Cine Ateu: O Sal da Terra

CINE ATEU: O SAL DA TERRA

 

https://vimeo.com/128242266

 

Do portal Cine Pipoca

O Sal da Terra

 

O Sal da Terra - documentário - filme

Indicado ao Oscar de Melhor Documentário este ano, O Sal da Terra reforça o trabalho de excelente documentarista de Wim Wenders, sempre indo além do óbvio para nos proporcionar uma experiência estética incrível.

Mais do que um documentário sobre o fotógrafo brasileiroSebastião Salgado, esse é um filme sobre vocação, fotografia, sonhos, buscas e, principalmente, pessoas. Que, como o próprio fotógrafo fala, são o sal da terra. O diretor alemão foi convidado pelo próprio Sebastião e seu filho Juliano Ribeiro Salgado, que co-dirige o filme. Segundo ele próprio explica em tela, pai e filho queriam um olhar de fora para ajudar a contar essa história. 

O Sal da Terra - documentário - filmeE o interessante é que esse “olhar de fora” se torna tão próximo e íntimo, pois Wim Wenders apresenta a sua visão daquele profissional que ele conheceu quase por acaso através de uma fotografia de Serra Pelada. Então, enquanto ele vai contando a história do fotógrafo, ele vai contando o que ele foi descobrindo à medida que pesquisava sobre o assunto. E em boa parte da projeção é o próprio Sebastião Salgado quem nos conta a história de suas fotografias. 

O roteiro é bastante feliz nessa estrutura mista. Só o prólogo já vale a experiência quando a voz de Wim Wenders nos introduz na trama explicando o significado da palavra fotografia. A passagem de bastão para Juliano Ribeiro, que narra uma parte menor do filme, também é bastante fluída, quase como uma brincadeira de criança no momento em que o garoto cresce. 

O Sal da Terra - documentário - filmeA montagem brinca com as fotografias, reconstruindo imagens e nos fazem viajar no tempo a partir delas. Com a foto tomando toda a tela, vamos ouvindo a narração com a voz do fotógrafo que conta como ela foi tirada, sensações, descobertas e objetivos daquilo. É como se após uma longa viagem,Sebastião Salgado nos reunisse em sua casa para contar como foi a experiência vivida a partir das imagens. 

Esse clima de intimidade é gostoso e nos faz embarcar na história de uma maneira intensa. Como é, essencialmente, um fotógrafo social, temos imagens fortes de pobreza, desnutrição, fome, morte. Mas, também de outras culturas, formas de vida, espaços pouco habitados, animais diversos. É uma verdadeira jornada pelo planeta Terra em fases bem definidas que vai sendo pontuada pela história do próprio fotógrafo, seu exílio do Brasil, a descoberta da fotografia, os primeiros projetos e o sucesso atingido. 

O Sal da Terra - documentário - filmeQuando Juliano Ribeiro Salgado assume a direção e narração do filme, há uma leve mudança de estilo, assim como um recurso de conversa mais direta. Com a câmera na mão ele faz perguntas ao pai durante uma expedição ao Ártico em que tenta fotografar morsas. Apesar de Wim Wenders o acompanhar em algumas expedições e até vermos os dois juntos em algumas cenas, não há um áudio direto de conversa entre os dois. 

É curioso também que o filme esteja sempre sendo conduzido em duas línguas bases, o inglês na narração dos diretores e o francês na fala do fotógrafo. Apesar de ser brasileiro, pouso se houve de português na tela. Apenas quando pai e filho trocam algumas palavras, ou no depoimento do Sebastião, pai do fotógrafo. 

O Sal da Terra é uma imersão na obra de Sebastião Salgado, mais do que na própria vida do fotógrafo, ainda que fiquemos sabendo muito dela, inclusive do seu trabalho com sua esposa, Lélia Wanick, para reflorestar a fazenda da família que se transformou hoje no Instituto Terra. Sem dúvidas uma bela jornada a ser seguida. 

http://www.cinepipocacult.com.br/2015/04/o-sal-da-terra.html

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora