Grupo Galpão de volta a Londres

O Grupo Galpão e a possibilidade de refazer a peça “Romeu e Julieta” em Londres..

Do Hoje em Dia

“Romeu e Julieta” pode voltar à capital inglesa

Em programa internacional associado às Olimpíadas, peça do Galpão deve voltar aos palcos

Miguel Anunciação – Crítico/Espetáculos – 23/02/2011 – 09:13

Arquivo hoje em dia

Romeu e Julieta

Elenco durante temporada no Globe Theatre: espetáculo pode voltar a Londres

Um dos mais louvados espetáculos teatrais brasileiros em todos os tempos pode voltar aos palcos. Apartado do repertório do grupo Galpão desde 2002, “Romeu e Julieta” vem sendo sondado para exibição em Londres, novamente, integrando maratona de natureza cultural paralela aos próximos Jogos Olímpicos, que acontecem na capital inglesa em 2012.

Nada estaria garantido ainda com relação à remontagem, principalmente no que tange a contratos. Mas haveria disposição de se reinvestir no espetáculo, tanto de parte do grupo quanto do diretor Gabriel Villela.

GranGrande admirador do teatro e da cultura brasileira de modo geral, muito ligado ao grupo AfroReggae, o estudioso inglês Paul Heritage foi o autor do convite ao Galpão, agora em fevereiro. Heritage também é quem articula a apresentação em Londres de todas as 38 peças de William Shakespeare durante as Olimpíadas. De preferência, montadas por companhias de outros países. O Brasil seria representado por “Romeu e Julieta”, do Galpão, que Heritage admira muitíssimo – e quem não?

Ele foi quem serviu como produtor do grupo durante a memorável passagem da peça pelo Shakespeare’s Globe (o teatro em que a própria companhia de Shakespeare se apresentava) em 2001. Uma temporada aclamada: entre outras celebridades, a inglesa Vanessa Redgrave, uma das mais respeitadas atrizes do mundo, foi conferir o Galpão no Globe e adorou. Ela fez questão de descer aos camarins para cumprimentar cada um dos atores. Devidamente gravadas, as cenas estão incluídas no DVD “Grupo Galpão em Londres – Romeu & Julieta no Globe Theatre”, dirigido por Paulo José.

É essa memória que Heritage sonha revisitar em abril, em três sessões no mesmo espaço mítico. “A maioria dos atores do grupo acha interessante fazer, o Gabriel Villela também foi sondado e topou, mas ainda é precipitado falar se vai mesmo acontecer (a remontagem)”, pondera Eduardo Moreira, ator e diretor do Galpão. Ele acrescenta que a notícia teria vazado num momento em que as conversações estariam bastante embrionárias. “Ainda há muita água para rolar”, afirma Moreira, frisando que, em nenhum documento, nenhum compromisso teria sido firmado por nenhuma das partes interessadas. “Precisamos saber em que condições de produção isso pode se dar”.

Espetáculo que voltou, definitivamente, as atenções do público do Brasil e do mundo para as qualidades do Galpão, “Romeu e Julieta” foi dirigido por Gabriel Villela, mineiro de Carmo do Rio Claro radicado em São Paulo desde a década de 1980. Produzido quando o grupo experimentava uma transição delicada, tendo que contrair dívidas para erguer a encenação, o espetáculo mostrou-se imediatamente um grande sucesso.

Logo na estreia, em Ouro Preto, sob tarde especialmente fria e chuvosa, a plateia não arredou pé um segundo sequer. E aplaudiu calorosamente ao final da apresentação. Ali mesmo começava uma carreira notável, premiada, de apresentações pelo Brasil e pelo mundo. Dez anos de uma carreira tão marcante que nem os nove seguintes, nem a morte da atriz Wanda Fernandes, que interpretava a Julieta, conseguiram fazer esquecer.

O convite de Paul Heritage pode trazer de volta toda o encanto de “Romeu e Julieta”. Pena que só o público inglês deva desfrutar, ou assim parece até agora.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora