Polícia identifica jovem que matou Glauco

Por Adriana

Nassif, tem que corrigir essa nota, na verdade nao foi uma tentativa de assalto/sequestro, o suspeito identificado pela policia é um jovem conhecido da familia e de Glauco, possivel frequentador da igreja fundada pelo cartunista.

Do Uol

Polícia identifica jovem que matou Glauco e o filho; rapaz era “problemático e conhecido da família”, diz delegado

Arthur Guimarães
Em São Paulo

O delegado Arquimedes Cassão Veras Júnior, da Delegacia Seccional de Osasco, na Grande São Paulo, afirmou que o suspeito da morte do cartunista Glauco Villas Boas, 53, e de seu filho Raoni, 25, era conhecido da comunidade onde o crime ocorreu na madrugada nesta sexta-feira (12).

Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, 24, tem passagem pela polícia por porte de drogas e não tinha porte de arma, segundo a polícia. “Ele chegou, procurou pela família, discutiu com Glauco, sacou a arma e começou a atirar. Nesse momento, o filho do cartunista chegou. Ele continuou atirando e se evadiu”, disse o delegado, que classificou o jovem como “problemático”.

Glauco foi fundador e era coordenador da igreja Céu de Maria, que recebia até 400 visitantes aos finais de semana, segundo vizinhos, que também frequentavam o templo. A igreja, da doutrina do Santo Daime, ficava no mesmo terreno da casa de Glauco, na região da Estrada Portugal, no Jardim Três Montanhas, em Osasco (Grande SP).

Segundo Veras, o rapaz era “frequentador do local e conhecido pela família”. Com base nos depoimentos colhidos até agora, as investigações apontam que não houve tentativa de assalto e que se trata de um homicídio. A polícia ainda não encontrou o suspeito, mas afirma já ter localizado sua família.

O delegado disse ainda que o suspeito teria tentado cometer suicídio durante a discussão e que Glauco teria tentado fazer com que ele mudasse de ideia. Há a suspeita de que o homem estivesse drogado, mas não há confirmação. A mulher e a filha de Glauco também estariam presentes na hora dos disparos, mas a presença de outros suspeitos ainda não está totalmente esclarecida.

Hoje, quando a morte de Glauco e Raoni veio a público, a primeira hipótese é de que se trataria de uma tentativa de assalto praticada por dois homens. Horas depois, foi divulgada a informação de que o boletim de ocorrência do crime indicava a participação de um terceiro suspeito, que estaria no veículo. Uma testemunha reconheceu o suspeito como um frequentador do local. A partir dessa identificação, a polícia levantou informações sobre o carro e o endereço do rapaz.

O advogado da família e amigo de Glauco há mais de dez anos, Ricardo Handro, chegou a afirmar que dois homens armados invadiram o sítio em uma tentativa de assalto. Ao tentar persuadir um dos bandidos, Glauco foi alvejado com quatro tiros à queima roupa. O filho, ao chegar da faculdade, também foi atingido ao reagir.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora