Jovem de Itu cria chuveiro para os tempos de escassez de água

Sugestão de Cláudio José

do G1

Jovem de Itu cria chuveiro adaptado para ‘driblar’ banhos de caneca

Vídeo com a invenção já foi visto 1,9 milhão de vezes em seis dias.
Cidade sofre com racionamento de água desde fevereiro. 

Do G1 Sorocaba e Jundiaí

FACEBOOKTWITTERhttp://s.videos.globo.com/p2/i/play.png) no-repeat transparent;”> 

Um morador de Itu , cidade no interior de SP que vive sob um rígido esquema de racionamento de água desde fevereiro, está fazendo sucesso na internet com sua invenção. Nivaldo Diniz, de 27 anos, criou um chuveiro adaptado que contorna um dos transtornos de quem sofre com a falta d’água: o banho de caneca. O vídeo onde ele mostra a invenção – um galão de água com uma torneira acoplada – foi publicado em sua página na rede social e, em seis dias, visto por mais de 1,9 milhão de pessoas.

 Arquivo Pessoal/Nivaldo Diniz)Nivaldo criou chuveiro adaptado
(Foto: Arquivo Pessoal/Nivaldo Diniz)

Nivaldo conta que teve a ideia quando chegou um dia do trabalho e soube pelo pai que não teria água para tomar banho. “Quando ele me falou isso, respondi na hora: ‘Não vou tomar banho de canequinha, não'”, lembra.

Incomodado com a situação, ele começou a procurar utensílios que pudessem ajudar a improvisar um chuveiro que dispensasse o uso da caneca e fosse econômico. Foi quando ele lembrou de outra invenção que tinha feito. “Eu tinha feito uma improvisação para minha sogra poder lavar louça na casa dela, aí pensei em usar o mesmo princípio.”

O jovem revirou um cômodo da casa e encontrou as peças de que precisava: um chuveiro velho e uma torneira de bebedouro que estava desativado. Um galão de água mineral de 20 litros completou a adaptação. “Quis usar o galão porque a água fica protegida, diferente de um balde, que deixaria a água exposta”, explica.

Em menos de meia hora a invenção estava pronta. Banho tomado, o próximo passo foi gravar o vídeo e colocar na internet. “Todo dia quando voltava do trabalho eu via nas casas placas de pedidos de socorro por causa da falta d’água. Então achei que podia compartilhar minha invenção para diminuir o sofrimento das pessoas e ajudar alguém.”

Além das milhares de visualizações, o vídeo já foi compartilhado mais de 50 mil vezes. Centenas de internautas parabenizam Nivaldo e algumas dizem que já estão usando a invenção.

Diante do sucesso virtual, o jovem fez um novo vídeo com um passo-a-passo em que ensina a construir o chuveiro adaptado. (Veja abaixo)“Minha intenção é ajudar mais pessoas que precisem. Hoje estamos sofrendo com a falta de água, e se nada for feito pode ficar ainda pior”, diz.

Segundo Nivaldo, um galão de 20 litros rende de três a quatro banhos. “Mas tem quer usar com consciência, fechando a torneira na hora de se ensaboar. E se a mulher tiver cabelo comprido a coisa complica”, brinca o operador de máquina, tatuador, DJ e, agora, inventor.

http://s.videos.globo.com/p2/i/play.png) no-repeat transparent;”> 

 

  •  

VEJA COMO FAZER O CHUVEIRO ADAPTADO Reprodução/Internet)

 

 

Materiais necessários:

Alicate, chuveirinho, torneira de bebedouro, pedaço de mangueira de chuveiro, veda-rosca, lixa, cola e um galão de água

 Reprodução/Internet)

 

 

Faça um buraco na parte de baixo do galão de água da mesma espessura da torneira do bebedouro

 

 Reprodução/Internet)

 

 

Use uma barra de ferro para encaixar a porca da torneira do lado de dentro do galão.
[Nota da redação: a pessoa pode cortar a parte de cima do galão e rosquear com a mão. Use algo para cobrir a água]

 

 Reprodução/Internet)

 

 

Depois de passar cola, encaixe a torneira do bebedouro

 

 Reprodução/Internet)

 

 

Instalada a torneira, encaixe um pedaço de mangueira na saída de água. Se tiver dificuldade, esquente a ponta da mangueira até amolecer para encaixar. Depois, use o veda rosca, fita isolante ou cola

 

 Reprodução/Internet)

 

 

Quando a mangueira estiver firmemente presa, basta encaixar o chuveirinho na outra ponta

 

 Arquivo Pessoal/Nivaldo Diniz)

 

 

Coloque o chuveiro adaptado sobre uma prateleira presa firmemente na parede

Falta d’água em Itu
O racionamento de água em Itu já dura quase nove meses e alguns moradores dizem que ficam até um mês sem receber uma gota nas torneiras. O pouco que chega nas casas é com o caminhão-pipa.

 Reprodução/TV TEM)Filas são registradas durante a madrugada em
bicas de Itu (Foto: Reprodução/TV TEM)

Sem saber o que fazer para conseguir água, os moradores estão em busca de fontes de água, como bicas e poços, e quando encontram,estão virando a madrugada acordados em filas para encher os recipientes e poder levar para casa. As bicas recebem pessoas o dia inteiro e o movimento continua mesmo durante a noite e de madrugada.

No bairro Cidade Nova, uma das regiões mais castigadas com o racionamento, são três bicas. Canos onde moradores colocam garrafas e baldes para pegar água. Durante todo o dia, a cena se repete e há filas. O problema é que ninguém sabe a qualidade da água disponível.

 Reprodução/TV TEM)Moradores se arriscam em fontes de água sem procedência (Foto: Reprodução/TV TEM)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. O problema é que não tem água

    O governo tem que urgentemente fazer um “mutirão” (tucanês) da instalação de calhas e reservatórios para água das chuvas.

    Vamos esperar quando vão acordaaaaaaaaaaaaaarrrrrrrrrr…………

  2. Outras soluções

    Outra soluções, mais baratas e mais efetivas, para o problema da falta d’água teriam sido: 1) uma imprensa que informasse a população, ao invés de blindar seu governador; e 2) o voto.

    Mas isso já seria inventar demais…

  3. Racionamento desde fevereiro

    Racionamento desde fevereiro e  Alckmin teve 60% dos votos válidos. Aécio Neves 50% e Serra foi o Senador mais votado. A falta dágua afetou o cérebro dos Ituenses.

  4. Retorno de Jedi

    Muito criativa a “invenção”.

    Na verdade, os antigos chuveiros usados em locais onde não havia nem água encanada nem energia elétrica – como no sítio onde nasci e me criei – tinham exatamente os mesmos componentes em termos de funcionalidade: um recipiente onde colocávamos a água (aquecida no fogo), uma torneirinha para libaerar a água e um espalhador redondo e cheio de furinhos. De latão, e com uma roldana na parte superior para ser elevado até a altura do suporte.

    Enfim, retornam os velhos tempos!

    Só falta agora acabar a energia elétrica e alguém “reinventar” a lamparina.

     

  5. Contra a seca, reflorestamento…

    Pouco importa se a desertificacao e a seca sao ou nao causadas pelo aumento de CO2 na atmosfera.

    Sabe-se com seguranca que podem ser combatidos com reflorestamento.

    E floresta pode ser compatibilizada com producao de alimentos. Veja como:

    http://www.icmbio.gov.br/educacaoambiental/images/stories/biblioteca/permacultura/livro_AGROFLORESTA_ECOLOGIA_E_SOCIEDADE.pdf

    Voce aih que estah de saco cheio de cidade grande, poluicao, violencia e consumismo, por que nao adotar um novo estilo de vida? Comprar um pedacim de terra e cultivar no sistema agroflorestal?….

     

     

  6. Re-invenções

    Eu vi coisas parecidas nos campings gregos… existem até “chuveiros” prontos para viagem, em lojas de produtos para campings.

    Não é novidade, mas valeu.

  7. chuveiro de Itu – Barriga do Jornalismo

    Me criei no interior do Rio Grande do Sul, em Coronel Bicaco, na época uma vila sem água encanada e sem energia elétrica. A Energia só foi instalda em 57 ou 58, já estava no segundo ano do antigo curso primário. Água em canada só depois que a vila se tornou municipio em 63. O banho era tomado no rio ou num banheiro com um chuveiro feito com um pequeno tonel de folha de latão e uma torneira soldada no fundo com um chuveiro propriamente dito.Este chuveiro era vendido no comércio das cidades, portanto não era improvisado.   A novidade que a matéria anuncia, de novidade não tem nada. É uma cópia improvisada do nosso velho e bom chuveiro de latão, que sofisticado  funciona com um sistema de roldanas e uma corda para descer na hora de colocar água e subir na hora do banho. Falando nisso a água era aquescida numa chaleira no fogão de lenha e misturada com água fria. Portanto, tínhamos duas diferenças fundamentais em relação a esta invenção, nosso chuveiro era de latão, zinco ou coisa que o valha e sofisticadamente funcionava com um sistema de roldana. Vamos ficar mais atento às novidades, pois provavelmente no interior do Brasil muita gente ainda usa esse sistema simples de chuveiro. E, como eu deve estar rindo dessa tão anunciada novidade. Aliás nessa crise de água de São Paulo não tem novidade nenhuma, tem, a marca do governo do PSDB, que tradicionalmente não faz nada pelo povo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome