Companhia Estudo de Cena relembra fatos esquecidos pela história

Foto: Fernando SolidadeCompanhia Estudo de Cena

Jornal GGN – Um projeto que resgata fatos históricos por meio da arte cênica irá ocupar polos culturais de São Paulo neste final de semana. As ações do  “Teatro e Memória” são comandadas pela trupe da Companhia Estudo de Cena, que por onde passa monta uma “barraca de cena” com estrutura de ferro e lona, com cerca de trinta e seis metros quadrados, para transmitir sua arte nas comunidades.

A primeira apresentação deste final de semana acontecerá no sábado, 4 de julho, com a apresentação do espetáculo “Guerras Desconhecidas”, na sede do Teatro Popular União e Olho Vivo – TUOV, no bairro do Bom Retiro. Já no domingo, 5 de julho, é a vez do espetáculo “A Farsa da Justiça”, que chega na Ocupação Marielle Franco, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto – MTST, que fica no Grajaú.

“Guerras Desconhecidas” é o espetáculo que deu vida ao “Teatro e Memória”, nele são resgatadas três guerras que não aparecem na história oficial do país: a Guerra do Pau de Colher, a Guerra de São Bonifácio e a Guerra do Quintino Gatilheiro. Episódios relatados no caderno “Guerras desconhecidas do Brasil” (2010), do jornalista Leonencio Nossa.

Espetáculo Guerras Desconhecidas

Foto: Fernando Solidade 

Com jogos, brincadeiras populares e pantomimas, esse último conhecido como um teatro gestual, a narrativa é conduzida por personagens como Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica. As cenas também fazem referência a escritos dos palestinos Edward Said e Mahamud Darwich, do peruano Aníbal Quijano e do poeta da Martinica, Aimé Césaire.

Para seus idealizadores, “O Teatro e Memória” tem a função de reproduzir uma viagem no tempo para aquele que assiste. “Nosso teatro narra histórias de revoltas populares que não são lembradas pela história oficial do país, mas que pertencem ao imaginário coletivo de parte do povo brasileiro e retratam a diversidade de nossa cultura. Nesse contexto, esse projeto é um convite à memória social, para que por meio dela possamos refletir sobre o nosso presente.”, explicou Diogo Noventa, diretor e dramaturgo da Companhia Estudo de Cena.

Espetáculo Guerras Desconhecidas

Foto: Fernando Solidade 

Já na apresentação do espetáculo “ A Farsa da Justiça” o público confere o fato conhecido como “O Massacre de Eldorado dos Carajás”, que aconteceu no sul do estado do Pará, em 17 de abril de 1996, quando um grupo de trabalhadores sem terra interditou a estrada PA-150 em um ato pela reforma agrária, mas foi reprimido pela polícia militar que matou oficialmente 21 trabalhadores e deixou 71 feridos.

Entre os feridos desse dia, que se tornou a data mundial de luta pela terra, estava Inácio Pereira, que se fez de morto, foi jogado no caminhão dos corpos e se revelou vivo apenas quando chegou ao Hospital de Eldorado dos Carajás.

Em 2005, a peça “A farsa da Justiça Burguesa” foi criada pela Brigada Nacional de Teatro do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) sob a coordenação de Augusto Boal, para ser apresentada na Marcha Nacional pela Reforma Agrária daquele ano. Entretanto, esta apresentação aconteceu em meio a repressão policial e, por conta de sua estrutura, não foi mais retomada pelo MST.

Foi em 2012, que a Companhia Estudo de Cena  decidiu retomar e adaptar a obra rebatizando de “A Farsa da Justiça”, com coordenação dramatúrgica de Sérgio de Carvalho e com objetivo de ser apresentada nas ruas e em espaços de reflexão crítica.

Agora, com o projeto “Teatro e Memória”, contemplado pelo edital 09/2017 do PROAC Circulação de espetáculo de Artes Cênicas para Rua no Estado de São Paulo, a Companhia Estudo e Cena ainda passará por  Santo André e ABC Paulista, até o final de agosto.

Serviço:

Espetáculo Guerras Desconhecidas

Local: Teatro Popular União e Olho Vivo 

Endereço: Rua Newton Prado, 766, Bom Retiro – São Paulo – SP

Quando: sábado, 4 de julho, as 16h 

Duração: 90 minutos – Indicação etária: 14 anos

Programação gratuita. 

Espetáculo A Farsa da Justiça

Local: Ocupação Marielle Franco – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST)

Endereço: Avenida Teotônio Vilela, 6400 – Grajaú – Zona Sul – São Paulo – SP.

Quando: domingo, 5 de agosto, as 16h

Duração: 45 minutos – Indicação etária: 14 anos 

Programação gratuita.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome