Violência ainda é um dos principais obstáculos para o desenvolvimento do Brasil

Índice, que avaliou 770 municípios brasileiros, classifica 85% deles no grupo mais distante de atingir o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável que indica Paz, Justiça e Instituições Eficazes

Violência é obstávulo para maioria das cidades alcançar o ODS 16

Por Airton Goes, do Programa Cidades Sustentáveis

Um dos grandes desafios para que a maioria das cidades brasileiras alcance o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 16, que preconiza Paz, Justiça e Instituições Eficazes, é reduzir os indicadores de violência. A conclusão, que serve de alerta ao poder público e à sociedade, foi extraída do Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil (IDSC-BR)

De acordo com o levantamento, que avaliou 770 municípios do país, 650 deles – cerca de 85% do total analisado – fazem parte do grupo de menor pontuação em relação ao ODS 16. Ou seja, encontram-se mais distantes de atingir as metas definidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o objetivo. 

A primeira delas propõe “reduzir significativamente todas as formas de violência e as taxas de mortalidade relacionada em todos os lugares”. 

Entre as cidades que estão com o ODS assinalado em vermelho (cor que define a pior classificação na escala elaborada pelo IDSC-BR) encontram-se as de maior população, incluindo todas as capitais estaduais. 

Para a classificação dos municípios foram computados diversos indicadores de violência, como: mortes por armas de fogo, homicídio juvenil, taxa de homicídio e violência contra a população LGBTQI+ (todos por 100 mil habitantes). 

Os dados disponibilizados pelo índice confirmam que os altos índices de violência registrados pelo Brasil se refletem na maioria de suas cidades.

De acordo com o IDSC-BR, apenas 46 municípios – aproximadamente 6% do universo avaliado – possuem indicadores compatíveis com as metas estabelecidas no ODS 16, razão pela qual apresentam pontuações mais altas e têm o objetivo assinado na cor verde. No geral, este grupo é formado por pequenos municípios, entre os quais: Santa Branca (SP), Angelina (SC), Fortuna de Minas (MG) e Mimoso de Goiás (GO).

Em 65 cidades – cerca de 8% – o ODS está marcado na cor amarela, a segunda melhor classificação na escala. Encontram-se nesta situação São Francisco do Maranhão (MA), Brodowski (SP), Campo Bonito (PR) e Nova Trento (SC).

Há ainda nove municípios (1%) situados abaixo dos classificados com a cor amarela. Fazem parte deste pequeno grupo, que possui o objetivo assinalado em laranja, Itaiópolis (SC) e Dois Irmãos (RS), além de sete cidades paulistas, entre as quais São Caetano do Sul e Ilhabela.

Baixe aqui os dados dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do IDSC-BR, incluindo o ODS 16 (em Excel)

Dia Internacional pelo Desarmamento

A divulgação dos dados do Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil (IDSC-BR) relativos ao ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes ocorre na véspera do Dia Internacional pelo Desarmamento. 

Assinalada no dia 9 de julho, a data foi criada pela ONU em 2001 e um de seus principais objetivos é retirar o maior número possível de armas em circulação, diminuindo assim mortes e violência em geral. 

Entretanto, nos últimos dois anos, o Brasil tem caminhado na direção contrária, com medidas do Governo Federal que facilitam e ampliam o acesso a armas e munições, bem como reduzem o controle e rastreamento das mesmas.

Além disso, na avaliação do Instituto Sou da Paz, o país ainda não conta com um Plano Nacional de Segurança Pública, medida fundamental para ações de combate e prevenção da violência.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome