A dificuldade da Microsoft em crescer nos serviços de nuvem

É inacreditável como, sendo o gigante que é, a Microsoft não consegue uniformizar seu vasto mundo de produtos. Em qualquer ambiente competitivo, ela acaba superada por competidores mais funcionais e mais leves. E acaba chegando atrasada até competir em outros ambientes em que ela detém o padrão original.

Fui dos primeiros a testar o OneNote, anos atrás. Sempre me pareceu o organizador adequado para as novas mídias, aberto, funcional na organização das páginas e abas, podendo aceitar vários formatos.

Quando aderi à Apple, troquei-o pelo Curió, programa muito interessante, ótimo para algumas funções, mas sem a funcionalidade do OneNote para organizar conteúdo.

Quando teve início a era tablete e a computação em nuvem deslanchou, julguei que seria o produto ideal para a Microsoft competir.

Que nada. Na loja da Apple apareceu

Ela demorou a adaptar o produto para os novos tempos. Nesse ínterim, foram lançados algumas imitações mas que não operavam em nuvem.

Finalmente, lançaram o OneNote para iPad, mas não havia ainda o produto para os computadores de mesa e notebooks. Adquiri uma licença Office que permitia utilizar os programas no modo web e armazená-los em nuvem. Mas nada de aparecer o OneNote.

Antes disso, algum desenvolvedor lançou o programa Outline para Mac, excelente, um similar do OneNote muito mais prático e bonito que o oficial, para Windows.

Agora, finalmente, a Microsoft lançou o OneNote para Windows. É inferior ao Outline – que não é apenas mais funcional como interage muito melhor com o OneDrive do que o próprio OneNote.

Agora, lançou o pacote Office para IOS7 integrado com o servicó em nuvem. Baixei o Word. Nada tem a ver com o Word original. É praticamente igual ao Pages, do Apple. Letras acentuadas aparecem deformadas. A sincronização de arquivos é lentíssima.

Hoje de manhã, gravei no OneDrive um arquivo no formato Notebook, do próprio Word. Chego em casa, tento abrir o arquivo no meu Word. E nada. Aí tento abrir o arquivo Word Notebook com o Pages… E ele abre.

Ainda não experimentei o Excell no iPad mas não me animei muito.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora