Novo tipo de aceleradora vai preparar empreendedores para montar suas startups

Jornal GGN – Um modelo alternativo de aceleração de startups foi lançado na semana passada em São Paulo. Trata-se da Germinadora, empresa que ajudará candidatos a empreendedores na fase que antecede a criação de suas startups – o novo tipo de aceleradora contará com um espaço para troca de ideias e eventos ligados a programação, design, inovação e empreendedorismo digital, além de instalações para receber pessoas de outros estados.

Juan Bernabó, argentino radicado no país há 18 amos, e fundador da empresa, explica que “diferentemente de uma aceleradora, que busca ideias para alavancar, o da Germinadora busca transformar talentos em valor”. A ideia surgiu quando ele passou a receber muitas “reclamações de empreendedores, que não conseguem dinheiro para suas ideias, e de investidores, que não conseguem projetos bons”. Ao perceber que os aspirantes a empreendedores ainda mantêm uma postura amadora durante o processo de desenvolvimento da startup.

Bernabó resolveu, então, apostar em um novo modelo – em vez de promover pitch com empreendedores, a Germinadora fará pitch com empresas que enfrentem problemas no mercado, com foco nas demandas reais do mercado. A metodologia usada pela Germinadora começa pelo recrutamento dos candidatos a empreendedores – ela vai até o mercado atrás de aspirantes qualificados e motivados para empreender, seja em eventos, redes sociais ou em seu mailing com mais de 15 mil contatos profissionais.

Depois, vem a hora de botar a mão na massa em programas de imersão (bootcamp, em inglês). Para o primeiro deles, que será realizado na sede da empresa, em julho,  foram recrutadas 36 pessoas, entre designers, desenvolvedores e profissionais de áreas de negócios – 16 de fora do país ou de São Paulo e outros 20 da capital paulista. Os candidatos passarão 12 semanas colaborando na criação de 12 produtos, como aplicativos corporativos, por exemplo, que deverão ser levados ao mercado em seguida. Como cada um deles vira sócio desses times, quem participar do bootcamp receberá participação nos 12 negócios.

Calor, umidade e luz

Depois de ajudar os empreendedores a validar seus modelos, a empresa os assessora a transformá-los em negócios reais. Num segundo momento, os projetos qualificados participarão de outro programa, de seis meses, que os ajudará a decolar no mercado. Segundo Bernabó, o objetivo da Germinadora  é “fornecer calor, umidade e luz artificial para que o processo [de criação de uma startup] germine”. Bernabó explica que o foco principal é respeitar e tirar proveito da cultura local para desenvolver negócios focados na demanda – a cultura de San Francisco, por exemplo, é bem diferente da sde Nova York, exemplifica.

Entre as qualidades do empreendedores brasileiros, Bernabó cita o jogo de cintura, habilidades sociais e criatividade – “conseguem dar nó em pingo d’água”, comenta. Entre os pontos negativos, ele lista a falta de pragmatismo, a aversão ao risco e fantasias em torno de como será o processo de empreender.  Um defeito recorrente de alguns empreendedores, acrescenta,  é se apegar demais à ideia, mesmo que o mercado diga que não a quer.

Nos próximos cinco anos, a empresa pretende ajudar mais de 1,5 mil aspirantes a empreendedores a deslancharem no mercado brasileiro. Para isso, a Germinadora  vai utilizar a experiência de dez anos da outra empresa de Bernabó, a Teamware, que cria modelos corporativos para que “trabalhadores do conhecimento consigam ter 100% ou até 200% de produtividade”. No modelo da Germinadora,completa seu fundador,” em vez de um desenvolvedor criar um produto por ano, pode fazer  40”.    
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome