Cientistas criam ‘menor filme’ do mundo com animação de átomos

Utilizando um microscópio de alta precisão, capaz de aumentar imagens em até 100 milhões de vezes, cientistas da IBM conseguiram realizar uma animação em stop motion (técnica de animação quadro a quadro) a partir da manipulação de átomos.

Com 90 segundos de duração, a animação, chamada Um menino e seu átomo (A boy and his atom, no original em inglês), foi desenvolvida por meio da movimentação de átomos em uma superfície de cobre que, tal como nos filmes tradicionais da categoria, eram fotografados em forma de sequência, para criar a simulação de movimento.

Veja abaixo o video:
 

 

O filme mostra um menino, feito de átomos em perfeito alinhamento, brincando com o que seria sua bola – um único átomo isolado. Os cientistas trabalharam 18 horas por dia durante duas semanas para concluir a composição de todos os 242 quadros e registrar cada um deles em fotografias feitas a partir das imagens geradas pelo microscópio. Para se ter uma ideia do tamanho dos quadros – e do poder de ampliação do microscópio –, todos os quadros ocupam a mesma espessura de um fio de cabelo humano.

O microscópio utilizado foi desenvolvido pela própria IBM alguns anos atrás – uma invenção que valeu o Prêmio Nobel aos criadores. Ao contrário dos microscópios tradicionais, o aparelho da IBM pesa duas toneladas e opera a uma temperatura de -268°C. “A possibilidade de controlar a temperatura, a pressão e as vibrações a níveis tão específicos faz do laboratório de pesquisas da IBM um dos poucos lugares no mundo onde os átomos podem se movimentar com tanta precisão”, afirmou Christopher Lutz, pesquisador da IBM.

Agulha é o ‘lápis’

Para posicionar átomos, o equipamento utiliza um tipo de agulha muito fina que, em interação com a superfície do cobre, é capaz de atrair ou repelir átomos e moléculas em posições específicas. A uma distância de apenas um nanômetro (um milionésimo de milímetro), a agulha atraiu moléculas de monóxido de carbono e as empurrou para um local específico da superfície.

A atração e repulsão ocorrem porque a ponta da agulha gera uma pequena carga elétrica que gera um efeito físico conhecido como “tunelamento quântico”: ao ser passada sobre uma superfície, a agulha “salta o intervalo” entre um átomo e outro.

“A ponta da agulha é tanto os nossos olhos como as nossas mãos: ela percebe os átomos para fazer imagens de onde esses átomos estão, e então [a agulha] é movida mais próxima aos átomos para guiá-los sobre a superfície para novas posições”, explica Andreas Heinrich, pesquisador-chefe do Centro de Pesquisas da IBM, na Califórnia. “Os átomos se mantêm em suas posições porque formam ligações com os átomos de cobre abaixo da superfície, e isso nos permite fazer uma imagem de todo o conjunto de átomos em cada quadro do filme”, explica.

De acordo com a IBM, o filme Um menino e seu átomo foi certificado pelo Guinness, o Livro dos Recordes, como a “menor animação do mundo”. O objetivo da empresa ao fazer o filme, segundo os pesquisadores, é o de incentivar as novas gerações a se interessarem por tecnologia e pelas ciências.

Além disso, a manipulação atômica também desperta o interesse dos cientistas no sentido de criar dispositivos de armazenamento de dados cada vez menores. No ano passado, cientistas da mesma IBM demonstraram a possibilidade de guardar um bit – unidade digital de informação – usando apenas 12 átomos.

 

 

Ver original

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome