A demissão de Emir Sader

(Atualizado em 2 de março, com a resposta comunidado publicado por Emir Sader)

Por Renan Freitas

Nassif,

Acabou de sair na coluna do Alcemo Goesa que Emir Sader foi demetido antes mesmo de assumir a casa Ruy Barbosa. A que ponto chegaremos nesse Ministério do Ecad?

Abraços,

Renan Freitas

De O Globo

Emir Sader cai sem assumir Casa de Rui Barbosa após críticas à ministra da Cultura Ana de Hollanda

RIO – O sociólogo Emir Sader não vai mais assumir a presidência da Fundação Casa de Rui Barbosa conforme havia sido anunciado pelo governo, segundo informou o colunista do GLOBO Ancelmo Gois . A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, desistiu de nomeá-lo depois que Sader a chamou de autista em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo”.

Na entrevista, Sader criticou a ministra por não ter reagido aos cortes orçamentários. Ele também teria manifestado intenção de transformar a fundação num centro de debates sobre “o Brasil para Todos”, um slogan do governo Lula.

O sociólogo foi indicado pelo PT para a presidência da fundação, mas a nomeação não chegou a ser publicada no Diário Oficial. A fundação é vinculada ao Ministério da Cultura. Antes da escolha de Ana de Hollanda, Sader era cotado para assumir o comando do ministério.

Num texto divulgado no blog que mantém na internet, Sader negou que tenha criticado a futura chefe. “As referências, antes de tudo à ministra da Cultura, mas também ao Gil e ao Caetano, apareceram de forma totalmente deturpada”, disse Sader.

Segundo ele, “não houve intenção nenhuma de desqualificação, seguir polemizando nesses termos é ser vítima desse tipo de matéria, de que todos já fomos vítimas: dizer que disseram que alguém disse”.

Por Pedro Gualda

02/03/2011

Comunicado – Sobre a Casa de Rui Barbosa

Consultado sobre a possibilidade de assumir a direção da Fundação Casa de Rui Barbosa, elaborei proposta, expressa no texto “O trabalho intelectual no Brasil de hoje”. No documento proponho que, além das suas funções tradicionais, a Casa passasse a ser um espaço de debate pluralista sobre temas do Brasil contemporâneo, um déficit claro no plano intelectual atual.

Como se poderia esperar, setores que detiveram durante muito tempo o monopólio na formação da opinião pública reagiram com a brutalidade típica da direita brasileira. Paralelamente, o MINC tem assumido posições das quais discordo frontalmente, tornando impossível para mim trabalhar no Ministério, neste contexto.

Dificuldades adicionais, multiplicadas pelos setores da mídia conservadora, se acrescentaram, para tornar inviável que esse projeto pudesse se desenvolver na Casa de Rui Barbosa. Assim, o projeto será desenvolvido em outro espaço público, com todas as atividades enunciadas e com todo o empenho que sempre demonstrei no fortalecimento do pensamento crítico e na oposição ao pensamento único, assumindo com coragem e determinação os desafios que nos deixa o Brasil do Lula e que abre com esperança o Governo da Presidente Dilma.

Rio de Janeiro, 2 de março de 2011
Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Postado por Emir Sader às 07:34

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=673 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora