Sala de visitas entrevista Boulos e aborda construção de frente de esquerda

E ainda, Nassif entrevista músico e historiador Marco Prado sobre a influência do Jazz e Blues na produção mundial de música, e Caroline Proner, uma das organizadoras do manifesto Lula Presidente

 
Jornal GGN – Nesta edição inédita do programa Sala de Visitas, Luis Nassif entrevista o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, a professora de Direito Internacional da UFRJ e uma das organizadoras do manifesto Lula Presidente, Caroline Proner e, no bloco de música, o professor, guitarrista e historiador, Marco Prado, sobre a influência da música norte-americana, sobretudo o jazz e rock and roll, na cultura mundial.
 
No primeiro bloco, Guilherme Boulos, coordenador nacional do MTST e da Frente de Resistência Urbana, fala a resistência popular contra o desmanche dos direitos sociais, acelerado no governo Temer, e a reconstrução de uma frente nacional de esquerda no país. 
 
Boulos ingressou no MTST em 2002. É formado em filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, além de formado em psicologia com especialização em psicanálise, atuando hoje como professor na área. 
 
A ação mais recente realizada pelo MTST é uma ocupação que acontece na Avenida Paulista, em frente ao escritório do Temer, há 22 dias, com a realização de música, saraus de rap e aulas públicas, que já contou com a participação do jornalista Breno Altman e o jurista e professor de Direito do Trabalho da Universidade de São Paulo (USP), Souto Maior.
 
Os manifestantes exigem a retomada das contratações de moradia para os mais pobres através do Minha Casa, Minha Vida. Desde que o governo Temer assumiu, nenhuma moradia da faixa 1 do programa foi contratada – justamente onde está o grosso do déficit. Por outro lado, o programa avançou, mas para atender a população com maior renda, transformando praticamente em uma nova linha de crédito imobiliário.
 
Em seguida, Luis Nassif entrevista Caroline Proner. A professora de Direito Internacional da UFRJ é uma das organizadoras do manifesto Lula Presidente. Ela também faz uma avaliação da reconstrução da esquerda brasileira no sistema político e, ainda, a necessidade do fortalecimento das instituições e das leis constitucionais, caso contrário a democracia no país continuará em risco. 
 
Proner é doutora em direito pela Universidade Pablo de Olavide, Sevilha (2005), e pós-doutora pela École de Hautes Etudes de Paris. Como acadêmica, ela tem se aprofundado sobre temas ligados a direitos humanos, direitos fundamentais, direito internacional e justiça de transição. 
 
Nesta edição, entrevistamos também Edna Nogueira da Silva, colaboradora do Jornal GGN, nascida em Guaranhuns (PE) e radicada em São Paulo, que esteve em sua cidade natal quando a esposa do ex-presidente Lula, Marisa Letícia, sofreu o AVC e, em seguida, faleceu. Edna fala sobre a percepção dos familiares e conterrâneos naquele momento e da força que a imagem de Lula e Dilma tem naquela região.
 
Por último, no bloco de música, Nassif recebe na sala de visitas Marco Prado, professor, guitarrista e historiador pela USP que está à frente do projeto Tramas Culturais, realizado pela Fundação Ema Klabin e que faz uma viagem no tempo pela história da música norte-americana. 
 
A proposta é um curso que remonta a trajetória do início do Jazz, a importância de Louis Armstrong, a música country e das igrejas, a influência dos imigrantes na cultura americana, o Blues, o começo do Rock and Roll , e do Jazz-rock. 
 
https://www.youtube.com/watch?v=X1nUvAgFtM8
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora