Cinco perguntas para o economista Ricardo Carneiro

Atualmente é professor Titular Colaborador da Universidade Estadual de Campinas.

da Associação Brasileira de Economistas pela Democracia

Cinco perguntas para o economista Ricardo Carneiro

A etapa atual do capitalismo financeiro

1 A etapa atual do capitalismo tem sido qualificada de capitalismo financeiro. Você poderia nos explicar o que é capitalismo financeiro? O que levou à Grande Recessão de 2007/2008? Antes da pandemia, economia mundial ainda sentia os efeitos dessa crise?

A renda financeira na sociedade brasileira

2 Sobre o nível historicamente elevado das taxas de juros no Brasil, você diz, no seu livro Desenvolvimento em Crise, que a abordagem keynesiana parece ser a mais convincente: “segundo essa hipótese, não existe nenhuma razão externa aos mercados financeiros, ou pertencente ao mundo real, responsável pela determinação das taxas de juros. Esta última é o produto de convenções e do grau de certeza ou incerteza que os agentes atribuem a essas convenções.”

Ainda no artigo Navegando a contravento: Uma reflexão sobre o experimento desenvolvimentista do governo Dilma Rousseff, que você fez para o livro Para Além da Política Econômica, você diz que em 2012 e 2013, o governo Dilma “cutucou as onças com vara curta”, ao praticar uma política de redução tanto da taxa básica, a taxa Selic, quanto das taxas cobradas pelos bancos públicos.

Queria que você falasse sobre esse entendimento de que as taxas de juros são uma convenção, sobre a renda financeira dos diferentes setores da sociedade brasileira. Essa política ajudou a azedar a relação do governo Dilma com a elite empresarial brasileira?

“O fracasso do experimento desenvolvimentista” no governo Dilma

3 No artigo Navegando a contravento, você usa, diversas vezes, a expressão “fracasso do experimento desenvolvimentista”, mas numa das vezes você fala do “fracasso do governo Dilma”. Você também aponta que “trajetória da economia brasileira durante o período 2011-2016 só pode ser explicada a partir da interação destes três elementos: o estrutural, o cíclico e a política econômica”. Poderia nos contar seu entendimento desse período?

O fluxo de capitais estrangeiros

4 As reservas cambiais do Brasil estão perto de 350 bilhões de dólares e, mesmo assim, o câmbio flutua bastante nos momentos de maior tensão nos mercados financeiros internacionais. Você poderia explicar esses movimentos? O que é carry trade? E como os fluxos de capitais têm ‘qualidades’ diferentes?

O pós-golpe e os efeitos da pandemia

5 Do ponto de vista econômico, o apoio ao golpe de 2016 e à eleição de Bolsonaro buscava, aparentemente, “recuperar rapidamente o tempo perdido” nos governos Lula e Dilma. Eles implantaram o congelamento de gastos, mudaram completamente a estratégia da Petrobras, retiraram direitos dos trabalhadores, fizeram a reforma da Previdência e assim por diante. Como você vê esse período pós-golpe e que efeitos você acredita que a pandemia terá nessa estratégia do poder econômico?

Breve currículo

O professor Ricardo de Medeiros Carneiro possui mestrado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (1976) e doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (1984). Obteve a Livre Docência nesta universidade em 2001 e cargo de Professor Titular em 2008.

Foi Visiting Fellow da London University (1997/98), da Université de Paris, XIII (2008) e da Universidad Complutense de Madrid (2009/2010).

Foi Diretor Executivo pelo Brasil e Suriname do Banco Interamericano de Desenvolvimento em Washington (2012/2016).

Atualmente é professor Titular Colaborador da Universidade Estadual de Campinas.

Tem experiência na área de economia política, com ênfase em economia internacional e economia brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: financeirização; globalização; desenvolvimento econômico, política econômica, política macroeconômica, política setoriais, sistemas financeiros.

É membro do Conselho Editorial da Revista de Economia Política e da revista  Cinco perguntas para o economista Ricardo Carneiro

Economia e Sociedade, e Coordenador do Observatório da Economia Contemporânea

Na produção acadêmica, o professor Ricardo Carneiro tem um livro individual; organizou dez organizações de livros; escreveu trinta e sete capítulos de livros e quarenta artigos completos em periódicos.

É autor do livro Desenvolvimento em Crise, a economia brasileira no último quarto do século XX, de 2002. Foi o organizador do livro A supremacia dos mercados e a política econômica do Governo Lula, de 2006, do livro Desafios do Desenvolvimento Brasileiro, de 2011 e do livro Para Além da Política Econômica, de 2018.

É colaborador regular da imprensa por meio de artigos de divulgação no Le Monde Diplomatique Brasil e na Carta Capital.

https://www.youtube.com/watch?v=Q5xji4rkoNA

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome