A venda das lojas do Baú

Do Clube on Line

Silvio Santos quer vender lojas do Baú

Silvio Santos começou a se desfazer de parte de suas empresas, numa tentativa de reestruturar os negócios após o escândalo envolvendo o banco Panamericano, que fazia parte do Grupo SS.

A primeira empresa vendida foi a Braspag, de pagamentos digitais, negociada por R$ 40 milhões com a Cielo.

A próxima é o Baú da Felicidade, rede varejista com 137 lojas em São Paulo e no Paraná. A expectativa do grupo é fechar o negócio entre 60 e 90 dias. O Bradesco BBI é quem está conduzindo as negociações.

O nosso plano de reestruturação inclui a venda dessas duas empresas no curto prazo. Queremos focar em apenas três segmentos que nos interessam”, afirmou o vice-presidente do grupo Silvio Santos, Lásaro do Carmo Junior, ao iG. Com a saída da rede Baú, o grupo pretende alcançar receita de R$ 2,3 bilhões em 2011.

O grupo quer reforçar seu foco nas áreas de comunicação, consumo e capitalização, buscando fortalecer os negócios da Jequiti Cosméticos, das 14 emissoras de televisão, entre elas o SBT, e da Liderança Capitalização, responsável pela Tele Sena.

Outras empresas, como a construtora Sisan, o hotel Jequitimar e a seguradora Panseg, não estão à venda neste momento, segundo Carmo. “Elas são saudáveis, mas não devem receber grandes investimentos”, diz o executivo. Ele admite que o grupo poderá vender outras empresas no futuro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora