Contas de Eduardo Cunha na Suíça viram tema de frevo no Recife

 
Do Vermelho
 
 
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não podia mesmo passar incólume pela irreverência do Carnaval pernambucano. O enredo no qual está envolvido – que inclui desde manobras no Parlamento a dólares que aparecem em contas na Suíça – serviu de inspiração para o frevo Continha na Suíça, que ironiza a atuação do deputado.
 

Criada pelo compositor Severino Luiz de Araújo, de 76 anos, a música foi gravada no mês passado pelo cantor Walmir Chagas, mais conhecido como Véio Mangaba, e tem arranjo do Maestro Duda. A canção foi inscrita no Concurso de Marchinhas da Fundição Progresso, no Rio de Janeiro. 
“Eu também tenho uma continha na Suíça/ai que delícia/ai que preguiça/ver minha cara todo dia no jornal/já sei que sou herói nacional/depois é somente correr pro abraço/mermão, esse dólar é mesmo um cracaço/iate de luxo, é ouro, é prata/trabalhei muito para ser um magnata”, diz um trecho do frevo.

Cunha é investigado dentro da Operação Lava Jato por manter contas secretas na Suíça. É acusado de receber US$ 5 milhões em propina para facilitar a compra de dois navios-sondas da Samsung Heavy Industries, pela Petrobras, um negócio de US$ 1,2 bilhão. Ele foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e está sofrendo processo no Conselho de Ética da Câmara, que pode desencadear a perda do mandato.

Severino Araújo acumula mais de 50 composições de frevos, e o carro-chefe éMorena azeite, vencedora do concurso Frevança em 1983. Ele também fez uma música para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, batizada de Mr. presidente. A faixa menciona processo de espionagem feito pelos Estados Unidos em vários países. 

Ouça o frevo Continha na Suíça, inspirado no presidente da Câmara, Eduardo Cunha:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora