Almanaque do Vinil: Marquinho Carvalho apresenta os discos favoritos da coleção de João Guilherme

"Almanaque do Vinil" é um programa semanal na TVGGN, com colecionadores e amantes do vinil e da música brasileira

Jornal GGN – Com mais de 6 mil discos e uma paixão contagiante por música, o comunicador Marquinho Carvalho traz nesta edição do programa Almanaque do Vinil os discos favoritos da coleção de João Guilherme. Acompanhe na TVGGN:

O programa Almanaque do Vinil

Por Marquinho Carvalho

Almanaque do Vinil, inspirado no álbum de mesmo nome, de 1981, de Chico Buarque, foi pensado para indicar que o objetivo do programa é trazer, numa grande roda de conversas virtuais, uma miscelânea de informações, curiosidades e histórias, nem sempre conhecidas, que se escondem atrás dos discos de vinil.

O programa carrega em si um desejo antigo de ampliar e dar visibilidade a esse universo, reunindo não só colecionadores, mas amantes da música brasileira, artistas, produtores, radialistas, proprietários de “Sebos”, em entrevistas semanais com um público que segue ouvindo os “velhos” bolachões e que, com sua dedicação, não só não permitiram que essa cultura desaparecesse, mas também têm sido capazes de manter e revigorar a magia e a experiência única que é ter em mãos os discos de vinil que marcaram e continuam marcando e encantando gerações.

Nesses encontros teremos a oportunidade de rememorar e divulgar as histórias que circundam os lp’s, que vão desde a saga dos colecionadores apaixonados, até o contexto sócio-político e cultural de determinados discos e suas canções.

O Almanaque do Vinil quer dar vida e voz a centenas de coleções espalhadas pelo Brasil. Trata-se, em sua maioria, de acervos que têm vida tão pulsante e visceral quanto a de seus organizadores.

Eu mesmo, como parte desse universo, posso dizer que na minha coleção particular de discos, vejo não apenas o volume ou quantidade, mas vejo, sim, histórias fascinantes que cada um deles carrega. Histórias minhas, pessoais, mas também histórias de quem os produziu, carregadas magia, sonho, criatividade e, evidentemente, muito trabalho.

É impossível pensar a criação artística, em suas diferentes manifestações, sem a perspectiva do trabalho. A arte é resultado do trabalho humano, como bem definem aqueles que defendem que a criação envolve “10 por cento de inspiração e 90 por cento de transpiração”.

Por isso, não podemos nos esquecer que para produzir cada um desses LPs foi necessário muito suor e muito trabalho e, evidentemente, fantásticas inspirações que geram e geraram obras primas fundamentais para a cultura brasileira e internacional.

Cada disco teve, por exemplo, um fotógrafo, um designer para elaborar capas que, não raro, se tornaram icônicas, verdadeiras obras de arte. Além desses, a criação musical envolve também um produtor, um arranjador, um maestro, uma grande diversidade de músicos, o afinador de instrumentos e o próprio lutier que os fabricou. O Almanaque do Vinil pretende resgatar a história de cada um desses profissionais da música, com destaque não só para o olhar técnico, mas também para a carga afetiva que cada disco carrega.

Teremos oportunidade de conhecer a saga de homens e mulheres apaixonados que, como eu, passaram muitos momentos de suas vidas visitando as antigas lojas de discos, cujo desaparecimento, ao longo das últimas décadas, não foi suficiente para que esses aficionados desistissem de sua paixão.

Com o advento das novas tecnologias, nos tornamos frequentadores assíduos dos “Sebos”, local de peregrinação dos apaixonados pelo vinil, que não se curvaram às novas mídias e sustentaram a existência desse maravilhoso formato.

É a riqueza desse universo, portanto, que queremos ter o prazer de explorar no “Almanaque do Vinil”, todos os sábados, às 15h, no YOUTUBE.COM/TVGGN.

“Ô menina, vai ver nesse almanaque como é que isso tudo começou…”

Aguardo vocês por lá.

Nota do Marquinho:

Este programa não aconteceria sem o apoio e o carinho de tantas amigas e amigos de longa data e outras e outros recém chegados ao meu universo afetivo: Valeska (Meu amor), Dica (minha mãe), Bruno (meu sobrinho e editor do programa) Eduardo Jones (idealizador), Hamilton, Wilson, Adriana, Samuel, Michele, Manoel Napoleão, Levy, Nando, Regina, Totonho, Rai e Fernando Beira-Bar. Esta turma esteve ligada comigo de maneira visceral desde os primeiros movimentos para a realização deste sonho até agora na hora da estreia. Agora os agradecimentos a toda turma do GGN por terem abraçado o projeto do programa “Almanaque do Vinil” de maneira tão entusiasmada: Luis Nassif, Mariana Nassif, Lourdes, Cíntia e Ana Gabriela (Gabi). Deixo um beijo para a querida Eugência Gonzaga.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome