Banco do Brasil lucra R$ 3,062 bilhões no trimestre

Jornal GGN – O lucro líquido do Banco do Brasil (BB) atingiu R$ 3,062 bilhões no terceiro trimestre deste ano. No período de janeiro a setembro, o BB registrou lucro líquido de R$ 11,8 bilhões, o que representa crescimento de 43,5% em relação aos nove primeiros meses do ano passado.

Os ativos do banco atingiram R$ 1,6 trilhão em setembro, aumento de 10% em 12 meses e 2,7% em relação ao trimestre anterior. De acordo com o comunicado do BB, o aumento foi favorecido principalmente pela expansão da Carteira de Crédito Ampliada.

A carteira de crédito registrou aumento de 9,8%, em 12 meses, e atingiu R$ 804,6 bilhões, em setembro. No trimestre a alta foi 3,6%. O financiamento imobiliário, que registrou aumento de 34% em 12 meses e 6,4% no trimestre, foi o principal responsável pela alta.

A carteira de crédito ampliada, formada por operações com clientes pessoa física, finalizou o terceiro trimestre com saldo de R$ 189,6 bilhões, crescimento de 8,1% em 12 meses. As linhas de menor risco (Crédito Consignado, CDC Salário, Financiamento de Veículos e Crédito Imobiliário) continuam expressivas, alcançando 79,5% do total da carteira. Destaque para o crescimento de 36,8% na linha Crédito Imobiliário PF, frente ao terceiro trimestre de 2014.

O saldo de crédito concedido às empresas encerrou setembro com R$ 362,2 bilhões, 5,9% maior nos 12 meses. As operações de capital de giro e de investimento, que representam 69,8% do total, obtiveram crescimento de 3,8% e 7% em 12 meses, respectivamente. Nos nove primeiros meses deste ano foi desembolsado mais de R$ 32,7 bilhões em crédito para investimentos.

O BB encerrou o trimestre com saldo de R$ 149,8 bilhões em poupança, alta de 1,7% em comparação ao segundo trimestre de 2015, reflexo de estratégias de comercialização do produto.

Os índices de inadimplência do BB continuaram abaixo do observado no Sistema Financeiro Nacional (SFN). Ao fim de setembro de 2015, o índice de operações vencidas há mais de 90 dias representou 2,20% da carteira de crédito classificada, inferior ao patamar do SFN, que registrou 3,1%.

Já a BB Seguridade registrou lucro líquido de R$ 3,2 bilhões nos nove primeiros meses de 2015, o resultado é 37,9% superior ao verificado no mesmo período de 2014. Segregados os efeitos extraordinários, o lucro líquido ajustado atingiu R$ 2,9 bilhões, crescimento de 26,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

As receitas nos segmentos de seguros, previdência e capitalização somaram R$ 44,1 bilhões no acumulado do ano, crescimento de 15,7% em relação aos nove primeiros meses de 2014. O destaque ficou com o segmento previdência, que atingiu R$ 27,1 bilhões em receitas de contribuições, crescimento de 25,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

A Brasilprev alcançou R$ 138,1 bilhões em reservas ao final dos nove primeiros meses de 2015, crescimento de 33,5% em 12 meses, resultado do aumento das contribuições de previdência e da manutenção de um dos menores índices de resgate do mercado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora