Pirarucu, o bacalhau do norte

Pirarucu

do site Só História

A lenda do Pirarucu teve sua origem nas águas amazônicas. O Pirarucu é um dos maiores peixes de escama do Brasil. E para explicar sua origem os índios costumam contar a seguinte lenda. O Pirarucu era um índio guerreiro da nação dos Nalas e que este jovem índio era muito valente e muito orgulhoso, vaidoso e injusto e gostava de praticar a maldade. Foi então que o Deus Tupã resolveu castigá-lo por todas as suas maldades e pediu a Deusa Luruauaçu que fizesse cair uma grande tempestade e assim aconteceu. Uma forte chuva caiu do céu sobre a floresta de Xandoré, o demônio que odeia os homens começou a mandar raios e trovões tornando a floresta toda eletrizada pelos fortes relâmpagos e o  forte guerreiro chamado de Pirarucu encontrava-se na hora da chuva caçando na floresta e tentou fugir, mas não conseguiu, vencido pela força do vento caiu ao chão e um raio partiu uma árvore muito grande que caiu sobre a cabeça do jovem guerreiro, achatando-lhe totalmente. O jovem guerreiro teve seu corpo desfalecido, carregado facilmente pela enxurrada para as profundezas do rio Tocantins, mas na floresta Xandoré o Deus Tupã ainda não estava satisfeito e resolveu transformá-lo aplicando-lhe um castigo severo e transformou o jovem guerreiro num peixe avermelhado de grandes escamas e cabeça chata e é este peixe Pirarucu que habita os rios da Amazônia.

***

Mamãe narrava a gaiatice de um papagaio que existia na escola de Dona Sinhorinha, na velha e boa São Bernardo das Russas (Russas). Algum engraçadinho ensinou ao louro uma modinha folclórica que tinha versos rimados com Iguatu e Pirarucu. Só que ensinou assim:

Na Fortaleza não tem mais dotô

Já foram todos para o Iguatu

Foram pra lá pra tratar do povo

Que comeu da carne do piraru…

Do piraru…

E a meninada indócil: Canta meu louro!

– Do piraru, do piraru…

 

Fazia muito tempo que procurava resgatar esse mote folclórico. Ontem, por mera coincidência, dei de cara com Jamelão interpretando PIRARUCU, do  folclore, adaptado e recriado por Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga, em gravação Odeon 13.048, de outubro de 1950. Prazerosamente, divido esse PIRARUCU com todos os amigos do Blog Luis Nassif e com quem quiser ouvi-lo e saboreá-lo.

 Hoje lá no Crato não  tem mais dotô

Já foram todos para o Iguatu

Foram pra lá pra tratar do povo

Que comeu da carne do pirarucu

 

Pirarucu, que peixe mais reimoso

Que carne forte, Deus Nosso Senhor

Cumadi Rosa ficou indisposta

De barriga inchada, que foi um horror

 

Mas o cumpadi disse pro dotô

Pirarucu não pode fazer má

Tão saboroso, o bacalhau do norte

Que apesar de forte é carne especiá

 

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora