Os resultados da pesquisa agrícola anual do IBGE, por Luis Nassif

Finalmente, há uma perda gradativa de relevância das culturas de alimento internos.

Divulgado antes de ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o levantamento Produção Agrícola Municipal traz conclusões relevantes para o estudo do setor.

Sem surpresas maiores, as maiores áreas plantadas são a soja, milho e Cana-de-Açúcar. Hoje em dia, a soja tem quase o triplo da área plantada da Cana.

Em valores de produção, a liderança também é da Soja, Milho e Cana de Açúcar. Nesse conta, a Soja é quase 3 vezes superior à Cana. A diferença se deve à explosão das cotações internacionais do Produto.

O efeito-preço fica mais visível quando se compara a variação da área plantada e do valor da produção de 2019 para 2020. Os cinco principais produtos tiveram queda na área plantada e alta expressiva no valor de produção. Confirma-se que a área plantada da Soja caiu 3,4%, a do Milho caiu 3,1% e o crescimento do valor da produção de, respectivamente, 35% e 55,4%.

Comparando a participação dos principais produtos na área total plantada e na receita total do setor, com a curva de rendimentos, chegam-se a conclusões interessantes.

Soja mostra um crescimento consistente na área plantada e no rendimento da terra. A consequência lógica é o crescimento continuado nas  receitas do setor.

Já a cana-de-açúcar registra estabilidade no rendimento e queda na receita, levando a uma queda na participação sobre a área total agricultável.

No caso do Milho, há uma melhoria história do rendimento, e também do trigo, embora uma estagnação na participação na receita total.

Outro levantamento interessante é do crescimento do rendimento médio.

Entre 1990 e 2020 o maior crescimento de rendimento foi da Melancia, mas com pequena produção.

Dentre as culturas de maior produção, os maiores aumentos de produtividade foram do arroz em casca (+251,6%), do algodão (+237,9%), do milho (+204,1%) e do feijão (+136,9%).

No último ano, dentre os 10 produtos com maior crescimento de produtividade, os dois com maior volume foram o arroz em casca (+9,0%) e a Soja (+2,8%).

Finalmente, há uma perda gradativa de relevância das culturas de alimento internos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Com a ausência de uma real política de agricultura familiar, falta de incentivo às pequenas e médias propriedades para cultivo de produtos agrícolas diversos, que satisfaçam a necessidade de consumo da população de humanos, logo ali adiante vamos começar a nos alimentar com soja e milho, em paridade com os porcos, galinhas e o gado. E ainda faltam 16 meses…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome