O efeito do lockdown sobre o setor de serviços, por Luis Nassif

No mês de março de 2021, o setor de serviços caiu 0,4%, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE. A maior queda foi de Serviços Prestados à Família (-24,5%)

Foto: Agência Brasil

No mês de março de 2021, o setor de serviços caiu 0,4%, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A maior queda foi de Serviços Prestados à Família (-24,5%).

Esse subrgupo é dividido entre Serviços de Alojamento e Alimentação e Outros Serviços. A queda substancial foi em ALojamento e Alimentação (-15,4%), como consequencia de isolamentos impostos pela pandemia.

Analisando os dados do subgrupo seguinte, no acumulado desde março de 2020 – com o país já enfrentando a pandemia -, percebe-se que a maior queda foi do setor aéreo (-33,7%), seguido de Serviços de Alojamento e Alimentação (-15,4%) e Outros Serviços Prestados à Família (-16%). As maiores altas foram em Armazenagem, Serviços Auxiliares de Transporte (+14,5%) e Transporte Terrestre (

Desde março de 2019, a maior queda continuou sendo Transportes Aéreos (-49,1%), seguido de Serviços de Alojamento e Alimentação (-43,5%), refletindo a enorme crise que se abateu sobre o setor de Bares e Restaurantes.

Outro setor bastante afetado foi o Turismo. Em março, houve recuperação em 7 estados analisados, liderados por Pernambuco (+10,7%), Goiás (+10%) e São Paulo (9,5%). As maiores quedas foram de Santa Catarina (-5,6%), Distrito Federal (-3%) e Espirito Santo (-2,3%).

Desde o início da pandemia, as maiores quedas foram do Rio Grande do Sul (-36%), Ceará (-34,5%) e Distrito Federal (-30,9%).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome