Melhora liberação de crédito para micro e pequenas indústrias

Jornal GGN – O Sindicato da Micro e Pequena Indústria de São Paulo (SIMPI) divulgou a 30ª rodada do seu Indicador de Atividade. O risco de fechamento de empresas ainda é real, mas cresceu significativamente o número de companhias que conseguiram crédito para pessoa jurídica.

Em agosto, 41% das empresas conseguiram a liberação de empréstimos, um aumento de 12% em relação a julho. “O estudo mostra que 26% do total de empresas tomaram algum tipo de empréstimo. Desses, 17% o fizeram para renegociar ou pagar dívidas, ambos são os maiores valores da série”, explicou o SIMPI em nota.

Também melhoraram os índices de satisfação e expectativa das micro e pequenas indústrias. Em uma escala de 0 a 200, uma média de 88 empresários se disseram satisfeitos com os resultados obtidos. Na mesma proporção, 108 empresários manifestaram expectativa positiva para o curto prazo.

Por outro lado, o índice de contratações e demissões passou de 84 para 92 pontos. O resultado, na verdade, representa uma volta ao patamar anterior, registrado antes de uma queda acentuada ocorrida entre junho e julho. Mesmo assim, o número de cortes supera o de contratações.

O índice de custos atingiu a pior marca histórica, chegando a 82 pontos, o que indica interferência direta da inflação nos resultados da micro e pequena indústria. O SIMPI atribui o resultado à alta dos preços administrados, como energia elétrica, água e combustível.

Mesmo com a melhora da liberação de crédito, o risco de fechamento ainda existe. 68% dos empresários ainda acreditam que a crise econômica põe as empresas em risco. 20% temem encerrar as atividades nos próximos três meses, o que resultaria no fechamento de 168 mil postos de trabalho.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome