A nova mídia

Tem razão o Clóvis Rossi, na coluna “Nossa Morte Anunciada” (clique aqui) comentando o suposto documento do PT de fortalecimento da mídia alternativa. Não há mais nem espaço nem razão para o aparecimento de novos jornais ou revistas impressos. A arena de luta do novo será através dos meios eletrônicos. As novas tecnologias permitem, pela primeira vez na história, furar a barreira de entrada no mercado. Antes, o investimento em gráfica, papel, na conquista de leitores já fidelizados pelos jornais e revistas existentes tornava quase impossível a entrada de novos concorrentes. Agora, não.

Para tanto, uma das grandes batalhas será a regulamentação da distribuição de conteúdo pelas teles. As emissoras abertas querem as mesmas regras exigidas para elas: maioria de capital nacional etc. Caiu a ficha da Casa Civil sobre as diferenças entre a infra-estrutura de transmissão e fornecimento de conteúdo. As teles se enquadram no primeiro caso, da transmissão, de infra-estrutura, e terão papel revelante para viabilizar a produção eletrônica independente. A produção é que precisa ser de capital nacional.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome