A banalização das novelas

Atualizado

Liberado provisoriamente de trabalhar à noite, voltei a assistir novelas.

Não sei se é implicância minha, mas fiquei chocado com a queda de nível da teledramaturgia nacional, em relação ao período em que assistia novelas.

Esse “Caminho das índias” consegue ser mais caricato que a novela anterior. Uma constelação de atores de primeira grandeza – Lima Duarte, Tony Ramos, José Abreu, Flávio Migliaccio -, alguns rostos belíssimos – como é linda essa Letícia Sabatella -, e abertura cafona, cenas improváveis, falta de naturalidade, direção de atores desleixada,  até para simular bailinhos de carnaval (acho que o bailinho foi na novela das 7). Ah, e uma vilã linda e totalmente dissimulada, para repetir a fórmula da novela anterior.

Outro dia, a Ruiva vislumbrou um sorriso irônico em um desses super-atores, enquanto recitava uma dessas frases de terceira linha.

Até algum tempo atrás, nosso orgulho era a teledramaturgia brasileira, especificamente as novelas da Globo, com o apuro nos roteiros, na direção de atores, nas aberturas inesquecíveis. Olhávamos o México com desdém. Hoje, não mais.

Mas que dá certo, dá. Tanto que as menininhas, nas férias, deixaram de lado os desenhos do SBT e dos canais a cabo, os programas infanto-juvenis, pela novela.

Aliás, Patrícia Pillar heroína absoluta. No final da novela, quando a personagem de Cláudia Raia gritou para a personagem da Patrícia: “Ninguém gosta de você!”, as duas saltaram do sofá e gritaram ao mesmo tempo: “Nós gostamos”.

Por José de Abreu

LN, vamulá:

Não tenho procuração de ninguém mas sei que falo mais ou menos o que a maioria pensa: nós achamos a novela boa. Acreditamos no trabalho da Glória. Estudamos profundamente a Índia antes de a novela começar, 3 meses de work-shop. Estive na India por 20 dias pesquisando. Levamos extemamente a sério nosso trabalho. Estamos dando nosso melhor, em todas as cenas, trabalhando com um prazer quase infantil – já que nossa profissão é um “brincar de casinha” o tempo todo. Nenhum de nós está ironizando qualquer coisa, muito, mas muito longe disso. Fazemos nosso melhor, sempre, por acreditar que fazemos uma coisa boa para nosso público e para nosso país.

Sempre.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

65 comentários

  1. Pelo que me disseram essa
    Pelo que me disseram essa novela Caminhos da Índia é, em boa parte, uma recorrência e reinterpretação de outra novela chamada O Clone que a Globo vendeu para o mundo todo e fez sucesso lá fora.

    A Globo vem tentando vender suas novelas para o mercado da Índia. Essa é a explicação de se ter o país como cenário.

    Mas, por causa da crise financeira a Globo vem tendo dificuldades para vender os seus produtos no exterior.

  2. Nassif,
    Ainda bem que nunca
    Nassif,
    Ainda bem que nunca tive a oportunidade de encontrar a Letícia Sabatella pessoalmente. Temo que me perderia de paixão. O tempo passa e ela ali, naquela lindeza que parece se eternizar. E é uma lindeza com suavidade!
    Mas nem assim assisto novela. Realmente, não dá.
    Limito-me, quando a vejo no comercial, a delirar: “Letícia, sai da tela!”

  3. Ah Nassif, me desculpe, mas
    Ah Nassif, me desculpe, mas ou há muito você não via novelas, ou desde sempre elas foram essa porcaria que são. “Pra repetir a fórmula da anterior”. Bobagem, eles estão se repetindo a décadas. O casal que não pode ficar junto é a chave de tudo, à volta deles estão as outras tramas. Sempre as mesmas.

  4. Caro Nassif,
    A TV e a
    Caro Nassif,
    A TV e a teledramaturgia sempre foram um “subproduto” dentro do próprio meio artístico. Diretores, escritores e atores autlizavam (e utilizam) a mídia como ponte para ficar em evidência com o público e emplacar seus projetos no teatro ou cinema…Para os profissionais do meio, a TV foi sempre o “sub do sub do sub”…
    Discordo de você quando diz que na teledramaturgia havia mais qualidade. Havia mais atores talentosos, mais diretores ousados, mas desde “Pantanal” descobriu-se que o viés é outro: a novela é o “mexidão” que o povo gosta, e às minisséries foi dado o encargo de carregar o prestígio e o alto nível da emissora (taí a minissérie “Maysa”, que foi de uma qualidade brutal). Ou seja: não morreu, só mudou de lugar.
    Porém, ao contrário de vc, gosto da novela das 8h atual, que trata de forma simples (até didática) um universo muito complexo.

  5. Nassif, tal fato é o mais
    Nassif, tal fato é o mais puro reflexo da falta de educação dos telespectadores e formação dos atores, diretores, escritores, etc.
    Mesmo com este baixo nível, sua audiência é alta, o que comprova a falta de informação para que a população perceba tal desnível.
    Imagino seu sofrimento, ao tentar dar informações sobre economia para este mesmo público.

  6. Nassif, o blog veio com
    Nassif, o blog veio com essa:

    “Você está publicando comentários rápido demais. Mais devagar.”

    Sendo que o meu último comentário foi ontem!!!

    É o Sistema, o Dr Mabuse do Blog.

  7. Caro Nassif, o que é que você
    Caro Nassif, o que é que você queria com uma novela que tem como protagonistas projetos de atores como Márcio Garcia e Juliana Paz, e ainda por cima um com o nome de bahuan?

  8. Prezado Nassif,
    Quanto à nova
    Prezado Nassif,
    Quanto à nova novela, concordo absolutamente contigo. A autora é especialista em tratar temas “multiculturais” de uma forma que nem chega a arranhar a superfície do tema.
    Mas te chamo a atenção para duas novelas anteriores, e recentes, que gostei muito.
    A primeira a última do Manoel Carlos. A novela tinha uma profundidade sociológica que até parecia consciente. Será que era? Eu gostaria de conversar com o autor para confirmar. Tudo girava como no mundo gilbertofreyriano: um velho chefe de família patriarcal ampliadíssima — com todos os seus penduricalhos de agregados, genros desonestos, filhas mimadas — vendo seu mundo desmoronar. Ao mesmo tempo, valores. Como se o autor tentasse descrever um Brasil que se vai, ao mesmo tempo lutando para ele ficasse. Um hino de resistência do que havia de bom na nossa ibéria, que se esvai. Do outro lado, o que há de mal na nossa ibéria, com preconceitos de quem é filho, e somos, da escravidão. Mas o Tarcísio de outono do patriarca foi bom demais.
    A outra que gostei era mais leve, mas mostrou um Brasil que resiste, em sua antropofagia: Paraíso Tropical. Uma Copacabana decadente onde todos eram, a sua moda, felizes — mesmo os vilões, invadidos pela ganância e o salve-se-quem-puder. Uma novela que me lembrou muito aquela pérola do Tim Maia: somos o País onde a “puta goza, o traficante cheira, e o cafetão se apaixona”. E isto é bom. É jogo de cintura para aguentar o tranco de qualquer crise e reinventar-se sempre.
    Temas todos que passam longe de qualquer novela da atual autora.
    Abraço

    Algumas das novelas inesquecíveis que assisti eram do Manoel Carlos.

  9. Eu também fico muito triste
    Eu também fico muito triste com essa queda no padrão dramatúrgico da Globo.
    Para botar mais lenha na fogueira eu diria que a Record está em um bom caminho. Não esteja acertando em todas, não assisto as duas novelas no ar hoje. Mas deu um golpe de mestre com a “Vidas Opostas” (mal copiada em “Duas Caras” pela Globo).

  10. Caro Nassif, arrume um
    Caro Nassif, arrume um trabalho logo, nem que seja voluntário, pois cheguei a mesma conclusão que você, só que há mais de 20 anos. Hoje, tenho muito orgulho de só lembrar de Gabriela, Saramandaia e Pantanal.

  11. Essa ‘caminho das índias” é a
    Essa ‘caminho das índias” é a pior de todas. Prudução péssima, fora da realoidade e descontextualizada.
    Quanto á vilã, Flora, excelente representação da Patrícia Pillar,.
    As menininhas são do contra, só prá provocar…….hahahaha, fase da negação total!!!

  12. A brasileira atacada na
    A brasileira atacada na Suiça. Segundo reportagem do Estadão, o governo suiço faz pouco caso de ataques de extremistas de direita contra estrangeiros. Mas o que esperar de um país que enriqueceu acolhendo dinheiro sujo do mundo todo.

  13. Letícia Sabatella, a que
    Letícia Sabatella, a que tentou ser a nova Regina Duarte (a que teve/tem medo do Governo Lula) da Globo, no caso da transposição do Rio São Francisco e que chegou a fazer oposição ao projeto. Ela e mais dois atores, esqueci os nomes deles.

    Pesssoal… eu não nasci ontem ou será que vocês se esqueceram disto.

    Até que a mulher é linda mesmo..

  14. Sobre esse assunto nada
    Sobre esse assunto nada melhor que relembrar o José de Abreu que entrou aqui e disse que para assistir o trabalho que faz nas novelas cobraria mais caro que para atuar.

    Hummm…, seria dele esse sorriso irônico?

  15. Toda vez que – pra minha
    Toda vez que – pra minha infelicidade –
    vejo algum pedaço da nova novela das 8,
    fico com
    a sensação de estar vendo
    um filme de Hollywood. É aquele filme
    que se passa no Rio, tendo como música
    de fundo:
    La Macarena
    Ridículo!!!

  16. Nassif e comentaristas,
    no
    Nassif e comentaristas,
    no intervalo da novela, venham um pouquinho pra internet e assistam o video:
    http://www.youtube.com/watch?v=lG-M1CWskeQ&feature=related

    É Joaquin Phoenix no Late Show com David Letterman numa entrevista pra promover seu último filme.
    Parece que ele vem usando alguma coisa pra uso pessoal.
    Diz que não vai mais atuar. Pena. A entrevista é muito engraçada.
    E ele é excelente ator.

  17. Nassif,

    Minha esposa sempre
    Nassif,

    Minha esposa sempre reclama porque eu não fico mais ao lado dela assistindo TV, a resposta é sempre a mesma. Tédio.

    Veja, “A Favorita” foi capaz de prender minha atenção, porque apesar de der alguns esteriótipos que toda novela tem, houve mistério e uma preocupação em suspreender o tele expectador.

    A impressão que eu tenho é que os autores consagrados criam seus processos de trabalho e perdem a espontaneidade por medo de errar. Desde de o começo da novela é óbvio que o caral Baruan e Maia não ficariam juntos, assim como é óbvio que eles ficaram a novela toda tentando ficar juntos. Gente, eu lembro como é essa historia, a fórmula é simples, imagino um quadro negro no escritório da :

    – Casal romântico que não consegue ficar junto por questões de ordem cultural;

    – Pesquisar um cultura de um país ou grupo social bem diferente da cultura necional.

    – O resto, núcleo rico, núcleo pobre (nem tanto), é padrão para todas as novelas

    É “Explode Coração”, “O Clone” e “Caminho das Índias” o que muda são os diálogos e o comportamento das personagens que devem ser adaptados a “cultura” da vez. Para mim virou um tédio assistir novela. Pelo menos temos os mutantes toscos para nos fazer chorar de rir.

  18. Para o nivel intelectual de
    Para o nivel intelectual de publico que assiste fervorosamente essa “teledramaturgia” se a globo afirmar que a india é a menor das ilhas da polinesia judaica tudo bem. ninguém vai perceber.

  19. Nassif, e eu não entendo como
    Nassif, e eu não entendo como atores tão gabaritados se prestam a papeis como esses. O coitado do Zé de Abreu, inadvertidamente se fantasiou de “eunuco”… está ridículo. Tenho preferido ficar aqui na Net. Como se diz na minha terra: “veim prá cá tameim, bôbo do céu!!! Nois apruveita prá proseá muncado, né mêssss???”

  20. Tens razão. Que “troço” mais
    Tens razão. Que “troço” mais estranho essa novela.
    Mais estranho é assistir a Lima Duarte, Tony Ramos, fazendo caras e bocas com aquelas expressões que acredito que nem os indianos/hindus saibam o que significam. Não conseguem passar que o que falam é vero. Uma coisa não me sai da cabeça: Tem alguma jogada comercial por detrás. Ou nós vamos triplicar nossas exportações ou importações … Mas que essa novela é estranha, isso é.

  21. Oi Nassif,

    nao vi nenhuma
    Oi Nassif,

    nao vi nenhuma manifestacao aqui no blog sobre o caso da brasileira que alega ter sido agredida por neonazis numa cidadezinha proxima a Zurique. Queria ouvir mais opinioes sobre o caso. Eh proposital o silencio?

    Moro em Berlim hah 3 anos e, nos jornais alemaes, encontra-se desde manifestacoes de solidariedade a posicoes mais ceticas. Fato eh q as escoriacoes da moca parecem simetricas e bem-feitas demais pro gosto de alguns… Ela certamente nao se moveu enquanto as letras SVP (denotando o partido de extrema direita sueco) lhe foram tatuadas na perna. Teria ela sido ameacada por uma outra faca em uma regiao vital? Eu nao sei. A policia sueca, por exemplo, nao descarta a hipotese de a propria moca ter originado os ferimentos.

    De minha parte, nao acho impossivel que um real ataque de extremistas de direita tenha acontecido. Por outro, este tambem nao seria o primeiro caso onde a gravidez leva a mulher a ter disturbios de comportamento.

    Agora onde de fato tomo posicao eh a respeito do tratamento q a Folha e a Globo estao dando ao assunto. Os caras tratam hipoteses como fatos e extrapolam pro nivel dos problemas vividos por imigrantes. Aqui na Alemanha tem sempre de 5 a 8 por cento de cabeca ocas q pregam contra os imigrantes. Fato eh: a economia alem~a precisa da populacao imigrante. Tanto governo como a parcela razoavel do povo sabem disso. Hah problemas. De lado a lado.

    Aih vem a imprensa brasileira atras de ibope e comeca a noticiar supostas manifestacoes q os brasileiros q moram em Zurique estariam plenejando. Ora, noticiar eh difundir. Com o apoio de tais meios eh bem mais provavel q a tal manifestacao, de fato aconteca. Mas, ateh onde sei, a imprensa deveria servir pra relatar os fatos. Nao pra lhes dar origem. E, como brasileiro no exterior, me sentiria melhor se o governo brasileiro nao economizasse cautela pra tratar o caso. Uma barrigada agora num otimo momento do Brasil no exterior seria de se lamentar.

    Forte abraco. Parabens pelo Blog. Leio todo dia hah anos. Perdao pelos acentos e cedilhas. 😉

    Lima

  22. No início para quem volta
    No início para quem volta assistir novela é assim mesmo depois acostuma. Saudades do Dias Gomes,Bráulio Pedroso, Lauro César Muniz, Janete Clair… Quanto a Sabetallla, vc tem toda razão, além de bonita simpática,politizada, mas o bom mesmo é vê-la banhar-se no oceano atlântico naquele pedacinho do Leblon.

  23. Esta novela me faz lembrar de
    Esta novela me faz lembrar de uma das primeiras que vi em minha vida: “O Homem Proibido” com Yoná Magalhães e Carlos Alberto, Mário Lago como o vilão Ali Yabor, direção de Daniel Filho.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Homem_Proibido_(1967)

    Nunca esqueci a música tema brega: “Na ìndia está/ niguém o vê/ mistério em seu próprio seio/ Surama irá casar/ com aquele que encontrar/ a Demian…”.

    E diziam que a Glória Magadan foi demitida quando a Globo quis melhorar o nível de sua programação!

  24. Estou totalmente de acordo,
    Estou totalmente de acordo, as novelas estão um lixo.Estou cansada de ver a mesma história, alguem é assassinado e a novela caminha ate o ultimo capítulo onde o criminoso é descoberto e punido (ou não).
    O pior é que você vai para o canal pago, e é o mesmo lixo, repete-se o mesmo filme todo dia,meses a fio, e não há um orgão que fiscalize e evite esse desrespeito, então venho para a internet que ganho muito mais.

  25. Nassif,

    Fomos nós que
    Nassif,

    Fomos nós que evoluímos ou a TV aberta piorou muito após o surgimento dos canais pagos?

    O advento da TV a cabo permitiu à Globo segmentar a programação: o que é de melhor qualidade vai para assinantes e à ralé do sinal aberto resta o resto. E como está sempre a serviço da oligarquia a qual pertence, aproveita o empobrecimento artístico e cultural das telenovelas para perpetuar a dominação sobre as castas inferiores. TV aberta emburrece (e uito da paga também) e o emburrecimento é o melhor dos cabrestos.

  26. Nassif,

    Pra mim que acho a
    Nassif,

    Pra mim que acho a televisão aberta brasileira extremamente alienante e a Globo o exemplo maior deste modelo, fico decepcionado com este seu post.

  27. Nassif,

    Na minha
    Nassif,

    Na minha adolescência acompanhei algumas daquelas novelas das seis baseadas em clássicos da nossa literatura, Maria Maria, Olhai os Lírios do Campo, Escrava Isaura e algumas outras, na época não existiam tantos recursos tecnológicos nem locações exóticas e muito menos a enxurrada de merchandise que infesta as atuais produções, o que segurava a trama era a qualidade do texto e dos atores. A decadência é visível, principalmente para quem já testemunhou dias melhores, confesso que não tenho mais paciência nem para as mini-séries que costumam ter uma produção mais cuidadosa. Acho que a carga de manipulação embutida invariavelmente nas produções da Globo desestimulam meu interesse, um caso clássico foi a mini-série sobre o JK onde a perseguição do Roberto Marinho ao personagem foi simplesmente ignorada.

  28. LN

    Cabe à mídia, incluindo
    LN

    Cabe à mídia, incluindo aí os blogs, transformar novela em cultura para o povo.
    Como ?
    Tratando os temas ali postados, dentro da realidade.

    Toda novela é sempre a mesma coisa.
    Não vejo diferença entre as de ontem e as de hoje.
    Só muda o figurino.

    No caso dessa sobre Índia, seria um bom momento para levantarmos os problemas dos dalits, das castas e sub-castas, do paradoxo de um país que convive com a tecnologia e com as superstições, etc.

    Podemos usar as novelas apenas como motivação e lançar discussões sérias sobre os temas propostos nelas.

    Escrevi um comentário num blog com o título O QUE É UM DALIT?
    (Alma Carioca – Literatura)
    Em uma semana o meu post recebeu mais de 5 mil visitas.

    Podemos, portanto, usar o entretimento como fator de cultura para o povo.
    E a Internet está aí para nos oferecer esta oportunidade.

    Reclamar apenas, não leva a nada, pois o povo gosta e elas continuarão como sempre.

    Vamos usar a inteligência e fazer do limão uma limonada.

    Abraços

    lu dias

  29. Conselho meu para ti
    Conselho meu para ti Nassif.

    Desligue a TV. Ligue o Videogame e intime as suas filhas no mortal kombat.

    hehehheheeh. Vai ser bem melhor.

    Não sou louco. Na única tentativa levei tal cacete da Dodó que cheguei à conclusão que esse jogo foi feito para filhos descontarem nos pais suas broncas.

  30. Já faz tempo que o Simão
    Já faz tempo que o Simão implica: Dias “Gomes” melhores não virão. Falta de naturalidade, eis a questão. Quem escreve, ou quem dirige, ou quem dirige o diretor vive pensando em fórmulas prontas e esquece que gente é mais inteligente do que as máquinas por ela criada. Esse pessoal vive com a cabeça eu Nhíu Iórq; nada entende de cultura brasileira. São capazes de pegar Jorge Amado e transformar num pastel. Que pena! Com os titãs que temos (como os pouquíssimos que listastes)… Apostam em exotismo idiota… Tá na hora de fazer os “Cabeças de Planilha das Artes”, Nassif. Vai ser mais fecundo que a da área da economia.

  31. Nassif, as melhores novelas
    Nassif, as melhores novelas foram “Gabriela”,”Chica da Silva”, “Pantanal”, Sinhá Moça”, ou sejam temas históricos, folclóricos ou mesmo de típos e culturas regionais.
    O Brasil nesses campos, oferece enorme possibilidade para o desenvolvimento de roteiros para novelas, que não é aproveitado pela TV, por conta das vendas futuras das gravações, para o exterior
    Talvez seja um engano, pois “Sinhá Moça”, rodou o mundo, inclusive na Iugoslávia e China .Sdc

  32. Atualmente só vejo novela se
    Atualmente só vejo novela se quero ver uma coisa: gente bonita. Pois não me interesso nas histórias, dificil os atores interpretarem bem a ponto de emocionar. Os novos atores são medianos, a beleza deles impressiona mais que a atuação.

  33. MÃE DINÁH – seguindo a lógica
    MÃE DINÁH – seguindo a lógica dos BRIC:
    – Negócio da China
    – Caminho das Índias
    – A Coisa Tá Russa

    A última terá um roteiro “quanto piór melhor”, e será utilizada como campanha do Zé Ferra à presidência da República.

  34. Como disse o Macaco Simão: A
    Como disse o Macaco Simão: A Globo até lavou a India com detergente e shampoo. Provavelmente até as leis de trânsito começaram a ser respeitadas por lá.
    Ficção tudo bem, mas os caras enfeitam as cenas e esquecem o roteiro.
    Que a India nos perdoe.

  35. O problema foi que A Globo
    O problema foi que A Globo parou de se preocupar com qualidade para se basear na amizade, hoje diretores, autores e atores tem suas carreiras mais baseadas na amizade do que no talento.

    A maioria dos que tem algum talento diante dessa realidade nem se preocupam em gasta-lo com algo tão banal com os textos que lhe apresentam, da para ficar irritado com a interpretação de algumas carinhas bonitas e tambem com as situações criadas na trama, isso para não dizer alguns personagens que não tem nada a ver com nada, parece que foram presenteados com uma viagem a India e emprego na Globo por ter amizade com a autora, o puxasaquismo chega ao estado da arte literalmente!!!

  36. O “padrão Globo de qualidade
    O “padrão Globo de qualidade acabou”. É fato. Parece que foi substituído por algo como o padrão “Sistema Brasileiro de Televisão”, praticamene unânime nesses dias. Copiar mal feito, repetir a exaustão o que “deu certo”, popularesco, caricato. Quanto aos bons atores, não dá para deixar de comparar com a época das pornochanchadas no cinema. Alguns filmes de técnica horríveis, de vistos com os olhos de hoje, só são vistos no presente pelas ótimas atuações. Vide as filmagens das peças dos Nelson Rodrigues do final dos anos 70 e começo dos 80.

  37. Brasileiros morando na Índia
    Brasileiros morando na Índia e vivendo como se estivessem em Nova Iguaçu. As novelas da Gloria Perez beiram o ridiculo se comparadas a Novelas como Gabriela, Escalada, Guerra dos Sexos e a Recente Paraiso Tropical. As novelas brasileiras precisam esquecer a figura do casal Janete Clair e Dias Gomes para novos nomes aparecerem. O Gilberto Braga é o unico que realmente consegue escrever algo novo em novelas, o resto é pura mexicanização melhorada.
    Triste é ver grandes atores sendo eclipsados por nulidades como os Gianechinis, os Raymonds e outros do genero. Alias se eu fosse o Tony Ramos imploraria para Gloria Perez para morrer carbonizado na novela para não ter uma chance de aparecer de novo.

  38. Quero assistir novamente “Que
    Quero assistir novamente “Que Rei, Sou Eu”, que retratou como as coisa funcinam no Brasil Real, os ministros da rainha louca eram um tremendo barato, corruptos e muito divertidos, mas duvido que essa novela volte ao ar, os poderosos de Brasília, não gostam de serem retratados.

  39. Primeiro parágrafo:
    Primeiro parágrafo:

    “Liberado provisoriamente de trabalhar à noite, voltei a assistir novelas””

    Não li mais nada.

    quem troca um livro ou até um filme por novela,cai muito no meu conceito.

    E ainda vou mais além:

    Quem assiste um seriado com começo,meio e fim( em uma hora) vá lá.Ou até um documentário.

    O tal de ”LOST” que era o mais assistido no mundo perdeu o interesse.Porque é uma história de anos e anos sem fim.

    O filme ”DÚVIDA”, que não tem nada a ver com novela, mas a pessoa sai do cinema com DÚVIDAS, tbm não é aconselhável.

    Enfim, quem assiste e gosta de novelas,dúvidas e seriados intermináveis,não deve estar bem da cabeça.

    até porque a nossa vida já é uma dúvida interminável.

    Deveriamos nos interessar por soluções.Desde que elas existam.Ou pelo divirertimento( seriados solúveis e rápidos) ou conhecimentos( livros e discovery)

    Eu gosto,dentre tantos, de ”uma amor de família( é um divertimento) Ou de discovey( é um conhecimento)

    Mas novelas?

    Só falta dizer que gosta tbm do BBB …

    E tem gente que paga pra asistir…

    Nassa…Nassa…

    Ó quem fala. Você conhece todos os seriados de TV a cabo, usa o tempo vago para jogar baralho na Hebraica e vive levando bronca da esposa por não largar da Internet. Um dia te conto o que significa assistir novela tendo uma filha debaixo de cada asa.

  40. Por uma questão temporal, não
    Por uma questão temporal, não acompanhei novelas na década de 60 ou 70 – e nem o começo dos anos 80.
    Me lembro de ter gostado muito de Mulheres de Areia, Mico-Preto, Que Rei Sou Eu? etc.
    As de hoje, realmente, não dá!

    Fico feliz de ver um Blog com bastante participação como o seu, parabéns.
    Fico triste com a quantidade de Blogs com conteúdo sensacional, mas com 2 ou 3 comentários.

  41. Quando eu era pirralho
    Quando eu era pirralho adorava as novelas da globo:

    “Roda de Fogo”, “Que Rei Sou Eu”, “Vale Tudo”, “Roque Santeiro”, “Cambalacho” e muitos etceteras.

    O problema não é só das novelas. A falta de criatividade atinge toda a industria brasileira de entretenimento de massa.

    O que falar da música pop tupiniquim atual? Quem já ouviu nos anos 80 Legião Urbana, Engenheiros do Hawaii, Lobão- cada qual com identidade própria- agora deve se contentar com Fresno, NXZero, CPM22. Essas bandinhas novas, além da baixa qualidade, trafegam todas no mesmo estilinho romântico-piegas.

    E na MPB? Ótimos intérpretes sempre aparecem, mas não acompanhados por bons compositores. Resultado, somos bombardeados por mil releituras dos geniais Caetano, Gil, Chico Buarque, Tom Jobim, etc.

    Exceções: o cinema brasileiro melhorou muito a qualidade da produção, e quando aliada a um bom roteiro tem proporcionado bons filmes. E as minisséries da globo ainda dão um show de bola.

    Nassif,

    É duro ter que aguentar o Paulo Henrique Amorim elogiando as novelinhas da Record, principalmente “Os Mutantes”, que consegue ser pior que novela mexicana.

  42. Acho engraçada a suntuosidade
    Acho engraçada a suntuosidade dos cenários e das casas na novela caminho das índias, quando lembro-me que a Índia é um país onde a grande maioria da população mora em cortiços. Alguns aqui devem ter notado o cuidado com que a globo escolhe o que mostrar, passando uma Índia que só deve existir nos sonhos deles…

  43. LN, vamulá:
    Não tenho
    LN, vamulá:
    Não tenho procuração de ninguém mas sei que falo mais ou menos o que a maioria pensa: nós achamos a novela boa. Acreditamos no trabalho da Glória. Estudamos profundamente a Índia antes de a novela começar, 3 meses de work-shop. Estive na India por 20 dias pesquisando. Levamos extemamente a sério nosso trabalho. Estamos dando nosso melhor, em todas as cenas, trabalhando com um prazer quase infantil – já que nossa profissão é um “brincar de casinha” o tempo todo. Nenhum de nós está ironizando qualquer coisa, muito, mas muito longe disso. Fazemos nosso melhor, sempre, por acreditar que fazemos uma coisa boa para nosso público e para nosso país.
    Sempre.
    Abraço a todos,
    zeh

  44. Oh ANARQUISTA, pare de ser
    Oh ANARQUISTA, pare de ser chato.

    LOST é o melhor seriado dos últimos anos. Ele consegue prender a atenção e manter o suspense em alta.

    Não assito pela TV. Alugo cada nova temporada que sai pela DVD e devoro em dois dias.

  45. LOST chato
    LOST chato anarquista????

    Pô, a quinta temporada está do baralho. E tem data para acabar. 2010. Não vai ser como o arquivo x.

    Ruim é o Heroes. O produtor parece que nunca leu HQ’s na vida dele.

    E Nassa, para de ser preguiça, com 4 horas de treino tu já vai conseguir competir com elas.

  46. Paulo de Freitas Dias
    Paulo de Freitas Dias Filho:

    Eu já fui fã do Lost.E o mundo tbm.( caiu demais a audiência)

    ASSistia toda segunda feira no canal 34 da net.

    E tbm na Globo no lugar de JÔ sOARES(quando estava em férias)

    Só que cansou a beleza( muitos anos sem solução)

    A última notícia que li na net:

    O seriado acaba daqui 2 anos.Nesse interim o médico sai da ilha e quer voltar.E faz tudo pra issso até conseguir.

    Então resolvi:

    Irei assistir os 5 últimos capítulos.

    E terei a resposta pra todos os enigmas.

    E agora uma curuiosidade:

    No programa de David Letterman uma personagem foi entrevistada.E disse: Nem eu e o elenco sabemos o final. E com certeza nem o roteirista.É legal ter um final imprevisível.Mas não precisava ser tão longo porque cansa o público.

    E cansou mesmo.Porque a audiência caiu vertiginosamente.

  47. É politicamente correto falar
    É politicamente correto falar mal da Globo, das novelas, do BBB. Eu prefiro falar mal das escolas de samba, do carnaval, do patrulhamento. Cada um pensa de uma maneira. Cada qual evolui por um caminho. Qual o correto? Depende de cada um. A escolha é pessoal. Tem para todos os gostos.

    Não assistia a essa novela. Não assisto televisão. Mas estou gostando de ver as meninas dançando com muita graça, principalmente a Juliana Paes. E não sabia o que era Dalit. Nem sabia que isso existia. Ouvia falar de uma população miserável na Índia, mas não fazia idéia do que era. Aprendi com a novela e com a Lu Dias. Não valeu a pena?

  48. Já diziam – Ninguém é uma
    Já diziam – Ninguém é uma ilha e as aparências enganam;

    Infelizmente faltam obras escritas e documentais em qtidade e qualidade q tratem desse tema d forma interessante e, mesmo q não faltassem q cada aprenda a pensar pela própria cabeça e não queira impor ou pensar pela dos outros.

    Preocupações c/a “influência perniciosa” da Tv já vem d longe – http://www.infowars.com/?p=7257 – Mas cuidado, talvez trocar a tv pelo computador seja no fundo só uma troca..

    Novelas, seriados, shows… d Hermes & Renato às Globais há gosto e espaço pra tdo, inclusive p/não se assistir nda, afinal ninguém é obrigado, mesmo qdo diga q é….

  49. Bom ANARQUISTA:

    Talvez
    Bom ANARQUISTA:

    Talvez assistir pela TV a cabo seja a forma mais cansativa de se assistir a um seriado. Pois você tem que esperar a semana inteira por um episódio que tem menos de 40 min de duração(cortando os intervalos). E se você perder a empolgação, aí abandona mesmo.

    Já alugando uma temporada inteira por DVD não dá pra cansar. Mesmo que você não goste tanto, acaba assistindo.

    Mas reafirmo, achei igualmente empolgantes as 4 primeiras temporadas de LOST.

  50. Além dos roteiros serem
    Além dos roteiros serem repisados a cada novvela que (re) começa, os modelos que colocam para contracenar – esses pensando que são atores – são canastrões demais. Ruins demais. Não aguento vê essa gente fazendo caras e bocas e dizendo muita bobagem. Coitadinhos.

    Alias, lembro de um seminario em Paris, onde o Gilberto Braga tentava explicar ao publico universitario francês, que o problema de se escrever para teledramartugia brasileira é que ele tinha que levar em consideração o numero consideravel de analfabetos existentes no Brasil. Ou de semi-analfabetos.

    Alias, de “Vale Tudo” para ca, ja se vão 20 anos, e quase nada mudou no Brasil. Viva nois!

  51. Ola,

    Tentei assistir
    Ola,

    Tentei assistir enquanto estava de férias e não consegui. Não consegui assitir por mais de vinte minutos. A fotografia da novela estava muito ruim! O figurino, os modos, tudo caricaturado.

    E aquele telão por trás dos atores passando as imagens da Índia, não sei como aquilo pode passar desapercebido para os telespectadores. A sobreposição é nítida, tão nítida e límpida quanto a água do Ganges que os atores utilizavam, quanto o branco da roupa indiana que os atores usavam enquanto passeavam na beira do rio Ganges!

  52. Paulo de Freitas Dias Filho
    Paulo de Freitas Dias Filho

    Eu não sei o que chama de ”empolgaNTE”

    Pra mim ”’EMPOLGANTE” é ter um final.

    E o LOST é INFINDÁVEL.

    Os maiorese diretores do cinema se preocupavam com o final.Sem necessidade de cita-los foram todos sem excessão.

    O mesmo se aplica a escritores de livros.

    LOST é escrito por capítulos.Sem nenhum sentido.Não há um final determinado.Não é uma história elaborada.

    Houve até( uma resenha do jornal NY,vc decide o final)

    Não curto issso.

    sorry.

    abraços!!

  53. Também acho q as novelas da
    Também acho q as novelas da Globo tem caído de qualidade, mas mesmo assim prendem boa parte da audiência.

    Acho q o grande problema é ficar repetindo uma fórmula à exaustão: personagens estrangeiros, com sotaques horríveis, vilões caricatos ficando bonzinhos na trama…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome