Aproveitamento da biomassa

Do Projeto Brasil

Em um mundo onde as fontes de energia estão cada vez mais escassas, o aproveitamento total das matérias primas renováveis se torna importante. A biomassa de cana, por exemplo, pode ser fonte de biocombustível e eletricidade ao mesmo tempo, além de incentivar o setor de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). No processo de cogeração com biomassa, a obtenção de eletricidade e calor acontece com a queima de material orgânico.

Após a moenda, um terço do produto é usado para formação de açúcar e etanol (biodiesel). As sobras, formadas por bagaço, folhas e pontas são queimadas e geram eletricidade para alimentar as fornalhas. Cerca de 30% da eletricidade obtida é usada para consumo próprio e os 70% restantes podem ser exportados ao Sistema Interligado Nacional (SIN) ou a consumidores interessados.

Atualmente, o principal desafio para a disseminação da biomassa é a falta de redes de transmissão em áreas rurais, que pode impedir a venda de energia ao SIN. Representantes do setor afirmam que a previsão do ministério de que a fonte será responsável por 1% da geração de energia é tímida e pode ser ampliada.

O incentivo à P&D ocorre com a necessidade de se produzir equipamentos adaptados que podem garantir produtividade até 250% superior. Núcleos de P&D podem ser beneficiados já que quase todo maquinário necessário é produzido no Brasil. A eficiência permite que usinas produzam cada vez mais com as mesmas quantidades de matéria prima.

Embora necessite de ajustes regulatórios, as usinas de biomassa consolidam-se como geradoras de energia elétrica e calor em menor tempo, além de participar do mercado de créditos de carbono.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora