Modinha em memória de Umbelina Felismino Simões, por Luciano Hortencio

Umbelina e João Simões, com minha mãe Luzinha, em 1915.

Ja falei outras vezes sobre minha avó Umbelina Simões, porém hoje abordo a Umbelina que adorava trautear modinhas antigas que nos traziam, e trazem, prazer e doces lembranças. A AVE MARIA de Erothides Campos era entoada por ela de um modo que nunca ouvi através de intérpretes famosos. Ímpar.

Sempre tinha uma modinha, uma quadrinha, um mote para tudo. Sendo viúva e tendo casado suas duas filhas, veio, por insistência de minha mãe, morar conosco em Fortaleza. Saiu de Russas porém Russas jamais saiu dela. Conservou sua casa intacta e terminou voltando para seu lugarzinho bem em frente à Igreja Matriz, assistindo a todos os ofícios de sua janela, que dava exatamente para o altar mor. Ali viveu, morando sozinha, porém com a casa cheia de viziinhas e amigas, até fazer sua passagem, em 21 de abril de 1962.

Hoje apresento um vídeo insólito, onde pago o mico de entoar uma modinha que aprendi com ela. Como já sou protegido pelo Estatuto do Idoso, não tenho que temer críticas bem cabidas… Qualquer coisa, recorro ao Estatuto.

Umbelina Simões e minha irmã Ione Hortencio, fantasiada de baiana.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora