Workshop discute sistema para gerenciar produção de biocombustíveis para aviação

Jornal GGN – Em parceria com a Boeing Research & Technology, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI) pretende mapear culturas energéticas e identificar áreas potenciais para sua expansão de maneira sustentável. Para viabilizar o projeto, um grupo de especialistas está reunido nesta quinta (16) e sexta-feira (17) na sede do instituto, em São José dos Campos (SP), informa o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. 
 
Durante o 1º Workshop Inpe-Boeing sobre o futuro dos biocombustíveis para a aviação no Brasil, os pesquisadores começam a definir o escopo do projeto intitulado Plataforma para o Gerenciamento de Culturas Energéticas Baseada em Tecnologias de Sensoriamento Remoto.
 
“Estamos definindo possibilidades de colaboração, limitações e metas para a implementação”, explica a pesquisadora Leila Fonseca, do Inpe, que coordena o projeto. “Já temos programado um segundo workshop, entre os dias 24 e 26 de fevereiro.”
 
A plataforma para culturas energéticas deve se basear nas tecnologias de geoprocessamento do Inpe, que desenvolve sistemas customizados capazes de acessar, processar, analisar e disseminar dados espaciais. A experiência do instituto no mapeamento da cana-de-açúcar (Canasat), entre outros projetos de monitoramento do uso do solo, também é um diferencial para estabelecer esta nova iniciativa.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome