A pauta comercial dos estados brasileiros

Por Rudá Ricci

De outubro para cá, as pautas comerciais e fontes de recursos dos Estados ficaram escancaradas. Minas Gerais, por exemplo, revelou uma dependência muito forte das exportações diretas aos EUA. A crise imobiliária afetou duramente a arrecadação mineira (seguido pelo Estado do Espírito Santo).

Agora é a vez do Rio de Janeiro, com a história dos royalties do petróleo. A dependência do Estado é imensa. Um estudo do Instituto Nacional de Tecnologia (nota técnica 13/2003) sobre o impacto social da indústria do petróleo na região de Macaé, Búzios, Rio das Ostras e Cabo Frio constatou a escassez de análises e dados sobre o tema. Um dos destaques deste estudo é que o recurso advindo dos royalties chega rápido e excede a capacidade de inversão de maneira eficiente. No item 4.1 do referido documento:

“As inversões que derivam da bonança crescente geralmente são mal aplicadas.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora