Zumbis, quem eles realmente são

Influenciada pela estética nazista refinada, produzida por computação gráfica e distribuída pela indústria cultural norte-americana, a imprensa brasileira chama os viciados em crack de zumbis. Esta é, sem dúvida, uma forma cruel de desumanizá-los para legitimar a violência policial. Todavia, uma pergunta permanece sem ser feita e respondida: na História do Brasil quem são os verdadeiros zumbis?

Abaixo faço uma lista dos principais personagens que construíram nosso país.

Índios

Eles tinham armas primitiva e a terra muito desejada. Apreciavam banhos de cachoeira e eram tão felizes quanto os homens podem ser apesar de suas carências. Acusados de serem preguiçosos foram caçados, escravizados e exterminados.

Negros

Eles foram deslocados da África a força e obrigados trabalhar duro para ter apenas a liberdade de cantar e cultuar seus deuses nas senzalas. Quando ousavam querer ser realmente livres eles eram chamados de arruaceiros, pinguços e acabavam sendo chixoteados, torturados, marcados, caçados e mortos.

Mestiços livres

Filhos dos colonos com índias, negras e mulatas, os mestiços eram livres, mas não herdavam nem o nome, nem o patrimônios de seus país. Eles não pertenciam às culturas de suas mães e, por força do hábito, viviam nas bordas da sociedade colonial vivendo de favores e prestando serviços aos seus patrões. Eles forneceram as pernas que avançaram do litoral para o interior e os braços que brutalizaram as vítimas da exploração da colônia. Mas quando se rebelavam eram tratados como se fossem índios ou negros fugidos.

Judeus

Eles tinham sua religiao, seus costumes, suas famílias, um grande  apetite para o comércio e inteligência para exercer profissões liberais. Quando ousavam exigir igualdade de direitos eram acusados de ser inferiores e massacrados.

Comunistas

Eles não tinham nada além da fé na sua ideologia. Quando se organizavam politicamente para ter algo mais eles eram perseguidos, torturados e mortos. Alguns deles eram brancos, outros não conseguiam esconder que eram mestiços. Em razão da cor da pele, os comunistas mestiços sempre foram mais odiados e perseguidos pelos mestiços que compõe a soldadesca a serviço do Estado brasileiro.

Viciados em crack

Escravos do vícios eles não controlam seus próprios corpos. Eles não tem família, ideologia, terra, nem condições de trabalhar e de se organizar. Os corpos doentes deles expressam a doença da civilização que os produziu: pobreza, exclusão, desespero, fome e medo, muito medo da agressão policial.

Colonos e seus descendentes

Os colonos brancos eram impelidos por seus apetites heréticos: violentar negras e índias, matar os inimigos indígenas que controlavam a terra e coagir seres humanos vulneráveis a trabalhar para poder enriquecer rapidamente no Novo Mundo. Eles desumanizaram índios, negros e judeus e legaram o dinheiro e as terras conquistadas a força aos seus filhos brancos nascidos de suas esposas brancas. Os novos brasileiros sempre nasceram livres dos preconceitos dos pais, mas logo foram inoculados pelos mesmos apetites.  Os descendentes deles perseguiram e ainda perseguem ferozmente comunistas, índios, negros e viciados em crack. Judeus eles não ousam perseguir porque Israel tem bombas atômicas.

Quem são os Zumbis?

Na História do Brasil o único grupo que poderia em tese ser considerado composto por zumbis (seres inflexíveis que sempre fazem a mesma coisa impelidos por um desejo irracional) é o dos colonos e seus descendentes. Eles sempre usaram a violência e nunca sequer cogitaram conviver pacificamente e em condições de igualdade com os outros grupos de pessoas que habitaram e habitam o Brasil. No limite eles não consideram os “outros” como seres humanos e estão sempre prontos a devorar a humanidade deles, a desumanizando-os para poder caçá-los, torturá-los e matá-los como se eles não tivessem direitos humanos.

Ao mandar atacar ferozmente a cracolândia e demolir as precárias habitações dos viciados o prefeito Doria Jr., o governador Geraldo Alckmin, os coronéis da PM e o Juiz que autorizou as internações compulsórias, agiram como verdadeiros zumbis. Alguma dúvida sobre isto?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora