Investidores brasileiros vão a Israel

Jornal GGN – A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) está organizando uma Missão para Israel com o objetivo de fomentar investimentos em inovação. No projeto, a Apex conta com a parceria da Anjos do Brasil, Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP), Missão Econômica de Israel, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Fundo Multilateral de Investimentos (FUMIN).

A missão será realizada entre 31 de maio e 4 de junho. As entidades levarão cerca de 20 investidores anjo e gestores de fundos brasileiros para Tel Aviv. Os participantes vão ter a oportunidade de se relacionar com investidores e empresas da região que têm potencial para se estabelecer no Brasil.

“Posicionar o Brasil como um país com ambiente propício para a inovação é fundamental para o crescimento do país. O desenvolvimento de empresas inovadoras é um dos caminhos e, dentro deste tema, o Capital Empreendedor, os investidores anjo e os fundos de investimento têm papel de destaque”, afirmou a Apex em nota.

“Os Estados Unidos e o Reino Unido são os alvos prioritários para buscarmos recursos para investimentos no país. No entanto, precisamos diversificar o risco dos gestores brasileiros em processo de fundraising, pois acabam ficando muito expostos às oscilações desses mercados. Por isso estamos iniciando, com esta missão, o processo de abertura em direção a demais países com ecossistema de investimentos em participação mais amadurecidos”, disse o presidente da Apex-Brasil, David Barioni Neto.

De acordo com levantamento da Emerging Markets Private Equity Association (EMPEA), 1,7% do PIB de Israel está em fundos de investimento.

Segundo o presidente da ABVCAP, Israel é um mercado relativamente pequeno e com uma posição geográfica desfavorável. “Para os nossos gestores é importante entender como empresas se desenvolvem, se capitalizam e fazem suas saídas. Para entender o processo é necessário entender a participação de cada player desde as aceleradoras, startups e firmas de venture capital. Através desse contato esperamos não somente entender melhor sobre o ecossistema como também conhecer os principais agentes nesse cenário e incentivar investimentos e parcerias entre os países” explicou.

Para Maria Rita Spina Bueno, diretora executiva da Anjos do Brasil, um dos principais desafios do empreendedor brasileiro é conseguir acesso ao “capital semente”, uma modalidade de investimento que dá recursos para a fase inicial dos projetos. “Esta é uma excelente oportunidade de aproximação dos investidores anjo brasileiros com os principais players do ecossistema de capital empreendedor de Israel para que eles possam vivenciar as tendências em modelos de negócios inovadores e as novas tecnologias. É importante que nossos investidores anjo se aproximem da vanguarda e entendam as boas práticas e melhores tendências em investimento para terem sucesso nesta atividade”, acredita.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Coitadinhos… O filho de um

    Coitadinhos… O filho de um rabino que era dono de uma empresa textil em Osasco, empresa contra a qual eu estava acostumado a advogar quando trabalhava para o Sindicato dos Trabalhadores Têxteis de Osasco, fez isto. Em alguns anos ele ficou sem nada e teve que implorar para o pai pagar a passagem dele de volta para o Brasil. O filho pródigo foi a Israel e se deu mal. Ha, ha, ha…

  2. é o troco!

    é o troco!

    …enquanto governo Dilma faz secretos acordos bilaterais de investimentos “Negócio da China!”

    burguesia empresarial faz diáspora para transparentes acordos multilaterais na “Jerusalém da Inovação”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome