Brasil tenta atrair investimentos estrangeiros em energia solar

Jornal GGN – No próximo dia 11 de junho, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) vai até Munique, na Alemanha, para tentar atrair empresários dispostos a fazer parte da cadeia brasileira de energia solar.

Em parceria com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a entidade vai levar informações sobre o potencial brasileiro, os incentivos governamentais, as linhas de financiamento e os possíveis locais para instalar fábricas e parques de geração.

O evento não contará apenas com empresários alemães. A expectativa é que empresas da Áustria, China, Itália e Espanha também estejam presentes.

O governo federal enviará representantes, que ficarão responsáveis por conversar com os investidores estrangeiros. Os empresários brasileiros, por sua vez, poderão buscar investidores ou mesmo empresas estrangeiras interessadas em joint ventures.

Além da Apex-Brasil, estarão no evento representantes do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), do Inmetro e também dos governos de Pernambuco, Minas Gerais e da Bahia.

O governo anunciou mais dois leilões de energia solar este ano e o primeiro deve ocorrer ainda este mês.

“O Brasil está vivendo um momento efervescente para o setor. Há demanda e há tempo hábil para que elas se instalem no país. Vale lembrar que, além da energia contratada pelo Governo, há interesse do consumidor que valoriza cada vez mais este tipo de tecnologia”, explicou o presidente da Apex-Brasil, David Barioni Neto. “Queremos mostrar para quem ainda não decidiu se estabelecer no Brasil, as oportunidades que temos a oferecer e as perspectivas de longo prazo deste mercado no país. Este tema é uma das prioridades da área de atração de investimentos estrangeiros”.

O primeiro leilão de energia solar do Brasil foi realizado no ano passado e atraiu R$ 7,1 bilhões em investimentos. Como resultado, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) prevê a construção de mais 31 empreendimentos de energia solar, com capacidade instalada de 889,6 MW.

Além disso, no mês passado, o grupo chinês BYD anunciou a primeira fábrica de painéis fotovoltaicos do Brasil, que será instalada em São Paulo com a meta de produzir 400 MW de painéis solares por ano. 

Leia também: Painéis chineses made in Brazil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora