Plataforma une financiamento coletivo e construção compartilhada para startups

Jornal GGN – Construção compartilhada de ideias (“crowd sourcing”) e financiamento coletivo (“crowd funding”) são as duas formas mais utilizadas por startups para o desenvolvimento de ideias, produtos e aplicativos. Em geral, há plataformas específicas para as duas em todo o mundo, mas, nos EUA (Estados Unidos), uma nova delas promete unir ambas as vertentes em um mesmo espaço para amplificar o potencial de boas ideias, que poderão receber sugestões dos internautas e investimentos.

Chamada de fundo JumpStart, a plataforma surgiu de uma comunidade on-line com sede na Califórnia chamada “jumpstarter”, que, desde sua criação, esteve envolvida com investidores e no mercado de inovação, combinando ideias com oportunidades tecnológicas. O novo espaço digital quer oferecer ainda tecnologia patenteada e de resolução de problemas para as startups, já que, segundo os criadores da plataforma, a maior parte delas falha pela falta de experiência dos empreendedores e pelo pouco acesso a tecnologias de uso livre.

“Estamos tentando dar ferramentas necessárias às startups para que tornem seus produtos mais bem-sucedidos”, afirma o chefe e cofundador do fundo JumpStart, Dirk Ahlborn. “Crowdfunding juntamente com crowdsourcing é uma solução”, complementa. Assim, os internautas poderão compartilhar ideias novas e construir negócios baseados em tecnologia patenteada, inclusive com a possibilidade de receber gratificações financeiras com base nas colaborações fornecidas e aceitas.

Incentivo à colaboração permanente

O JumpStart estima que as colaborações dos internautas às ideias em andamento deverão receber uma comissão em torno de 10% sobre toda a receita de uma startup, desde que permaneçam ativos nos empreendimentos. Do contrário, os pagamentos pelas colaborações são cortados. “Queremos evitar que alguém faça parte de uma startup no primeiro ano e depois não se importe mais em dois anos”, explica Ahlborn.

Por enquanto, a plataforma só aceitará o ingresso de startups sediadas nos EUA, mas as ideias poderão ser enviadas de qualquer lugar do mundo. O JumpStart também disponibilizará um sistema de votação para os internautas escolherem as ideias candidatas a desenvolvimento. O programa conta com o apoio de laboratórios de pesquisa federais, o que vai assegurar o acesso dos empreendedores a milhares de patentes consideradas bens públicos, já que foram financiadas com o dinheiro de impostos.

“Estamos tentando resolver o fato de que é muito difícil e burocrático para chegar a essas patentes”, explica Ahlborn, ressaltando que investidores também participarão da comunidade e acompanharão as ideias sugeridas e as iniciativas em andamento, para fornecer recursos que ampliem o desenvolvimento das startups.

Com informações do Phys.org

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome