13ª edição do Festival América do Sul Pantanal vem aí

Jornal GGN – A cidade de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, será o espaço de diversas atrações entre os dias 11 e 14 de novembro, com a 13ª edição do Festival América do Sul Pantanal (FASP). O evento envolve e reúne artistas, artesãos, produtores, agentes, além de técnicos culturais nacionais e de países como Paraguai, Bolívia, Uruguai, Chile, Peru e Argentina. A programação contará com cerca de 60 atividades entre shows musicais, espetáculos de dança, teatro, circo, mostras de artesanato, audiovisual, saberes indígenas, palestras, lançamentos de livros, fomento à economia criativa, gastronomia, entre outras.

O Festival, com o objetivo de revelar a expressão da arte contemporânea sul-americana, chegará também na praça brasileira de Ladário e nas bolivianas Puerto Quijarro e Puerto Suárez, ultrapassando as fronteiras e promovendo o intercâmbio cultural para todas as classes sociais.

Entre os destaques musicais está o duo argentino Tonolec, da atriz e jornalista Charo Bogarín e do músico Diego Pérez, que desenvolve uma fusão de música eletrônica com cânticos indígenas dos povos nativos sul-americanos. A apresentação, que realça as etnias Toba e Guarani, conta com instrumentos como charango e percussões, movimentos corporais, samplers e batidas eletrônicas.

Também estará presente a acordeonista de Valparaíso, no Chile, Pascuala Ilabaca, que passeia entre o folclore chileno, jazz, rock e a música indiana. A Orquestra de Cordas de San José de Chiquitos, da Bolívia, formada por crianças e jovens de 9 a 18 anos, apresenta uma mostra da música barroca, remanescente do trabalho de catequização de jesuítas espanhóis.

Entre os brasileiros, que confirmaram presença, estará o músico Carlinhos Brown e o violonista Marcelo Loureiro. O teatro traz a atração “Trono”, de Ivan Nogales, da Bolívia, e o público infantil poderá conferir o espetáculo “Buzum”.   

A edição ainda irá homenagear historiadora de arte Aline Figueiredo, nascida em Corumbá, em 1946. A crítica, aos 20 anos, se empenhou em buscar, nos municípios do Sul do Mato Grosso, artistas plásticos e os reuniu na 1ª Exposição de Pintura dos Artistas Mato-grossenses, no Rádio Clube de Campo Grande, em 1966. Além de organizar, com outros artistas, a Associação Mato-grossense de Artes, de grande importância na divulgação da produção regional.

Em 2015, a edição do Festival América do Sul Pantanal reuniu cerca de 40.513 pessoas, com uma programação de 108 atividades culturais realizadas por 470 artistas.

Confira a programação completa da 13ª edição, clicando (aqui). 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador