Em defesa da TV Cultura

Por Sergio de Moraes Paulo

Nassif,

tenho um blog no qual dei um palpite sobre esse assunto. Era para ser algo simples, como a importância da TV Cultura para SP.

Inesperadamente percebi que a TV Cultura fez parte da minha vida, da minha formação.

Cheguei à conclusão de que a TV Cultura é um patrimônio de SP tão importante quanto a USP e o Museu do Ipiranga.

Fiz uma pergunta que tenho medo da resposta: quanto o governo do Estado de SP gasta com publicidade nas grandes redes e quanto ele destina à TV Cultura?

Dá para ser eficiente quando o seu patrão gasta mais com seus concorrentes do que com sua própria empresa?

Nassif, na hora de escrever me lembrei do Bambalalão, da GTigi, do Castelo Ra-Tim-Bum, do É proibido Colar (com apresentação do António Fagundes).

Lembrei do Opinião Nacional e do Ensaio.

Foi inevitável e me lembrei do Herzog.

Sim a TV Cultura incomodou os militares e a morte do Herzog é prova disso.

Os militares não acabaram com a personalidade da Cultura. Maluf, Quércia e Fleury também não conseguiram acabar com ela.

Por que haveriam de conseguir isso agora?

Ficaremos assistindo a tudo isso parados?

Você não acha que está na hora de um movimento suprapartidário em nome a Cultura?

Sim, literalmente em nome da cultura?

abraço.

Sergio de Moraes Paulo

http://opalpiteiro.blogspot.com/ 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome