As multinacionais avançam sobre a mídia brasileira

Em 4 de dezembro de 2010, o grupo Estadão vendeu à Globo os 50% que detinha de capital da Zap, um portal de classificados na Internet. A alegação da diretoria do jornal foi a de “focar na nossa marca principal, levando a reputação e imagem também para as transações digitais”.

Hoje, como parte das comemorações de 140 anos, o jornal anunciou a compra de uma startup para negócios imobiliários, um fórum de debates sobre as tendências do setor e o Prêmio Desafio Estadão, para as melhores campanhas publicitárias veiculadas no jornal.

E mais não disse. E mais não fez.

***

Até a década de 90, o Estadão era absoluto nos classificados e na publicidade de imóveis, assim como o JT nos classificados de automóveis. A Folha de S. Paulo acompanhava de longe nos imóveis e o Diário de São Paulo o mercado de automóveis usados.

Hoje em dia, há uma multiplicidade de sites de classificados e as próprias imobiliárias montaram seus próprios sites.

***

Nos Estados Unidos, os grupos locais perderam para a Internet os classificados e as campanhas nacionais.

Não é a maior ameaça que paira sobre os grupos nacionais.

***

Na TV, uma das âncoras de audiência, as transmissões esportivas, já foram invadidas por grupos internacionais.

Estudo divulgado no próprio jornal pela colunista de TV, Cristina Padiglione, mostra que grandes grupos internacionais passaram a dominar os canais esportivos nos principais países da América Latina. Apenas no Brasil e no Chile o líder ainda é nacional, respectivamente o SportTV (Globo) e o CDF Premium.

Todos os demais canais esportivos foram superados pelos novos entrantes, especialmente a Fox Sports e a ESPN.

Mais que isso: apenas no Brasil e na Colômbia, o canal de esportes local está entre as dez maiores audiências da TV a cabo.

***

É questão de tempo para que o esporte na TV aberta seja atropelado. O grupo Globo tem R$ 16,2 bilhões de receita por ano. Seus competidores são a News Corp, que controla a Fox, a ABC Disney, dona da ESPN, e a Time Warner, que adquiriu o Esporte Interativo e a exclusividade da próxima Liga dos Campeões, todos muito maiores  

***

No pós-guerra, a estratégia de internacionalização dos principais grupos norte-americanos se dava em cima de associações ou parcerias com grupos nacionais. A TV aberta, exigindo influência política para a obtenção de concessões, e a legislação sobre capital estrangeiro impediam voos autônomos.

***

Em tempos de Internet e da TV a cabo caíram as barreiras de entrada.

Hoje em dia, grupos estrangeiros como a BBC, Reuters, Bloomberg e El País já competem de igual para igual com os grupos nacionais e produzem um jornalismo imensamente superior àquele desenvolvido pelos grupos brasileiros nos últimos anos. NewCorp, que controla a Fox, Disney, que controla a ESPN, e Time Warner avançam cada vez mais, atropelando as relações históricas da Globo com a  FIFA e a CBF.

***

Essa estratégia de internacionalização foi pensada anos atrás. Agora, outras referências mundiais, como The New York Times, Financial Times e outros começam a se expandir para além de seus respectivos mercados e em breve entrarão na Internet com edições em português..

***

É apenas uma ameaça a mais, em uma selva onde já coabitam tigres e leões que atendem pelo nome de Google e Facebook.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

37 comentários

    • Pois é, e o Neymar que está

      Pois é, e o Neymar que está sendo investigado como envolvido na transação suspeita de sua transferência do Santos para o Barcelona, estava nervosinho no jogo ontem e descontou no jogadores colombianos. Foi expulso.

      Em cima na cabine da Globo, como “comentarista”, encontrava-se outra celebridade futebolística paticipante ativo das maracutais do futebol, Ronaldo, o Fenômeno do oportunismo.

      E assim a Globo enterra o futebol brasileira, no dia que foi enterrado Zito, um dos mitos da mítica seleção bicampeã de 58 e 62

  1. A Globo já morreu faz tempo,o que temos nos dias que correm é um

    zumbi desesperado por carne humana e sangue de inocentes,mas logo aparecerá uma Alice para dar cabo ao que restou do império maldito.Saravá!

  2. monopólio no futebol ainda manterá a globo no topo

    A globo se fez na década de 70 como um verdadeiro monopólio virtual televisivo em cima de um tripé que vemos se reproduzir toda quarta feira entre 20 e 0 horas: jornalismo, novela e futebol. As novelas tem ainda um públio cativo mais antigo mas há muito sofrem para conquistar o público mais jovem que prefere séries do netflix ou da internet mesmo. Acredito que deva ser o primeiro dos pés do tripé que vai cair, se é que já não caiu. Os outros dois pés porém  ainda continuam firmes. O jornalismo da globo é a referência de quem acompanha o Brasil e o mundo pela TV aberta ou à cabo. Pode-se dizer que muita gente tem migrado para a internet para se informar mas por outro lado, eu vejo que eles se aproveitam dessa liderança nesse setor para vender um produto casado: um portal ligado aos canais globo. Sinceramente, pelo que eu acompanho das pessoas, muita gente lê o G1 e o globoesporte porque os concorrentes diretos deles não oferecem todas as “vantagens” que um sistema integrado como a globo oferece (basicamente vídeos com passagens para os programas deles). Mas seja lá como for, a situação do jornalismo, em que pese ser muito ruim nacionalmente, ainda sim é mais positiva do que a da cobertura do futebol e esportes pois, nesse caso, o monopólio é total ! Um El País ou BBC Brasil da vida (acho que pode por um GGN aí também na lista :p) consegue fazer boas reportagens que serão lidas por um segmento influente da população, o que lhe permite alguma entrada, mas a Fox e a ESPN Brasil por exemplo são completamente dependentes da Globo para a principal competição do calendário nacional de futebol que é o campeonato brasileiro. Isso para não falar de competições esporádicas da seleção nacional como copa américa e copa do mundo ou olimpíadas. Não á toa, ambas tentam empurrar goela abaixo do público nacional as competições internacionais que suas matrizes tem direito a transmissão, como campeonato alemão, inglês, uefa, italiano, etc. Só que não cola. O que o brasileiro quer ver mesmo é seu time jogando na TV (ou pelos menos outros times que disputem com ele a mesma competição) e de preferência em uma competição importante. Nesse sentido a Fox deu um grande passo ao conseguir a transmissão da copa libertadores e ao mesmo tempo fazer uma excelente cobertura. Está certo que a ESPN Brasil também tem a copa do brasil mas sinceramente é pouco, não tem o mesmo impacto. No que diz respeito à ESPN Brasil, vou te falar que eles regrediram muito nos últimos anos com grandes perdas de material humano já sendo hoje em dia facilmente batidos e em pouqíssimo tempo pela Fox brasileira. No cenário atual, com o virtual monopólio da globo sobre o campeonato brasileiro, ela ainda vai reinar durante muito tempo como mídia soberana, mesmo tendo seu jornalismo cada vez mais contestado e com as novelas esvaziadas.

  3. Netflix

    Faltou falar sobre a Netflix, (o verdadeiro tiro de misericóridia na Globo). As séries vão aos poucos substituindo o interesse dos brasileiros nos “rame-rame” repetitivos das novelas globais. O interessante é que a Netflix vem cada vez mais adquirindo e produzindo atrações internacionais para a sua grade. Já está em produção uma série dirigida pelo José Padilha contando a história de Pablo Escobar (que será interpretado por Wagner Moura) e que será filmada na Colômbia.

    Não dá mais para a Globo.

    • fenômeno interessante
      Marcos, aqui em casa está acontecendo o seguinte: Minha filha de 20 anos assiste Netflix no horário da novela da globo. Minha esposa assiste novela, aos poucos minha filha está conhecendo minha esposa a assistir Netflix.

    • Falando em José Padilha, o

      Falando em José Padilha, o cineasta vazou para L.A.  Aqui uma excelente entrevista para a Revista Trip: 

      http://revistatrip.uol.com.br/revista/244/paginas-negras/jose-padilha-fala-sobre-hollywood-cinema-a-serie-narcos-e-o-brasil.html

      Conversando com gente de cinema, produtores etc., eles têm uma ideia de que o Brasil é uma economia que está crescendo porque as bilheterias estão crescendo no Brasil. Eles imaginam que a economia está bombando, como bombou há oito anos. Não percebem o que está acontecendo porque a deterioração do Brasil foi muito rápida e tão aguda que a mídia daqui não acompanhou. Então, quando eles me falam “e o Brasil está bombando”, eu falo “não está, não”, tem aquela cara de espanto: “Como? O que aconteceu?”. A minha experiência é que as pessoas não acompanham o Brasil, é quase desimportante para o americano normal.

      […] 

      Só uma pessoa completamente alienada da realidade pode tentar imaginar que um brasileiro consciente não vai ficar chateado com o que está acontecendo no Brasil, ou vai achar que o Brasil está bem, que o Brasil está no caminho certo.

      […] 

      O primeiro motivo pelo qual eu vim pra cá, e acho que nunca falei isso pra ninguém, aconteceu na época em que o Tropa de elite 2foi lançado. Estava na minha produtora, no Jardim Botânico, e um belo dia alguém ligou e perguntou se eu estava. A secretária respondeu: “Ah, o Zé tá sim, tá numa reunião”. E a pessoa: “Ah, tudo bem, só estou checando porque a gente marcou uma reunião”. Dez minutos depois, na minha pequenininha rua no Jardim Botânico, entraram duas motos pela contramão, e está tudo filmado, pararam em frente à produtora, um carro parou na esquina e o cara tocou a campainha e perguntou por mim. Minha secretária, esperta pra caramba, se ligou e disse que eu não estava, e os caras, armados, ficaram insistindo uns 3, 4 minutos para entrar. E eu dentro da produtora, olhando na câmera e pensando: os caras vieram me sequestrar, né? Olhei em volta, o que eu tenho aqui? O Marcos Prado, meu sócio, tinha acabado de filmar Paraísos artificiais e tinha um arbalete, uma arma de mergulho, de pescar. Peguei o arbalete porque, se os caras entrassem, eles iam me pegar. Eu rindo, mas rindo de nervoso, né?

      […]

      O Brasil perdeu a sensibilidade para o absurdo. A cidade do Rio de Janeiro é a barbárie. Outro dia me deu vontade de chorar. Estava lá no jornal a foto de um médico morto, na Lagoa Rodrigo de Freitas, a facadas, para roubar a bicicleta dele. Duas semanas antes, o marido da minha irmã estava andando de bicicleta na Lagoa e foi esfaqueado, roubaram a bicicleta, e ele passou a noite no hospital. Tenho outro amigo, arquiteto, cujo filho sofreu a mesma coisa. Vamos fazer um paralelo: é como se a gente estivesse no Central Park, em Nova York, e as pessoas que estão andando de bicicleta fossem esfaqueadas. Sabe o que ia acontecer? Ia fechar o Central Park, ia ter quinhentos policiais, não ia acontecer. Porque o sujeito que está em Nova York consegue ver o absurdo, a gente não consegue mais ver o absurdo.

      […]

      É evidente que quem estava apoiando a campanha da Dilma apoiava um governo que ia morrer nos próximos seis meses. Já era claro o tamanho da corrupção. No minuto que você aceita que vai associar o seu nome a bandidos, você já perdeu porque o seu parâmetro ético e moral já desceu a tal nível que virou discussão de malandro de botequim. E discussão de botequim o Lula ganha porque ele é malandro de botequim.

  4. O ASSUNTO É OUTRO, MAS TEM LIGAÇÃO. HUMILHAÇÃO CONTINUADA.

    Porque a PF não faz operação nas operadoras de celular? Porque? São tantas denúncias na ANATEL que algo tem haver de errado nas denúncias. Alteram o ANDROID com apps que somem com os créditos dos pré-pagos. A VIVO por exemplo disponibiliza o nº 1058 para você reclamar fiquei mais de quarenta minutos ouvido música e de vez em vez uma voz aparecia dizendo para eu mandar um SMS para o nº 1058 para ser atendido por mim mesmo é assim que ele fala, você se atende, porém como vou reclamar se os créditos sumiram com quem? De mim mesmo. Infelizmente Nassif, o governo perdeu a rédea do país, a Mídia enfraquece o governo e ele fica acuado por empresas e não faz mais nada. Não é possível diante de tantas reclamações na ANATEL a polícia federal não fazer nada, será que será preciso a justiça americana vir aqui para eles fazerem alguma coisa como no caso da CBF. A final porque estas multinacionais da telefonia mandam no governo? Nunca vi nada mais fraco, nem o Sarney era mais franco do que esse governo DILMA, O governo não tem nada só blá …blá..blá…Vou lhe confessar uma coisa, algo muito ruim está se aproximando.  Porque o governo está deixando o povo ser ROUBADO pelas operadoras de celular e não move uma palha. Porque o governo tem tanta raiva do povo simples, acha que é só dá BOLSA FAMILIA. Porque essa roubalheira toda e na cara da justiça e PF e ninguém move nem um processo nessas joças. Estão sim modificando o ANDROID e roubando os créditos das pessoas. só pode ser isso porque não tem outra explicação. As operadoras estão humilhando o povo brasileiro e com a permissão incondicional do governo. PF, não é só político que estar ROUBANDO essas operadoras viraram máquinas caça níqueis estão enfiando a mão nos bolsos nacionais, porque esse silêncio sepulcral com essa turma? Será que também estão na categoria de inimputáveis também. Vergonha, os caras ganham salários altíssimos pagos com dinheiros dos impostos dos cidadãos e ignoram esses cidadãos como se fosse todo mundo uns zé manés, como se eles fossem reis de um olho só em terras de cegos porém eles pensam mais as pessoas não são mais cegas elas veem sendo roubadas e humilhadas e vivendo nesse país de Alicies. Vamos trabalhar né pessoal. 

    • Tá tudo dominaduuu!!!

      Em relação aos casos que tenho visto, as evidencias (MUITO FORTES *) é que o poder de nomeação das Agencias está totalmente concedido às operadoras. Ou seja, as raposas estão autorizadas a tomar conta do galinheiro, e agora com o Cunha mandando nos dois poderes, sendo ele conhecido lobbista das operadoras, isso só vai piorar. Entregaram-nos, nós e nosso mercado de consumidores brasileiros, de graça, para bandidos e agora esses bandidos estão controlando as agencias que deveriam controlá-los. 

       

       

      (*) Muito fortes. Mas, MUITO FORTES, mesmo! Muito mais fortes que aquelas suposições e suspeitas que autorizaram o STF a mandar pra cadeia meio mundo, em 2012, com base apenas numa suposta “literatura alternativa” do Direito, conhecida apenas por Suas Excelencias, referenciada por aquela preclara e multicultural Ministra Rosa Weber.

  5. Graças a Deus…

    Quem sabe não teremos revistas do calibre da Time e da Economist e redes abertas de melhor qualidade?

    Os grupos nacionais que realmente tiverem o que oferecer aos seu público, permanecerá de pé.

    Convenhamos: em termos de dramaturgia, a TV brasileira não chega aos pés em criatividade do que estão fazendo lá fora. E não falo de produção, falo de roteiro mesmo. Aliás, veja o cinema argentino, com roteiros muito mais interessantes que os nossos. Os últimos bons filmes brasileiros foram Central do Brasil, Cidade de Deus e O Som ao Redor – não à toa a boa receptividade que tiveram em outros países.

    A “ameaça” é para aqueles que imaginavam continuar deitadinhos em berço esplêndido, em suas capitanias hereditárias.

    • Isso ja é reflexo claro da

      Isso ja é reflexo claro da baixa escolaridade do Brasileiro de uma maneira geral.

      Até dos que escrevem bem…e não sabem fazer uma conta.

      Se vc não sabe nada de poha nenhuma, vai escrever sobre o que?  Adianta escrever bem?

  6. A competência é o nome do

    A competência é o nome do jogo nessa concorrência. Tivesse a mídia nativa se importado em fornecer qualidade em lugar de partidarismo e alienação, talvez a situação fosse outra.

  7. O processo ditatorial da esquerda…..

    Acho interessante a esquerda, nunca criticaram a Globo quando ela reportava a cada 5 minutos os problemas econômicos e polítcos do governo Sarney, nem quando ajudou a derrubar o Collor com os escândalos passando em todos os telejornais e plantões de notíicias, nem quando criticava os escândalos e todas as medidas do FHC ou mesmo quando ajudou a eleger o Lula…..
    Agora que a TV, que sempre foi sensacionalista e parcial, reporta os problemas que aconteceram de verdade (não estou falando da forma e sim do conteúdo) a mídia virou um problema e deve ser calada…..
    Isso acontece no processo de “transformação social”, que alguns acabam chamando, eu incluvise, acredito que pejorativamente, de AUTORITARISMO…..

    • sufocamento financeiro

      nassif fala da queda dos classificados no estadão, mas não fala da total ausência de anúncios de estatais e empresas públicas… é a asfixia financeira para calar as poucas vozes que denunciam o descalabro atual…

    • As multinacionais avançam sobre a mídia brasileira
      Parece que você não é brasileiro.
      Se é, não vivia no Brasil na época da ditadura, do Sarney, nem do Collor.
      Se vivia, não via televisão.

    • As multinacionais avançam sobre a mídia brasileira
      Parece que você não é brasileiro. Se é, não vivia no Brasil na época da ditadura, do Sarney, nem do Collor, nem do FHC.Se vivia, não via televisão.

  8. As multinacionais avançam sobre a mídia brasileira

    Isso é a Globalização, que tambem atingiu em cheio a Mídia. A Globalização tem suas vantagens e desvantagens.

    A minha área de tabalho foi atingida já nos finasi dos anos 90. Até então tudo funcionava as mil maravilhas. Com a ascendência da internet, o intercânbio cultural ficou bem mais evoluido e a competição econômica ficou mais acirrada. Tanto que muitas atividades, antes produtivas, foram extintas por conta desse avanço. Inicialmente foi péssimo por não estarmos abituados a inovações tão rapidamente implantadas. Mesmo a telefonia era inacessível a muitos. 

    Isso é a evolução. Antes os papeis eram muito importantes para tudo. Hoje, os Jornais podem ser eletrônicos. Já não precisam ser só papel. 

    A televisão pode ser vista em qualquer parte do mundo, se tiver internet, é claro.

     

  9. Uma proposta de cluster

    Uma proposta de cluster no meio das midias?

    O movimento jornalistas livres

    https://www.catarse.me/pt/jornalistaslivres

    P.S. – sobre “cluster” a área do jornalismo, no rodapé do post há um link para um artigo sobre cluster na área do marketing

    http://www.jornalggn.com.br/blog/spin-ggnauta/midia-portuguesa-adota-o-cluster-para-o-portugal-2020

    Enfim, ou os brasileiros acordam e dào um jeito de ganhar dinheiro com esse importante setor da economia, talvez o mais rentável de todos, ou entregarão o filé mignon para as multinacionais o que, em termos do desenvolvimento econômico e social, é bem melhor do que o atual monopólio autofágico e apátrida das Globos, Vejas, Folhas e Estadões

  10. Oh, meu Deus! Fujam para as colinas!

    Quanta baboseira. O receio é de que o PT não possa pautar as comunicações de veículos controlados por empresas estrangeiras?

    Com certeza a qualidade da informação na Venezuela é muito melhor, né? Ou quem sabe na China?

    Tenho uma idéia, assista você somente às emissoras estatais que o Pt criou e peça ainda pra lançarem a PT TV. Assim seus receios estarão salvaguardados e terá acesso ao que o partido quer que você saiba e pense.

  11. Oh, meu Deus! Fujam para as colinas!

    Quanta baboseira. O receio é de que o PT não possa pautar as comunicações de veículos controlados por empresas estrangeiras?

    Com certeza a qualidade da informação na Venezuela é muito melhor, né? Ou quem sabe na China?

    Tenho uma idéia, assista você somente às emissoras estatais que o Pt criou e peça ainda pra lançarem a PT TV. Assim seus receios estarão salvaguardados e terá acesso ao que o partido quer que você saiba e pense.

    • As multinacionais avançam sobre a mídia brasileira

      Acho que você não entendeu o post. Leia de novo, com atenção, e você verá que o blog está apenas fazendo jornalismo, ou seja, publicando uma informação: a mídia estrangeira está tomando o espaço da mídia brasileira, que não tem competência para competir no mescado global. Só isso.

    • Pra seu governo, polemista:

      Pra seu governo, polemista: há mais de seis meses não assisto às tvs e rádios comerciais. Há anos não leio jornais e revistas e mais de dois anos não acesso os portais da mídia comercial brasileira (por muitos erroneamente chamada de grande mídia ou grande imprensa). E posso garantir: estou muito mais bem informado depois que tomei essa atitude. A BBC, referência no jornalismo mundial, é pública. Em nosso País, a TV Brasil, embora com poucos recursos, estrutura e audiência, mantêm uma programação de alta qualidade. 

      O que sei da Venezuela é que lá, por meio da música, o governo conseguiu incluir socialmente milhares (senão mais de milhão) de jovens. A China, seja ela socialista ou capitalista (comunista, no sentido exato do termo, jamais o foi) não é uma democracia e por lá há censura, como em todos os regimes autoritários (sejam eles capitalistas ou socialistas). O objeto da discussão aqui não é a Venezuela, a China ou o PT, mas os meios comerciais de comunicação brasileiros. Não tergiverse, quando a discussão se lhe torna desfavorável.

  12. INTERNET VEIO PRA FICAR

    Nos Estados Unidos muitos lornais impressos de grande tradição simplesmente fecharam depois do advento da internet, que disponibiliza informação para quem ants tinha que comprar os jornais e revistas impressos. Aqui não é diferente, mas ficam levando esse fenômeno para o lado “ideológico”…

    É óbvio que os classificados dos jornais impressos diminuiram pois os anúncios estão nos celulares… só compra jornal quem gosta de manuseá-los, e ante a falta de hábito do brasileiro na leitura, sobram poucos compradores. Isso é mostrado pelo nassif como um fracasso empresarial dos jornais e não um fenômeno da tecnologia e do progresso…

    agora não dá uma palavra sobre o sufocamento financeiro do boicote da maciça propaganda oficla à “midia golpista” que denuncia os escândalos e a incompetência do governo… e quando os grupos da mídia nacional tem bom faturamento, são taxados de “monopolistas”… bem ao estilo lulla que festejou recentemente a demissão de jornalistas dos meios de comunicação nacionais…

    Alguns enaltecem a entrada dos grupos internacionais como se fossem a “salvação” da imprensa, mas que compromisso terão com o Brasil…? Visam tão somente o lucro e a destruição da concorrência (local)… Se a entrada da cultura “ianque” já é grande, imagine depois…

    Daí terão saudades dos grupos nacionais… 

    • Fala serio!

      “sufocamento financeiro do boicote da maciça propaganda oficla à “midia golpista” que denuncia…” você por acaso entrou no site da Secom para ver as verbas milhonária distribuidas para globo e demais falidos.

      Tem que ler cada uma!

  13. A imprensa brasileira faz por merecer sua derrocada…

    A imprensa brasileira faz por merecer sua derrocada. Hoje em dia não perco meu tempo lendo o PIG, pois me sinto contemplado pela blogosfera. E estou torcendo para que os grupos de mídia internacionais ingressem no mercado brasileiro para jogar pá de cal no que resta do PIG. 

  14. Enterremmmos a Globo. Já esta

    Enterremmmos a Globo. Já esta fedendo Não dá tempo de esperar a   Volta do Zorro”  para faze-lo.Até 2018 não existira  nem ossos.

  15. A Midia Brasileira Perdeu!

    Vamos a conversa.

    O Globo, Abril, Folha, a mídia e outros onlines web brasileiros bateram de frente e sem olharem para seus sistemas.

    Brigou com o Facebook por não dar “privilegio” saiu fora e pensou que era fácil, caiu do cavalo e não conseguiu fazer seu sistema funcionar. Aliais, pensou pequeno, igual quando aportou no apogeu das novelas brasileiras/autores realmente, na Europa, rapadura é doce mais não é mole não, pois tem que ter dentes, saiu corrida e quebrada.

    Já vinha tentando por anos embarreia os principais do cabo as informações, alegando que não podiam por não ter participação nacional, os tais 51 por cento, chegou e ainda melam obstruindo informações do Google e outros sítios. O Google boicotou informações delas e saiu com dos nanicos, caso do informativo ABC e o Portal Terra, pois os informativos das paginas fazem somente o resumo com os links. Perdeu tecnicamente e politicamente. Politicamente, pois se a mídia brasileira reclama da entrada de outras na internet brasileira as internacionais apoiam a regulação da mídia. Virou do fogo inimigo para o fogo amigo.

    A mídia brasileira ambiciona reserva de mercado do Brasil para o PIG na internet.

    A mídia externa quer o mercado livre e globalizado. Que vença o melhor! Qua! Qua! Qua! Apoia e da algum suporte para a regulamentação brasileira.

    Enfim, não teve um meio de comunicação que passou para internet, área muito técnica e investimento que foi rápido e de visão não poderiam acompanhar. E alto risco e por fora da área! Motorola, Nokia, Blackberry, etc também ficaram. O papel como foi tratado pelos jornais e usado acabou! A agilidade, flexibilidade como no exterior se mostrar e que facilitou mais no Brasil não,  como um paralelo o Estadão e The New York Times acabam ou se adapta a nova tecnologia. Foi assim com disco de vinil, o tape e o cd, hoje está na forma digital e na era futurista (1931) do Dick Tracy. Muitos músicos ganham com seus shows. A informação ganhou dinâmica própria da comunicação! E o virtual é igual à relação na vida.

    O PIG luta como um leão ate ser banido definitivamente ao seu devido lugar e que nunca deveria ter saído. 

  16. Muito menos a Internet

    Muito menos a Internet pertencerá às replicas atrasadas que vocês, com efeito, projetam como fragmentos opostos da verdadeira sabedoria.

    Ninguém alude a possibilidade de uma direção universal chegar a guiar a teoria econômica caracterizada com fulguração gratuita, autoridade e autonomia, inclusive dedicada aos governos de exposição progressiva.

    Seus comentários subalternos aos partidos vão parar no museu dos objetos, tendo como alternativas exercitar operações da ignorância, isto é, sem o poder; porque não presume que a tese cujo teor é previsível te faz sustentável.

  17. Sei não. Não que eu não goste
    Sei não. Não que eu não goste de ver, por exemplo, a Globo, afundar. Mas de que adiantará se estes grupos internacionais adotarem as mesmas práticas da Globo (por exemplo). Pelo que me consta elas são muito mais poderosas, mas não menos parciais que a Globo. São todas reacionárias.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome