanto, Capital. Não são razões políticas nem questões táticas, são ideologia pura. São funcionários públicos trabalhando em favor da iniciativa privada, corrompendo assim o estado de direito muito mais e muito mais profundamente do que mero tráfico de influência ou peculato.

  17. Logo após o golpe de 2016 que

    Logo após o golpe de 2016 que derrubou a inacreditável dilma eu brincava que depois dela seria a vez do PT(que seria cassado), dos políticos do PT(que seriam todos cassados e presos) epor último, os eleitores do PT. Os últmos podem ser cassados na ruas sob ordens de pastores evangélicos. Afinal, são todos corruptos e pervertidos.

    Começo a acreditar que o que comentava como brincadeira se tornará realidade e muito em breve os meganhas venham atrás de mim.

    Eu tenho antecendentes porque doei dinheiro para pagamento de multas impostas a políticos do PT(estão na minha declaração de renda e o moro poderá ver) no caso mensalão, doei dinheiro ao PT, a blog ditos de esquerda, odeio e tenho nojo dos militares, acho o clã bozo um ajuntamernto de imbecis e considero o moro o maior ladrão e FDP que já pisou nestas terras.

    Além do mais defendo a prisão de TODOS que participaram da lava jato e se possível, o fuzilamento de todos eles.

    Acho a PGR/MPF prepostos dos EUA juntamente com  o moro, trf4, alguns do TJ e do STF agentes de destruição do nosso país dirigido por agentes daquele estado terrorista.

    O governo que se aproxima será de destruição total do Brasil. Como dizia a dilma, “não sobrará pedra sobre pedra”.

    Devido a nossa burrice, idiotice, ignorância, alienação, teremos o governo e o futuro que merecemos.

     

  18. Há muito mais método nessa

    Há muito mais método nessa loucura toda.

    três outros ministérios críticos para uma democracia com soberania serão playgrounds dos bolsiminions: Relações Exteriores, Ciência e Tecnologia e Educação. São três ministérios que permitiriam, em longo prazo, que o Brasil fosse uma democracia plena, altiva, autônoma, não tutelada.

    Sim, os militares estão pegando áreas críticas para o presente e ao mesmo tempo impedindo o desenvolvimento do país como democracia. Sem pensamento crítico, a “racionalidade”, no futuro, será vista como restrita aos militares…

    É muito interessante (e triste e assustador) como nos pegamos “aliviados” porque as áreas críticas estão com os militares “racionais” e não com os malucos apoiadores do Bolsonaro. E deixando esses três ministérios extremamente críticos para a construção do futuro com esses malucos, cada vez mais a racionalidade estará só com os militares (que obviamente deixarão a educação e a pesquisa militar bem longe do alcance das mãos dos malucos). Educação e C&T de ponta, só sendo militar; aos civis resta o lixo. Já vimos esse filme antes, não?

  19. O judiciário como um todo,

    O judiciário como um todo, força motriz a da manutenção do status quo capitalista, cumpre seu papel antes relevado à imprensa

    Com a falta de credibilidade da imprensa o judiciário se assume como motivador da alegoria política da esquerda acabada, tolida e finda, nem que para isso seja ela mesma, a justiça, distorcida, torcida, virada e adequada à realidade fake da nossa elite entreguista

    Nada de novo, só que tudo agora ocorre a olhos vistos, Mas o analfabetismo político da população não permite compreender sua própria realidade e essa burrice intelectual deve ser mantida por programas como o escola sem partido

    É a única maneira do judiciário escapar do seu julgamento moral que a história irá realizarar

  20. Não sou tão pessimista.
    O
    Não sou tão pessimista.

    O bolsonarismo não dura, entendam, insanidade religiosa aliada a ufanismo militar, com ideias econômicas medievais, destroem rapidamente parcerias comerciais, núcleos familiares, as igrejas e o tecido social.
    Fanáticos religiosos comem, e vao sentir fome. Daí vem a lembrança do Lula.
    Asneiras internacionais vem acompanhadas de quebras de empresas, e vem a lembrança do Lula.
    A igreja se afunda em denuncias de corrupção e vem a lembrança do Lula.
    O exército, a Polícia, a pgr e stf abusam, matam/prendem inocentes, contorcem a constituição e vem a lembrança do Lula.

    Lula plantou uma semente, ela vai florecer.

    • Quero crer no que escreveu,

      Quero crer no que escreveu, mas temo estar sdonhando.

      O que vejo é que essa gerações nascidas à partir da década de 90, influenciadas por Luciano Huck, Canal Combate, Tropa de Elite e Polícia 24 horas, estão podres.

      Pouca coisa podemos esperar dessas gerações.

      Essas gerações cresceram sob os Governos petistas, e não conhecem algo diferente deles, estão conhecendo apenas agora e ainda estão anestesiadas com o discurso “é tudo culpa do petê”.

      Creio que esse tipo de mentalidade vai ser cultivada por muito, muito tempo.

    • Ninguém liga para Lula. Só

      Ninguém liga para Lula. Só uma pequena parte da esquerda !!!

      Lula só vai ser reabilitado depois da morte !!! Se é que será !!!!

      Quando esa asneirada toda cair, Lula será um Defunto, e o povo, que odeia a esquerda, a exceção do Lula, passará as de´cadas seguintes buscando saídas pelas direita desse buraco que se meteu !!!!!

      Lula foi burro !!! Quando a Rússia precisou de LÊnin, ele estava lá !!! Quamndo o Irã precisou de Khomeini, ele estava lá !!! Lula preferiu levar Moro ao Gozo !!!

      Será como Tiradentes !!!! Um bucha, irrelevante !!! Tiradentes é um martir, mas qual a influência dele nas décadas subsequentes e nos dias de hoje ??? Nenhuma.

       

  21. A fonte contaminada

    Quando a justiça se acovarda e se diminue, por força da ambição e ganância desmedida, ela corrompe todos os sagrados valores da ética e da moral. Estando corrompida, ela se torna uma delinquente igual aos tantos  que foram julgados e condenados, por ela própria. Então, o que se esperar de uma sociedade que convive constantemente com os maus exemplos, que brotam sem pudor e sem fim, do núcleo central do seu alto comando. A resposta está flagrantemente estampada na conduta da nossa sociedade, cujas maiores características são: a desigualdade, o preconceito, a seletividade, a injustiça, o racismo, a traição, a deslealdade, a corrupção de valores, a violência gratuita com os mais fracos e excluidos e o resurgimento cavalar do fascismo doentio. Registro parte de uma matéria, de hoje, no CA:

    (Perguntado se juízes suecos considerariam reivindicar benefícios extra-salariais como auxílio-alimentação e gratificação natalina, o juiz Carsten Helland dedica os segundos iniciais da sua resposta a uma sessão de risos de incredulidade.

    “Juízes não podem agir em nome dos próprios interesses, particularmente em tamanho grau, com tal ganância e egoísmo, e esperar que os cidadãos obedeçam à lei”, diz o juiz.

    “Um sistema de justiça deve ser justo”, ele acrescenta. “As Cortes de um país são o último posto avançado da garantia de justiça em uma sociedade, e, por essa razão, os magistrados devem ser fundamentalmente honestos e tratar os cidadãos com respeito. Se os juízes e tribunais não forem capazes de transmitir essa confiança e segurança básica aos cidadãos, os cidadãos não irão respeitar o Judiciário. E, consequentemente, não irão respeitar a lei”, enfatiza.)

     

  22. Quem são estes militares?

    Nada sabemos, pois jamais se colocaram, ou externaram sua visão de país. Não sabemos se formam um todo, ou se cada um esta defendendo apenas o seu quinhão de poder. Não sabemos o que pensam da política ou da nação ou da economia, ou das instituições. Não sabemos quem são os militares, temos apenas lembranças da ditadura e discursos ideológicos de generais da reserva, e ameaças de generais da ativa interferindo nas eleições. Será que ainda defendem a soberania do Brasil? Será que tem alguma visão social e economica sobre o país?  Haveria neste grupo alguma coisa em comum além da farda?

    Não os vi quando o acordo com a Boeing, foi feito e a produção de nosso cargueiro, foi enviado para os Estados Unidos. Nenhuma palavra da Aeronáutica, que é sócia da Embraer. Nada falaram  sobre  a junção Embraer -Boeing, que inviabiliza a compra dos Grippen. Nada falaram quando Bolsonaro Temer  prometeram  entregar a base de Alcântara. Assim como não os vi se posicionando com relação a prisão do Almirante Othon. Quem é este almirante que ora vira ministro. Qual será sua posição quanto a ação da Lava Jato, que com a prisão de Othon tinha como objetivo a paralisação do projeto da Usina de enriquecimento de Uranio.  Seria este um ministro que resgataria Othon e o projeto, ou será que vai se submeter a ação da Lava Jato. Não haveria entre este Almirante e Moro um ponto de conflito, ou será que vão convergir.

    Nada sabemos hoje, pois estes senhores jamais vieram a público para colocar o que pensam e se existe um pensamento militar sobre o Brasil. Bolsonaro pensa o exército apenas como uma arma de repressão   ideológica. Mas nós não sabemos o que é o tal pensamento militar. Ficamos aqui apenas imaginando que sejam nacionalistas, embora as palavras e viagens de Mourão não pareçam. Ficamos aqui pensando que defendem a soberania, mas seu silêncio e ou conivência com os exercícios militares na amazônia não confimam isto.

    E o mais curioso é ver militares em ministérios como o da articulação política.  Logo veremos se existe um pensamento militar ou apenas uma ameaça ideológica pairando sob nossas cabeças. Estão atribuindo uma racionalidade a tudo isto, mas eu não tenho evidências disto, sem é claro concordar que os indicados tem mais racionalidade ( individualmente) que o presidente. Outra questão que se afigura é se, generais vão voluntariamente aceitar o rebaixamento para a patente de tenente.

    E a pergunta que não cala, quais as relações destes militares com Moro?

  23. A democracia iliberal à brasileira

    A casta do Judiciário decidiu que o Brasil deveria ter uma “ditadura competitiva”, ou na sua versão mais conhecida “democracia iliberal”, porque esta classe parasitária precisa garantir que seus privilégios e sua visão de mundo, que inclui o deslumbramento com qualquer luzinha vinda dos EUA, sejam mantidos.

    A cúpula militar, ou partes dela, decidiram que o Brasil deveria ter uma “ditadura competitiva”, ou na sua versão mais conhecida “democracia iliberal”, porque os militares brasileiros, e latino-americanos em geral, continuam acreditando piamente que apenas sua liderança será capaz de levar os países ao “caminho da virtude”, seja já o que significa isso.

    Esses dois atores essenciais na montagem do governo do batedor de continência tem ideas diferentes do que seja a “democracia iliberal”; a única coisa que os une é a necessidade do banimento da oposição mais competitiva, mantendo uma oposição que não tem chance de ser governo (oi Ciro Gomes!), fora isso tem visões de mundo, de futuro, de país, de controle e do controle bem diferentes.

    E esta luta interna, aliada ao fato de que o capitão da reserva não deseja arbitrar luta alguma e prefere ficar plantando fake news, é o grande fraco do governo que assumirá em 1/1/2019; é nesse espaço que a frente de resistência democrática acabará tendo que atuar, para superar as limitações da ordem constitucional de 1988-2016, fazer uma reforma verdadeira no Estado e recuperar a democracia e a economia nacional. Só que o tempo é curto, porque não existe espaço vazio na política e a espera só dá chance para que esta luta tenha um vencedor.

  24. Até aqui o século XXI tem sido decepcionante

    Os ataques a democracia, se observamos bem, começaram desde a primeira eleição de Luiz Inacio, com editorais ameaçadores ao governo petista. Em seguida tudo isso foi se amplificando através de movimentos orquestrados como o mensalão, queda e julgamento de Dirceu, a polêmica Operação Satiagraha e chegando nas manifestações de 2013 e por consequência a instalação da não menos polêmica Operação Lava Jato, que poderia muito bem se chamar Operação Delenda PT, que se estende até o golpe parlamentar, juridico e policial no governo Dilma Rousseff e, enfim, elegendo o bolsonarismo.

    Fazendo o exercicio de como poderiamos ter evitado a maioria desses acontecimentos que nos trouxeram à essa nova guerra, tem-se a evidência de que a presidenta Dilma Rousseff foi boicotada de dentro de seu proprio governo e, claro, não penso apenas em Temer e seu entorno, mas principalmente no Ministério da Justiça, PF, Defesa, Sistema de Inteligência e a AGU. Tudo isso deveria, espero que seja, melho esclarecido. Como muitas atitudes do Ministro da Justiça foram contra seu proprio governo, em que pese a tal anemia/fraqueza do governo nos ultimos dois anos. 

    O Brasil é hoje fonte de preocupação pelos europeus democratas, principalmente Portugal, França e Alemanha. Todos esses paises também podem, pela questão do desemprego e aumento de migrantes, partir numa deriva totalitarista ou de extrema-direita tal qual o Brasil. 

    Até a pouco o século XXI era uma extensão do fim do século passado. Agora mudamos de fato de Era e ela não tem uma face muito iluminista, cher Luis Roberto Barroso. 

  25. faltou isso aki

    “Vamos tentar, primeiro, entender como o jogo político brasileiro cedeu à mais completa e ampla selvageria. E, depois, avaliar se o regime atual é de democracia ou de ditadura.”

     

    não teve avaliação no final do texto

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome