BCE está em alerta para antecipar medidas à crise

Jornal GGN – Em entrevista nesta segunda-feira (26), o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, afirmou que a instituição está observando a taxa de câmbio e a dinâmica de crédito com algum cuidado. Tudo isso para enxergar sinais mais evidentes de preços negativos, que possam afetar a economia.

O executivo da autoridade monetária disse também que apertos de crédito estavam freando a recuperação de países sob estresse da crise. E que os efeitos de uma moeda aprecisada poderiam segurar a inflação no bloco do euro. O BCE ainda insiste na meta de 2% de inflação anual, embora ainda não tenha atingido um patamar condizente com seu objetivo.
 
Draghi declarou que se a taxa de câmbio ou acontecimentos do mercado resultarem em um aperto não justificado das condições monetários e financeiras, isso deverá exigir ajustes por parte do BCE. Para ele, a responsabilidade é a de estar alerta aos riscos que podem surgir e, automaticamente, aplicar soluções antecipadas.

 
Para o momento, as atenções dele e de todo o banco estão voltadas para uma possível espiral negativa de inflação baixa, queda das expectativas de inflação e crédito, em particular em países com sua economia mais enfraquecida. Uma desestabilização das expectativas de inflação, para Draghi, “seria o contexto para um programa de compras de ativos”.
 
A próxima e aguardada reunião do conselho do BCE será realizada no próximo dia 5 de junho.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Europa se recuperando, Europa

    Europa se recuperando, Europa caindo, se recuperando, caindo.

    Agora, “BCE está em alerta para antecipar medidas à crise”

    E com isso vamos colocando esperanças vãs e promovendo o desemprego.

    Manipulação pura.

    O sistema está considerando a população uma manada que age bovinamente.

    Se esquece, no entanto, do estouro da manada.

    As políticas neoliberais da UE não resolveram os problemas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome