CNI: produção industrial cresceu mas emprego caiu em maio

industria_antonio_pinheiro_gerj_crop_0.jpg
 
Foto: Antonio Pinheiro/GERJ
 
Jornal GGN – De acordo com os dados da pesquisa Sondagem Industrial, elaborada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a produção industrial teve alta em maio e chegou a 53,8 pontos, mas o emprego na indústria segue em queda e atingiu um índice de 48,1 pontos. 
 
Os índices da pesquisa Sondagem Industrial variam de zero a cem pontos, sendo que os resultados acima dos 50 pontos indicam melhora no cenário, e abaixo dos 50 indicam piora nos indicadores. 
 
No geral, os números de maio foram positivos, disse a CNI. Mesmo em queda, o índice de emprego teve alta de 1,1% na comparação com o mês passado. A produção industrial teve uma alta significativa em relação ao mesmo mês do ano passado, quando ficou em 45,5 pontos. 

 
Ainda de acordo com a entidade patronal, a utilização média da capacidade instalada da indústria ficou em 66%, 3% acima do mês anterior, revelando uma queda na ociosidade das fábricas brasileiras.
 
Já os estoques ficaram dentro daquilo que foi planejado pelos empresários, com o índice de evolução de estoques em 50,7 pontos e o índice de estoque efetivo em relação ao planejado, em 49,8 pontos.
 
Apesar dos números positivos, a CNI foi cautelosa ao analisar os índices, dizendo que a evolução pode ter ocorrido em razão do número de feriados em abril.
 
“A reação veio depois de um mês atípico, com muitos feriados. É cedo para dizer que a recuperação de maio vai se sustentar nos próximos meses”, disse Marcelo Azevedo, economista da entidade.
 
A pesquisa também aponta que os empresários ainda estão com pouco disposição para investir, sendo que  indicador de intenção de investimento ficou em 46,5 pontos, acima dos 41,2 pontos registrados no ano passado, mas abaixo da linha divisória dos 50 pontos.
 
Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora