As negociações da TV digital

Nos próximos dias, será anunciada a formação de um grupo interdisciplinar para começar, de fato, as negociações com os japoneses em torno do padrão de TV digital.

Até agora houve apenas jogo de cena. Com a decisão política de escolher os japoneses, o Brasil não se preparou adequadamente para saber o que pedir, como contrapartida. Não adianta pedidos genéricos. A discussão precisa ser em cima de pontos específicos de transferência de tecnologia, das etapas para a assimilação da tecnologia por pesquisadores nacionais, da maneira como o desenvolvimento brasileiro entrará nos padrões japoneses.

Nada disso existia. Ficou-se então naquele genérico pedido de implantação de uma fábrica de chips – que, na verdade, servia apenas de álibi para justificar a decisão política de atender os interesses das emissoras de TV aberta.

Agora, formou-se um grupo com representantes dos fabricantes, das próprias emissoras, e dos pesquisadores que participaram do desenvolvimento do sistema brasileiro. Não será apenas mais um grupo: os fabricantes e as emissoras vão ter que entrar com dinheiro para financiar os estudos.

Aí sim, fora do clamor das eleições, e do lobby do Ministério das Comunicações, começará a negociação a sério com o Japão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome