Home Editoria Economia Agroindústria cresce 6% no primeiro semestre

Agroindústria cresce 6% no primeiro semestre

06 de agosto de 2010, Pesquisa Industrial Produção Física – Agroindústria

Agroindústria cresce 6% no primeiro semestre(http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1681&id_pagina=1)

No primeiro semestre de 2010, a agroindústria brasileira cresceu 6%, resultado bem superior ao obtido no mesmo período de 2009 (-5,3%), porém abaixo do assinalado pela média da indústria geral (16,2%). Os setores vinculados à agricultura (4,4%), de maior peso na agroindústria, apresentaram desempenho semelhante aos setores associados à pecuária (4,3%). O grupo inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário avançou 34,1% e o segmento madeira, 23,8%.

O crescimento de 6% da produção agroindustrial deve-se a safra recorde que está sendo colhida em 2010, ao aumento moderado do volume e dos preços exportados de algumas commodities e da recuperação na fabricação de máquinas e equipamentos agrícolas. Vale destacar também a baixa base de comparação no primeiro semestre do ano passado, decorrente dos efeitos da crise econômica internacional ocorrida no final de 2008, que provocou queda nas exportações e nos preços internacionais. O cenário positivo para a agroindústria e o aumento da renda agrícola estimularam os investimentos no setor, refletidos sobretudo nos avanços observados em máquinas e equipamentos agrícolas (50%), em adubos e fertilizantes (3,1%) e em defensivos agropecuários (34,1%).

Em bases trimestrais, a agroindústria apresentou resultados positivos nos dois primeiros períodos de 2010. Após crescer 5,2% no primeiro trimestre do ano, a agroindústria aumentou o ritmo de crescimento no segundo (6,7%), impulsionada tanto pela melhora da agricultura, que passou de 2,6% para 5,5%, como da pecuária (de 2,8% para 5,8%).

O resultado do primeiro semestre de 2010 para a agricultura foi influenciado positivamente pelas boas condições climáticas, ao contrário do ocorrido no ano passado, quando houve estiagem na Região Sul, principal região produtora do país. Conforme dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de julho de 2010, a estimativa para a safra de grãos deste ano é de cerca de 146,4 milhões de toneladas, resultado 9,2% superior ao obtido em 2009 (134 milhões de toneladas) e 0,3% maior que a safra recorde de 2008 (146 milhões de toneladas).

Em relação ao setor externo, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX/MDIC), o volume exportado dos principais produtos da agroindústria apresentou as seguintes variações em comparação com o primeiro semestre de 2009: couros e peles de bovinos (17,1%), celulose (8,3%), carnes de bovinos congeladas (5,3%), carne de aves não cortadas em pedaços (2,5%), açúcar (0,9%), bagaços e outros resíduos da extração do óleo de soja (0,9%) e pedaços e miudezas de aves (0%). Por outro lado, registraram queda as exportações de álcool (-54,2%), fumo (-24,7%), óleo de soja em bruto (-13,5%) e grãos de soja triturados (-4,2%).

Produtos industriais derivados da agricultura

O setor de produtos industriais derivados da agricultura cresceu 2,6% no primeiro semestre de 2010, com resultados positivos em cinco dos oito subsetores pesquisados. O aumento dos derivados da cana-de-açúcar (15,7%) foi explicado pelo acréscimo tanto na produção de açúcar (20,1%), como na de álcool (11,9%), impulsionado sobretudo pelo crescimento do mercado interno, devido à expansão da frota de veículos bicombustíveis. Outras contribuições positivas vieram dos derivados da soja (2,8%) e trigo (1,5%), ambos puxados pelo crescimento da safra; laranja (35,7%) e celulose (2,7%). Em sentido oposto, as pressões negativas vieram de arroz (-7,6%), com redução na safra em função do excesso de chuvas no Rio Grande do Sul, maior estado produtor; fumo (-11,2%) e milho (-4,5%).

Produtos industriais utilizados pela agricultura

O setor dos produtos industriais utilizados pela agricultura avançou 18,9%, impulsionado pela maior fabricação de máquinas e equipamentos agrícolas (50%) e de adubos e fertilizantes (3,1%). Este segmento foi influenciado pela expansão da renda agrícola, decorrente da maior safra em 2010, e do aumento moderado no preço de algumas commodities. Com isso, o investimento em tratores e colheitadeiras e a utilização de adubos e fertilizantes na lavoura, itens fundamentais para o crescimento da produtividade agrícola, foram ampliados nestes seis primeiros meses do ano. O setor externo também contribuiu para o acréscimo na produção de equipamentos agrícolas, com crescimento na quantidade exportada tanto de colheitadeiras (17,5%) como de tratores de rodas (2,8%), segundo estatísticas da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA).

Produtos industriais derivados da pecuária

O setor de produtos industriais derivados da pecuária avançou 3,4% nos seis primeiros meses do ano. Neste grupamento, os derivados de aves aumentaram 4,6%, apoiado principalmente no mercado interno e na ligeira recuperação das exportações. Os derivados da pecuária bovina e suína recuaram 0,9%. A produção de leite, produto predominantemente direcionado ao mercado interno, cresceu 5%, enquanto a de couros e peles apresentou expansão de 14,8%, influenciada em grande parte pelas exportações.

Produtos industriais utilizados pela pecuária

O setor de produtos industriais utilizados pela pecuária cresceu 7,5% no ano, impulsionado pelo incremento de 11,2% no grupamento de rações e suplementos vitamínicos, de maior peso no setor, uma vez que o grupo de produtos veterinários decresceu 5,7%.


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Sair da versão mobile